Pular para o conteúdo principal

MULTA DE R$ 5 MIL: Ex-prefeita quer proibir internautas de chamá-la de funil e perseguidora

Aliados da ex-prefeita Ducilene Belezinha comemoram sentença da juíza Welinne de Souza Coelho, titular da 42ª Zona Eleitoral, condenando em primeira instância uma internauta a pagar multa de R$ 5 mil (cinco mil reais) por ter criticado a candidata. Willyane já recorreu da decisão com efeito suspensivo sobre a multa, mas o caso não pode passar batido.

Na representação, os advogados de Belezinha reclamam que a jovem Willyane Araújo chamou a ex-prefeita de funil nas redes sociais e reiteradamente de perseguidora, além de lhe imputar atos de improbidade administrativa. Entre as reclamações está ainda que Willyane “explicitamente pede que a população não vote na pré-candidata Belezinha (… e que) 'dê um basta nesse projeto egoísta'.”

Nos autos do processo consta até um meme que ironiza a fala da ex-prefeita em recente entrevista, quando ela afirmou que política não seria meio de sobrevivência pra ela.

Para a juíza, ficou configurado que as críticas ultrapassaram os limites do tolerado à liberdade de expressão e opinião quando a internauta afirma que a ex-prefeita persegue as pessoas e quer lucrar às custas do povo. Além de determinar o pagamento de multa, a decisão ainda determina que Willyane “se abstenha de divulgar as postagens objeto deste processo, bem como retire de toda propaganda eleitoral aqui impugnada”.



Em contato com o Blog, Willyane se disse surpresa. “Não imaginei que seria perseguida dessa forma! Pois não sou só eu que tenho essa opinião sobre ela e sim muitos chapadinhenses!”, afirmou. A jovem ainda revela que houve contatos para convencê-la a fazer parte do grupo político da ex-prefeita. “Não quis, não quero e jamais vou!”

ENFIM, A HIPOCRISIA (DE NOVO)

As mesmas pessoas que comemoram a censura imposta à internauta foram para as redes sociais chamar o candidato Higor Almeida de autoritário por ter registrado Boletim de Ocorrência contra um blogueiro que afirmou que ele teria uma aliança com o prefeito Magno Bacelar por debaixo dos panos.

SOBRE FUNIL

Eleita como milionária que não precisava de dinheiro de prefeitura, Ducilene empregou as próprias filhas no gabinete logo no início do seu governo, as obras públicas do município passaram os quatro anos da sua gestão tendo como fornecedora de material a loja Junior Construções, de propriedade de sua família.

Essa mesma loja (que não tem relação com coleta de lixo) adquiriu carro compactador e transferiu para a empresa de um aliado da ex-prefeita que viria a ganhar a licitação para coleta de lixo no seu governo.

Várias outras licitações foram vencidas por pessoas MUITO próximas a ela enquanto ela esteve no poder, mas não pode chamar ela de funil!

SOBRE PERSEGUIÇÃO

Não há espaço para tratar de tantos casos de perseguição e desrespeito durante a gestão 2013-2016, mas a população de Chapadinha ainda lembra que o chefe do Departamento Municipal de Trânsito (DMT) chegou um dia para trabalhar e a porta da sua sala estava com a fechadura trocada e ele demitido depois dele ter tirado uma foto no estádio ao lado do deputado Paulo Neto, que hoje ainda apoia ela!

A população de Chapadinha ainda lembra que ela tentou anular um contrato da administração pública para tirar do Abrigo Central um crítico político seu e chegou a colocar lá por algumas semanas o seu irmão.

A população de Chapadinha ainda lembra tanto que são vários os relatos.

RECORDAR É VIVER

Improbidade: Caminhão do Lixo Comprado por Firma de Belezinha

Esquema do Lixo: Suplente de Vereador é Dono da Empresa Contratada

Belezinha Desconversa e Nada Explica Sobre o Esquema do Lixo

Empresa do Lixo Atuava Como Armarinho, Dono Não Possuía Bens, Mas Arrumou 230 Mil Reais em Novembro

Onde Estão? Prefeitura de Chapadinha Aluga 144 Veículos Por Quase 3 Milhões de Reais/Ano

Queops: Belezinha Engana Promotoria e Mantém Pagamentos Milionários a Empresa Fantasma

Suspeita de Empresa Fantasma e Endereço Inexistente em Novo Esquema Laranja da Prefeitura

Belezinha Confirma Nomeação das Filhas e Desdenha da Justiça

Em Família: Belezinha Paga Quase 10 Mil Reais a Irmã Secretária de Finanças

Belezinha na Polícia Federal: Carro do Lixo e Lei Falsa São Alvos de Investigação

SEM INTIMIDAÇÃO, NEM RECUO

Willyane Araújo foi usada para servir de exemplo. A intenção é intimidar as outras pessoas a não lembrarem como foi o governo de Belezinha, mas o fundamento jurídico da multa imposta (art. 36, § 3º da Lei nº 9.504/97) se refere à propaganda [negativa] antecipada, e não às críticas que a ex-prefeita sofreu e ainda vai sofrer.

Aqui não tem arrego! Este blog vai continuar sem fazer ataque pessoal a nenhum candidato, mas publicando as informações de maneira apurada. 

Comentários

Francejane disse…
O supremo tribunal ficou mundialmente conhecido como vergonha nacional. Por censurar pessoas que simplesmente emitem opiniões. E se as opiniões possuem
embasamento robusto como os aquiapresentados na matéria vai poder ser censurado?

Postagens mais visitadas deste blog

DE NOVO: BELEZINHA TENTA COMPRAR CANDIDATO A VEREADOR E É DENUNCIADA À POLÍCIA

Dinheiro entregue à Polícia Festejada nas redes sociais pela ex-prefeita Belezinha e seus partidários, a adesão do candidato a vereador Lucídio se revelou mais um escândalo que abuso de poder econômico. Anúncio de adesão pela manhã Horas depois do anúncio, Lucídio registrou Boletim de Ocorrência acusando a coligação adversária de lhe ter entregado R$ 5 mil para ele se deixar fotografar ao lado da candidata e apoiá-la. Ao registrar o BO, o candidato apresentou aos policiais o valor que lhe foi entregue, e áudios das conversas entre ele e intermediários da ex-prefeita. Num deles o conhecimento da candidata sobre as negociações é confirmado. A versão foi confirmada por uma testemunha que presenciou a entrega do dinheiro. Após perícias as provas deverão ser encaminhadas para o Ministério Público Eleitoral e nova denúncia de abuso de poder econômico deve ser apresentada contra a candidata. Denúncia feita à tarde Belezinha responde no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ação semelhante p

PACIENTES E PROFISSIONAIS DA SAÚDE RELATAM COLAPSO NA UPA DE CHAPADINHA

Os últimos dias têm sido de exaustão para quem está trabalhando na linha de frente do combate à Covid em Chapadinha. Profissionais da UPA relatam que a unidade entrou em colapso, os leitos estão lotados, pacientes aguardando nos corredores e os funcionários se sentindo impotentes diante o quadro. “Imagina o que é você se doar, prestar um serviço, ver gente morrendo todo dia e as pessoas continuarem suas vidas aglomerando”, desabafou um deles em rede social. Com quadro reduzido de funcionários, os servidores buscam fazer o que é possível, mas as dificuldades estão aumentando num grau insuportável. Enquanto isso pipocam nas redes sociais fotos e vídeos de pacientes e acompanhantes denunciando os problemas que estão enfrentando, principalmente com falta de médicos para atender a demanda crescente. A escala publicada pela Prefeitura mostra o quanto tem sido exigido dos profissionais. Apenas um médico por dia, sendo ora Dr. Kingsley Ifly, que na mesma data atende no HAPA , ora o Dr. Felipe

EXPOSTA A MÁQUINA DE COMPRA DE APOIOS DE BELEZINHA

Quem dizia que já estava com a eleição decidida abriu a carteira para tentar vencer na força do dinheiro.  O Blog do Alexandre Pinheiro publicou uma séria de mensagens e áudios envolvendo personagens da campanha da ex-prefeita Belezinha que explicam as últimas declarações de apoio à candidata. Leia aqui a matéria. Só sorrisos Denunciada à Polícia por ter tentado comprar o apoio do candidato a vereador Lucídio Santos por R$ 5 mil, Belezinha tem alegado ter sido alvo de uma armação, mas os diálogos expostos agora comprovam que a iniciativa de negociar com ele partiu de um dos seus partidários presente na foto que anunciava a adesão de Lucídio. (Áudios no final deste texto) Nos áudios o candidato chega a descartar a possibilidade de acordo (vídeo 1), mas o articulador Aluízio Santos insiste em conversar pessoalmente e noutro momento Lucídio aparece agradecendo a Shicleiton Sousa (vídeo 2) pelos R$ 5 mil posteriormente entregues à Polícia. Sem imagens e com áudio de pouca qualidade,