Pular para o conteúdo principal

Prazo de filiações: O que mudou, quem se beneficia e para onde ir


Março é mês de intensas articulações políticas. Quem pretende concorrer às eleições tem até 4 de abril para estar filiado em um partido e a mudanças na legislação tem deixado muito candidato inseguro sobre qual rumo tomar.

A eleição para as Câmaras Municipais continua sendo proporcional, mas os partidos não podem mais se coligar. Traduzindo: As quinze vagas da Câmara de Chapadinha não são, necessariamente, dos quinze candidatos mais votados. Elas serão distribuídas proporcionalmente aos partidos políticos de acordo com a votação somada dos seus candidatos e eles não poderão mais se unir em coligações para juntar suas votações nesta disputa de vagas.

Peguemos o caso da eleição passada. Chapadinha teve 41.899 votos válidos para vereadores. Dividindo este número por 15 (quantidade de vagas no parlamento municipal), chegamos ao coeficiente eleitoral daquele pleito: 2.793. Ou seja, para poder disputar alguma vaga, a coligação teria que ter no mínimo esta quantidade de votos.

A primeira coligação do prefeito Magno Bacelar obteve 10.504 votos, ou seja, alcançou três vezes o coeficiente eleitoral e conseguiu logo três vagas (outra na sobra). A primeira coligação de Belezinha obteve 9.455 votos, ou seja, também alcançou três vezes o coeficiente eleitoral e conseguiu três vagas diretas (também alcançou outra na sobra). Veja a tabela abaixo para conferir a votação de cada coligação naquele pleito.



As outras três vagas (chamadas “sobras”) foram conseguidas pelas três coligações mais votadas fazendo com que a Câmara ficasse assim:

PV, PSDC, PP (4): Jr. Carneiro, Netinho, Missecley, Marcely
PRB, PTN (4): Marcelo Marinheiro, Licinha, Itamar Macedo, Nildinha Teles
PR, PDT, PHS (3): Tote, Nonato Baleco, Alberto Carlos
PPS, PTB (2): Luis Barbeiro, Professora Vera
SDD, PTC (1): Neto Pontes
PMDB, PRP (1): Marcelo Menezes

Sendo proibidas as coligações proporcionais pelos partidos nesta eleição (CF – 88, art. 17 § 1º) , a votação de cada legenda individualmente que será considerada para a distribuição das vagas, porém, elas poderão disputar as sobras mesmo sem alcançar o quociente eleitoral (Código Eleitoral, art. 109 § 2º).

Aplicando-se a regra atual na votação de 2016 teríamos a seguinte composição na Câmara Municipal:



Osvaldo Aguiar, Nágera Pontes, Josenildo Garreto, Irmão Douglas e Professor Farias teriam sido eleitos. Este último com 516 votos num partido, o PTC, que somou 1.744. Neste exercício hipotético, teriam ficado de fora Marcelo Marinheiro (com 1.228 votos), Professora Vera, Marcelo Menezes, Nonato Baleco e Marcely Gomes, porém, é bom lembrar: eles jogaram com as regras do jogo daquele tempo. Cada um tinha o domínio de um partido e fez a melhor coligação para sua eleição.

O fato é que estas decisões que aconteciam em julho, nas convenções, agora acontecerão no prazo de filiação. Com muito mais antecedência (no caso de Chapadinha antes de sabermos quem poderá disputar a Prefeitura) os candidatos terão que prever o potencial de votos de cada partido e dos outros filiados no partido que ele escolher.

O jogo está começando.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O que não te disseram sobre a "farra dos contracheques"

Enquanto a gritaria tomava conta das redes sociais, me dediquei a estudar a folha de pagamento da Prefeitura de Chapadinha e verifiquei alguns dados que precisam ser esclarecidos.
Primeiro, nenhum vigia “recebe” R$ 6 mil. O presente do indicativo é usado para demonstrar ação continuada. E o vigia Marcelo Costa Abreu, segundo este mesmo Portal da Transparência que serve de fonte para pinçar informações pela metade e causar alvoroço, tem um salário de R$ 1.247,50. Nos meses de Setembro e Outubro ele recebeu gratificações para compensar outros serviços que ele teria prestado à administração municipal, segundo relato dele mesmo em áudio que circula nos grupos de WhatsApp.
A realização destes trabalhos deve ser atestada, mas essa checagem desmonta a tese segunda qual ele receberia um grande salário para dividir com um ex-prefeito e um vereador.
Outro dado que tem aparecido de maneira muito distorcida é a lotação de todos os servidores como funcionários do gabinete do prefeito. Na verdade…

PRIMEIRA CHAPA CONFIRMADA: HIGOR E MARCELO MARINHEIRO

Nem o isolamento social imposto pela pandemia de Covid-19 freou as articulações políticas. Respeitando as restrições e orientações da Organização Mundial da Saúde, o empresário Higor da Universidade Infantil e o vereador Marcelo Marinheiro se encontraram na manhã desta segunda-feira (30) e definiram que formarão chapa visando as pré-candidaturas a prefeito e vice-prefeito de Chapadinha nas eleições de 2020.
Em contato com o Blog do Braga, a dupla afirmou que já vinha conversando nas últimas semanas e que tomaram a decisão após análise das últimas pesquisas de intenção de voto, que indicariam a viabilidade da composição.
Em meio às incertezas jurídicas de outros concorrentes, Chapadinha ganha a primeira chapa 100% definida e ficha-limpa para as próximas eleições. Após o término do período de isolamento social proposto pela OMS os pré-candidatos informarão o calendário de eventos destinados à propagação das suas plataformas políticas.
“Por enquanto, nos cabe apenas desejar a todos mui…

Prefeitura com mais verbas, contratados ainda sem salário

Apesar da crise de saúde pública, o município de Chapadinha continua recebendo recursos do governo federal para manter os salários em dia. Esta é a conclusão que chegamos ao analisar os números disponíveis no Demonstrativo de Distribuição de Arrecadação do Banco do Brasil.
O Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) transferiu para os cofres da Prefeitura mais de 25 milhões de reais (R$ 25.428.087,96) nos quatro primeiros meses do ano. A cifra é 17,09% maior do que o valor recebido no mesmo período de 2019, que já apresentava crescimento de 23,6% em relação ao ano anterior.
Este blog não costuma usar números soltos de maneira sensacionalista. É necessário ler e interpretar com noção de proporção. Será se este valor é realmente grande? Será se é suficiente? Sim. Segundo o próprio prefeito em entrevista ao portal Papo Cidade a folha salarial mensal da Secretaria de Educação, comandada agora pela sua irmã, é de R$ 4.235.649,79. Ou seja, o valor que o município r…