Pular para o conteúdo principal

O que não te disseram sobre a "farra dos contracheques"


Enquanto a gritaria tomava conta das redes sociais, me dediquei a estudar a folha de pagamento da Prefeitura de Chapadinha e verifiquei alguns dados que precisam ser esclarecidos.

Primeiro, nenhum vigia “recebe” R$ 6 mil. O presente do indicativo é usado para demonstrar ação continuada. E o vigia Marcelo Costa Abreu, segundo este mesmo Portal da Transparência que serve de fonte para pinçar informações pela metade e causar alvoroço, tem um salário de R$ 1.247,50. Nos meses de Setembro e Outubro ele recebeu gratificações para compensar outros serviços que ele teria prestado à administração municipal, segundo relato dele mesmo em áudio que circula nos grupos de WhatsApp.

A tese de "rachadinha" cai por terra
A realização destes trabalhos deve ser atestada, mas essa checagem desmonta a tese segunda qual ele receberia um grande salário para dividir com um ex-prefeito e um vereador.

Outro dado que tem aparecido de maneira muito distorcida é a lotação de todos os servidores como funcionários do gabinete do prefeito. Na verdade, todos os servidores da administração direta aparecem no Portal da Transparência na unidade/órgão “gabinete do prefeito de Chapadinha”. A exceção são os aposentados, pensionistas e servidores do Instituto de Previdência (IPC), única autarquia municipal.

Pesquise no mesmo Portal da Transparência o nome de qualquer servidor, preferencialmente de alguém ligado à oposição, que você constatará o mesmo. Por exemplo:

Ninguém pode pensar que a professora em questão está no gabinete do prefeito

Também houve muita reclamação sobre altos salários para servidores de carreiras mais modestas como Ivandra de Melo Vasconcelos, que aparece na lista como recepcionista porque este foi o cargo para o qual ela foi aprovada em concurso público. Porém, quem a conhece ou tem cuidado com a checagem das informações sabe que ela é profissional qualificada e hoje braço direito da secretária de Assistência Social, muitas vezes tocando a gestão da pasta devido as inúmeras outras tarefas da secretária de direito.

A mesma explicação poderá ser dada sobre a recepcionista da Secretaria de Obras do governo passado ter recebido salário de R$ 5.181,34, por exemplo. Ou uma auxiliar de serviços gerais da Secretaria de Administração que recebia R$ 3.110,00, mais do que a própria secretária da pasta.

Concursada como recepcionista devia ter outra função em 2016


ASG recebendo mais do que a secretária de Administração em 2016

Ou seja, não é correto ver um salário acima da média numa folha de pagamentos e imediatamente acusar a pessoa de rachadinha, porque o mesmo poderia ser dito da auxiliar administrativa que, com salário mínimo como base, recebeu R$ 8.355,20 na Secretaria de Administração do governo anterior ou da assessora especial com salário R$ 6.000.

Deve ter havido um trabalho especial neste mês de 2016
Folha de pagamentos da Secretaria de Obras teve novidade no fim de 2016


As explicações destes casos atípicos devem ser o mesmo da servidora Terezinha de Jesus Cunha Almeida, aprovada em concurso como datilógrafa, mas que hoje é a tesoureira do município e trabalha mais do que qualquer outra pessoa na Prefeitura com salário correspondente às suas responsabilidades. Vale lembrar: A mesma função no governo anterior era exercida pela irmã da ex-prefeita com salário que chegou a quase R$ 10 mil.

Ainda tinha as diárias
Nem tratarei aqui sobre o prefeito ser assessorado pelos seus aliados políticos, como se cargo comissionado tivesse sido inventado por Magno em setembro deste ano. Esta reclamação só pode surgir de quem acha que ele deveria ter mantido em seu gabinete as filhas da ex-prefeita.

Gabinete

Para termos uma base de comparação, é importante lembrar que a folha de pagamento dos comissionados do gabinete da ex-prefeita fechou em R$ 101.232,00.



Em valores corrigidos pela inflação, isto representaria hoje R$ 115.285,36. Virtualmente os mesmos R$ 114.383,00 que pagam hoje os assessores de gabinete e assessores especiais do prefeito. Nesta folha causam curiosidade os salários de R$ 6.500 de dois assessores especiais e de R$ 3.800 para um, vejam só, vigia do gabinete da ex-prefeita. Todas as dúvidas sobre estes contracheques, de hoje e de ontem, poderão ser esclarecidas por um inquérito parlamentar na Câmara de Vereadores.

Gabinete da ex-prefeita tinha vigia recebendo bem

Ao que interessa

Disputa pré-eleitoral a parte, o município deveria estar discutindo o quão preocupante é a folha de pagamento mensal chegar a R$ 9.322.555,31. Deste total, R$ 5,2 milhões são servidores concursados da ativa e R$ 1,2 inativos. A folha de contratados está dando R$ 1,9 milhão, sendo que deste valor R$ 581 mil são apenas os 33 médicos do município.

Só no pagamento de professores o município investe mensalmente R$ 3,05 milhões sem contar diretores de escolas, assistentes e outros funcionários da Educação. Se não tiver noção de proporção, vamos continuar nos perdendo em debates menores e deixando de enfrentar os verdadeiros desafios do município.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

EM PRIMEIRA MÃO: EX-PREFEITA PERDE O MANDATO DE DEPUTADA

Durou pouco a passagem da ex-prefeita Ducilene Belezinha (PL) na Assembleia Legislativa do Maranhão. Ela havia sido empossada no cargo de deputada estadual no mês passado devendo favor ao deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL) que determinou que a esposa, Detinha (PL), saísse de licença. Ocorre que Belezinha foi apenas a quinta suplente da coligação, e sua a posse dependeu do falecimento de um deputado e a nomeação de três parlamentares no secretariado do governador Flávio Dino, mas um deles voltou ontem (6) para o legislativo, aliás, uma secretária: Ana do Gás (PCdoB).
Parlamentar com votação expressiva em Chapadinha na eleição de 2014, quando teve o apoio do hoje prefeito Magno Bacelar, a comunista ocupava a Secretaria de Estado da Mulher, mas decidiu reassumir o mandato de deputada levando a ex-prefeita de volta à condição de suplente.Festejado com carreata organizada por seus apoiadores com pouquíssima participação popular, o mandato de Belezinha na Assembleia durou 13 dias.…

ORINALDO ANUNCIA ROMPIMENTO COM MAGNO E APOIO A HIGOR ALMEIDA

O ex-vereador Orinaldo Araújo, esposo da vereadora Missecley, gravou hoje mensagem para anunciar seu desligamento do grupo político do prefeito Magno Bacelar.Ao lado de três dos seus quatro filhos Orinaldo afirmou que ainda não conversou com o Higor Almeida, mas apoiará sua candidatura. “É o que candidato que representa realmente aquilo que a gente pensa, aquilo que a gente quer pro nosso município”, afirmou.Havia chamado a atenção do meio político as ausências de Orinaldo e Missecley do primeiro comício de campanha do prefeito, realizado no bairro em que eles moram e têm forte base eleitoral.A insegurança jurídica da candidatura do prefeito e o forte desgaste apresentado nas pesquisas de opinião devem gerar novas adesões nos próximos dias.