Pular para o conteúdo principal

Marcelo Aguiar disse a coisa certa da maneira "errada"


Pior que o moralismo com as palavras, que se ofende com termos do idioma vernáculo, é o moralismo político que cega e pode colocar a perder uma vitória eleitoral e política. 

O vereador Marcelo Aguiar, candidato a vice-prefeito na chapa de Higor Almeida, enviou um áudio pelo Whatsapp (desse mal eu não morro) a um amigo que questionava novas adesões à campanha do PSB. Defendendo que a candidatura agregue forças para vencer a eleição, o parlamentar usou uma hipérbole logo depois de afirmar que quer ganhar com todo mundo: "Queremos ganhar até com os presidiários, com as putas de cabaré, com os bandidos, o importante é ganhar. (...) Você tem que ganhar a eleição e mudar a cidade, não perder e dizer que fez a sua parte".

Deixando de lado a sensibilidade dos ouvidos puros que se machucaram com as palavras usadas, o que há de errado com a afirmação objetiva do candidato? Qual a correção devida ao conteúdo do que foi dito? Nenhuma. Ou o candidato a prefeito vai fazer exame de currículo de cada um que queira apoiar sua pretensão de chegar a Prefeitura?

Há quem, no entorno de Higor, torça o nariz para o apoio indireto da vereadora Missecley Araújo. Será que preferiam ela apoiando Belezinha? Continuando com Magno Bacelar? Trata-se comprovadamente de uma parlamentar que teve boa votação em todas as eleições que disputou, pode ser decisiva na adesão de novos aliados e na eleição de 15 de novembro. 

Missecley tem serviço prestado, permaneceu quatro anos na oposição a Belezinha, ajudou a eleger Magno, foi aliada até em momentos difíceis e tem como marca a humildade necessária para vencer eleições juntando gente. 

Enquanto os outros candidatos correm atrás de mais aliados para vencer a eleição e governar a cidade como acham correto, Higor tem que perder tempo convencendo parte do seu grupo a aceitar o óbvio: ganha a eleição quem tem mais voto. E tem muito mais por vir.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

BELEZINHA ASFALTOU ATÉ O CAMINHO PARA A REELEIÇÃO

Passada a eleição estadual, o único grupo vencedor em Chapadinha foi o que já ocupa a Prefeitura. O resto se dividiu entre sobreviventes, humilhados e aposentados. Após ter sido a candidata a deputada estadual mais votada da história do município em 2018, com 12.403 votos, Belezinha alargou o recorde com os 18.548 votos de Aluizio Santos, elegendo-o para o cargo e vendo os adversários absolutamente perdidos. Se na eleição anterior os demais grupos se dividiram em 8 candidaturas acima da faixa de 500 votos, somando 17.752, desta vez foram 11 candidaturas e apenas 15.109 votos. A pulverização e o desempenho fraco já demonstram que a oposição teria dificuldade de derrotar a prefeita mesmo se conseguisse uma improvável união para 2024. Entre os derrotados da eleição destacam-se os ex-prefeitos. Dr. Magno Bacelar passou pelo segundo constrangimento seguido (e desnecessário) sem conseguir mais do que 679 votos para Adriano Sarney e Isaías Fortes, que ficou aquém do prometido a Davi Bra

RECIBO: Após Onda Rosa, Belezinha parte para o ataque contra Thaiza

Se alguém tinha dúvida sobre incômodo da prefeita Belezinha com a candidatura da deputada Thaiza Hortegal, acabou hoje. Bastou passar a ressaca pelo sucesso da Onda Rosa que seus aliados inundaram os grupos de WhatsApp com um áudio editado do final do evento que parou a cidade. A preocupação não é pra menos. Seu candidato a deputado estadual tinha a ilusão que seria o único nome da cidade disputando os votos chapadinhense e contava com isso para conquistar uma das 42 vagas da Assembleia Legislativa. Em recente reunião com apoiadores, chegaram a afirmar que ele precisava sair do município com 20 mil votos! Se depender disso, os concorrentes do PL podem comemorar. A disputa em Chapadinha será acirrada e polarizada entre Thaiza e Aluízio. Ele disputa sua primeira eleição, ela já vem com o histórico de uma deputada de mandato. Foi a sétima mais votada do estado, com 51.895 espalhados em 213 dos 217 municípios. Essa disputa está só começando!

"THAIZA É UMA SOBREVIVENTE", DISSE MÉDICA A LUCIANO GENÉSIO

A deputada estadual Dra. Thaiza Hortegal (PDT) voltou às atividades legislativas e usou a tribuna na última terça-feira (24) para testemunhar sobre as últimas semanas na luta pela vida após ser diagnosticada e hospitalizada com urgência devido à insuficiência renal aguda. Inicialmente internada em São Luís, a parlamentar depois foi transferida para São Paulo, onde foi realizada uma investigação mais profunda do seu quadro clínico, considerado grave. Para a Dra. Thaiza, o momento mais difícil foi ouvir os relatos da médica nefrologista que acompanha o seu caso. "O prefeito Luciano estava me acompanhando com o meu filho João e enquanto a médica relatava o caso, todas as causas e consequências, os riscos que eu passei, confesso que eu não prestava atenção, passava um filme na cabeça de tudo. A COVID, a implantação da prótese na perna. Olhei pra a cara do meu filho quando ela disse: Luciano, a Thaiza é uma sobrevivente. Isso foi muito difícil pra mim", relatou a deputada. D