Pular para o conteúdo principal

AS REVELAÇÕES DA FOLHA DE PAGAMENTOS DA PREFEITURA

Com alguns meses de atraso, a Prefeitura de Chapadinha publicou as primeiras folhas de pagamento da gestão da prefeita Belezinha e tem muita informação boa ali para fazer futrica, mas este espaço não se dedica a isso.

Os mais afoitos defensores do governo podem ser identificados na lista com os próprios nomes ou de parentes próximos. Alguns deles já devem estar comentando este texto nas redes sociais antes de lê-lo. Não importa. São pequenos, como a maioria das boquinhas que conseguiram. E, além do mais, ninguém acreditava que eles cantavam “eles gostam da mamadinha” durante a campanha eleitoral sem saber que era exatamente disso que eles estavam em busca. É assim mesmo. A guerra no Whatsapp geralmente acontece com "mamadores" apontando "desmamados"

A folha está encharcada de cabos eleitorais e ex-candidatos? Sim. Parentes de vereadores e suplentes? Também. Há ainda "anomalias curiosas", como a do Técnico em Imobilização contratado pelo Hapa com salário de R$ 7.300,00, o Auxiliar Administrativo Classe B II que recebe R$ 7.523,79 ou, de novo, a recepcionista de R$ 5.353,50, mas aposto que há boas explicações para todos.

A transparência, exigida pela lei, não existe para expor indivíduos, como muitos destes fizeram para chegar à Prefeitura. O assunto aqui é o interesse público e é por isso que alguns pontos merecem destaque. 

A folha de pagamento total em março, último mês disponível, foi R$ 7,6 milhões (7.606.233,54). Deste valor R$ 2,1 milhões (2.199.697,57) são destinados a pagar salários de contratados e comissionados.

Chama a atenção que R$ 662 mil (662.962,19) estejam sendo usados para pagar contratados e comissionados da Secretaria de Educação sem estar havendo aula nas escolas. Isto é mais que a pesada folha de médicos, que custa R$ 591 mil (591.383,04) à Prefeitura e aponta um dos problemas estruturais mais graves que os municípios vivem no interior do Brasil.

Dos 1.029 contratados e comissionados, 680 foram admitidos já no mês de janeiro. Outros 197 entraram na folha em fevereiro e mais 152 em março. É importante destacar que ainda não temos os dados dos últimos dois meses e que dois vereadores já romperam com a base aliada da prefeita denunciando que estes cargos estariam sendo utilizados como moeda de troca para conquistar e manter o apoio dos demais.

As folhas podem ser acessadas pelo site da Prefeitura de Chapadinha clicando aqui e em seguida na opção "Serviços", conforme imagem abaixo.



De onde está vindo dinheiro para pagar esse pessoal?

Como já é tradição deste blog (desde o governo passado), acompanhamos o Demonstrativo de Distribuição de Arrecadação do Banco do Brasil e o Fundo Nacional de Saúde para recolher as informações sobre os principais repasses realizados ao município e trazemos os dados para nossos leitores.

De janeiro a maio deste ano o município recebeu R$ 40,7 milhões do Fundeb. R$ 5,9 milhões a mais do que no mesmo período do ano passado. A verba da Saúde é menor (- R$ 1,7 milhão) porque no ano passado o auxílio para enfrentar a pandemia foi maior, mas, ainda assim, essa queda é menor que o crescimento do FPM (+ R$ 3,6 milhões).


Somando as verbas acompanhadas pelo Blog, Chapadinha já recebeu R$ 8,8 milhões a mais neste ano que no mesmo período de 2020. Um crescimento nominal de 13,1%. E ainda vem o empréstimo de R$ 64 milhões! 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

DE NOVO: BELEZINHA TENTA COMPRAR CANDIDATO A VEREADOR E É DENUNCIADA À POLÍCIA

Dinheiro entregue à Polícia Festejada nas redes sociais pela ex-prefeita Belezinha e seus partidários, a adesão do candidato a vereador Lucídio se revelou mais um escândalo que abuso de poder econômico. Anúncio de adesão pela manhã Horas depois do anúncio, Lucídio registrou Boletim de Ocorrência acusando a coligação adversária de lhe ter entregado R$ 5 mil para ele se deixar fotografar ao lado da candidata e apoiá-la. Ao registrar o BO, o candidato apresentou aos policiais o valor que lhe foi entregue, e áudios das conversas entre ele e intermediários da ex-prefeita. Num deles o conhecimento da candidata sobre as negociações é confirmado. A versão foi confirmada por uma testemunha que presenciou a entrega do dinheiro. Após perícias as provas deverão ser encaminhadas para o Ministério Público Eleitoral e nova denúncia de abuso de poder econômico deve ser apresentada contra a candidata. Denúncia feita à tarde Belezinha responde no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ação semelhante p

EM PRIMEIRA MÃO: EX-PREFEITA PERDE O MANDATO DE DEPUTADA

Durou pouco a passagem da ex-prefeita Ducilene Belezinha (PL) na Assembleia Legislativa do Maranhão. Ela havia sido empossada no cargo de deputada estadual no mês passado devendo favor ao deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL) que determinou que a esposa, Detinha (PL), saísse de licença. Ocorre que Belezinha foi apenas a quinta suplente da coligação, e sua a posse dependeu do falecimento de um deputado e a nomeação de três parlamentares no secretariado do governador Flávio Dino, mas um deles voltou ontem (6) para o legislativo, aliás, uma secretária: Ana do Gás (PCdoB). Parlamentar com votação expressiva em Chapadinha na eleição de 2014, quando teve o apoio do hoje prefeito Magno Bacelar, a comunista ocupava a Secretaria de Estado da Mulher, mas decidiu reassumir o mandato de deputada levando a ex-prefeita de volta à condição de suplente. Festejado com carreata organizada por seus apoiadores com pouquíssima participação popular, o mandato de Belezinha na Assembleia durou 13 dia

ORINALDO ANUNCIA ROMPIMENTO COM MAGNO E APOIO A HIGOR ALMEIDA

O ex-vereador Orinaldo Araújo, esposo da vereadora Missecley, gravou hoje mensagem para anunciar seu desligamento do grupo político do prefeito Magno Bacelar. Ao lado de três dos seus quatro filhos Orinaldo afirmou que ainda não conversou com o Higor Almeida, mas apoiará sua candidatura. “É o que candidato que representa realmente aquilo que a gente pensa, aquilo que a gente quer pro nosso município”, afirmou. Havia chamado a atenção do meio político as ausências de Orinaldo e Missecley do primeiro comício de campanha do prefeito, realizado no bairro em que eles moram e têm forte base eleitoral. A insegurança jurídica da candidatura do prefeito e o forte desgaste apresentado nas pesquisas de opinião devem gerar novas adesões nos próximos dias.