Pular para o conteúdo principal

COVID EM CHAPADINHA: Mais mortes que a média nacional

A Prefeitura de Chapadinha divulgou hoje (12) mais um boletim epidemiológico com o número de pacientes confirmados, descartados e recuperados de Covid-19, assim como o número de óbitos.

Antes de analisar os números, é muito importante desmentir a turma da lacração que acusa o governo municipal de não ter tratado do tema durante a campanha eleitoral. Todos nós, inclusive esse pessoal, estávamos dando mais atenção à disputa pelo poder do que a este assunto, mas basta uma pesquisa rápida na página da Prefeitura no Facebook para constatar que os boletins continuaram sendo publicados semanalmente, como já acontece há meses.


Quem, como eu, se deu o trabalho de acompanhar todos estes boletins sabe que não há motivo para pânico, nem para descuido. O aumento de casos ativos apresentado no boletim anterior, de 9 para 18, foi revertido para uma nova queda, agora são 13. As oscilações neste dado acontecem abaixo de 100 ativos desde setembro, desde outubro abaixo de 50.

Estas pessoas precisam de cuidados, alguns deles inclusive de internação, mas a realidade atual é incomparável ao pico da doença na nossa comunidade, quando chegamos a ter 719 casos ativos simultaneamente, em 17 de junho.


Cada óbito causado pela doença merece nosso lamento, e prestamos nossa solidariedade a todas as famílias atingidas, mas pelo dever de bem informar devemos também apontar que tivemos nove mortes nos últimos três meses. 

Ao acompanharmos o noticiário nacional ou mesmo internacional para entendermos a dinâmica de uma doença tão recente é importante não esquecermos que as contaminações são sempre locais. Os números de mortes, por exemplo, que são apresentados por estado ou por país são médias importantes, mas ninguém pega Covid em Chapadinha porque tem alguém doente em Chapecó ou em Rio Branco. Em cada lugar a doença tem acelerações ou desacelerações de acordo com o que é feito pelas pessoas que convivem ali.


COMPARAÇÃO COM O MUNDO

Os 74 óbitos registrados até aqui numa população de 80 mil pessoas representariam 923 mortes por milhão de habitante, parâmetro utilizado para medir o impacto da pandemia em cada país. Se fosse um país, Chapadinha só não teria sido oficialmente mais atingida do que Bélgica, Peru, Itália, Espanha e Reino Unido, sem levar em consideração as diferentes metodologias de contagem das mortes relacionadas à Covid-19.


Ainda assim, estaríamos em situação pior que os Estados Unidos, o México, a França e da própria média brasileira. O número proporcional de mortes é tão alto em Chapadinha e o número de pessoas atualmente doentes tão baixo que parece que o pior já passou por aqui.

 

TESTAGEM É NECESSÁRIA

Apesar do surto aparentemente sob controle no município, só uma testagem em massa nos daria dados mais precisos.


De janeiro a novembro deste ano a Saúde de Chapadinha teve 31,6% a mais de recursos do que no mesmo período do ano passado. Só de verba destinada ao combate da pandemia foram R$ 10,9 milhões extra no caixa. O atual e o futuro governo deveriam utilizar parte deste dinheiro para providenciar mais exames, que nos permitam estar alerta para a eventualidade de sermos atingidos por uma nova onda de contaminação, como está acontecendo em outros lugares do mundo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

BELEZINHA ASFALTOU ATÉ O CAMINHO PARA A REELEIÇÃO

Passada a eleição estadual, o único grupo vencedor em Chapadinha foi o que já ocupa a Prefeitura. O resto se dividiu entre sobreviventes, humilhados e aposentados. Após ter sido a candidata a deputada estadual mais votada da história do município em 2018, com 12.403 votos, Belezinha alargou o recorde com os 18.548 votos de Aluizio Santos, elegendo-o para o cargo e vendo os adversários absolutamente perdidos. Se na eleição anterior os demais grupos se dividiram em 8 candidaturas acima da faixa de 500 votos, somando 17.752, desta vez foram 11 candidaturas e apenas 15.109 votos. A pulverização e o desempenho fraco já demonstram que a oposição teria dificuldade de derrotar a prefeita mesmo se conseguisse uma improvável união para 2024. Entre os derrotados da eleição destacam-se os ex-prefeitos. Dr. Magno Bacelar passou pelo segundo constrangimento seguido (e desnecessário) sem conseguir mais do que 679 votos para Adriano Sarney e Isaías Fortes, que ficou aquém do prometido a Davi Bra

ALUIZIO SANTOS FALA SOBRE SUA SAÚDE

O secretário Aluizio Santos concedeu entrevista ao programa Alerta Geral, apresentado pelo jornalista Luis Carlos Jr. na rádio Cultura de Chapadinha, nesta manhã (10) e tratou do assunto que já estava dominando as rodas de conversa da política local: seu estado de saúde. Segundo o relato, desde o mês de junho ele estava acompanhando o aumento de dois linfonodos na sua virilha e decidiu, com a equipe de médicos que o acompanha em Chapadinha, pela remoção cirúrgica de ambos. O procedimento aconteceu no dia 25 de outubro e desde então ele ficou em repouso. O diagnóstico conclusivo sobre o tratamento de saúde ao qual ele precisará se submeter deverá ser apresentado em 10 dias, mas Aluizio tem voltado às atividades políticas, inclusive às articulações da sua pré-candidatura a deputado estadual. Assista o vídeo da entrevista no final da matéria.   ENTENDA O QUADRO A íngua é o inchaço dos linfonodos, pequenos órgãos do sistema linfático que atuam na defesa do organismo humano prod

FLÁVIO DINO INAUGURA IEMA E PEDE QUE BELEZINHA ENTREGUE UPA AO ESTADO

Nesta manhã Chapadinha recebeu Flávio Dino pela última vez antes de deixar o cargo de governador. Antes de seguir para outros municípios da região entregando outros aparelhos públicos, o socialista inaugurou a unidade local do Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMA), e a cerimônia foi movimentada, principalmente nos seus bastidores! Ausente do evento supostamente por motivo de saúde Belezinha foi representada pelo vice-prefeito que ouviu do governador novo apelo para que o município entregue a gestão da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) para o governo do estado. “Eu não olho quem é o prefeito, eu não olho partido. O meu partido é o Maranhão e por isso eu sempre estarei a disposição da cidade de Chapadinha”, disse em discurso. Confira:   O governador já tinha se colocado a disposição para assumir a responsabilidade da UPA na sua última visita a Chapadinha e o vice-prefeito até foi às redes sociais defender a entrega da unidade. Ambos foram ignorados por Be