Pular para o conteúdo principal

A volta da que não foi


Última sexta-feira do ano, clima de monotonia, nem os servidores públicos, zangados com o atraso do 13º, tinham ânimo para causar problemas para o governo municipal quando começam a pipocar mensagens de solidariedade à secretária de Educação, professora Vânia Cristina.

As manifestações respondiam à uma suposta demissão sua do cargo, informação obtida através da “mais confiável” fonte dos nossos dias: grupos do zap. No boato já havia até substituta, que assumiria amarrando os apoios da filha deputada e do ex-marido (!) à reeleição do prefeito.

Era tanta solidariedade à secretária que sua demissão parecia favas contadas. Não dava para acreditar que tanta gente do próprio governo viria a público expor a administração com base em nada. Mas sim, foi exatamente isto que aconteceu. Nada.

Não há demissão, não há substituição, não há nem a compreensão de que o governo, em dificuldades financeiras e políticas, precisa ceder espaço para agregar outras forças. Só houve mais uma crise desnecessária que acaba fragilizando a própria secretária, que era cotada para ser candidata até dia desses, mas hoje está no centro de um momento conturbado para o governo.

Todos os avanços de 2019 estão sendo ignorados na falta do 13º salário. As reformas da rodoviária, do Hapa, dos postos de saúde, das escolas, o asfalto em vários bairros, até os avanços na iluminação pública: Tudo que parecia fazer o governo começar a se recuperar na avaliação popular foi anulado pela incapacidade de cumprir uma obrigação tão básica e o que fazem funcionários da Semed, aliados e até vereadores da base do governo: expõem ainda mais a gestão criando turbulências artificiais.

Que venha 2020

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O que não te disseram sobre a "farra dos contracheques"

Enquanto a gritaria tomava conta das redes sociais, me dediquei a estudar a folha de pagamento da Prefeitura de Chapadinha e verifiquei alguns dados que precisam ser esclarecidos.
Primeiro, nenhum vigia “recebe” R$ 6 mil. O presente do indicativo é usado para demonstrar ação continuada. E o vigia Marcelo Costa Abreu, segundo este mesmo Portal da Transparência que serve de fonte para pinçar informações pela metade e causar alvoroço, tem um salário de R$ 1.247,50. Nos meses de Setembro e Outubro ele recebeu gratificações para compensar outros serviços que ele teria prestado à administração municipal, segundo relato dele mesmo em áudio que circula nos grupos de WhatsApp.
A realização destes trabalhos deve ser atestada, mas essa checagem desmonta a tese segunda qual ele receberia um grande salário para dividir com um ex-prefeito e um vereador.
Outro dado que tem aparecido de maneira muito distorcida é a lotação de todos os servidores como funcionários do gabinete do prefeito. Na verdade…

PRIMEIRA CHAPA CONFIRMADA: HIGOR E MARCELO MARINHEIRO

Nem o isolamento social imposto pela pandemia de Covid-19 freou as articulações políticas. Respeitando as restrições e orientações da Organização Mundial da Saúde, o empresário Higor da Universidade Infantil e o vereador Marcelo Marinheiro se encontraram na manhã desta segunda-feira (30) e definiram que formarão chapa visando as pré-candidaturas a prefeito e vice-prefeito de Chapadinha nas eleições de 2020.
Em contato com o Blog do Braga, a dupla afirmou que já vinha conversando nas últimas semanas e que tomaram a decisão após análise das últimas pesquisas de intenção de voto, que indicariam a viabilidade da composição.
Em meio às incertezas jurídicas de outros concorrentes, Chapadinha ganha a primeira chapa 100% definida e ficha-limpa para as próximas eleições. Após o término do período de isolamento social proposto pela OMS os pré-candidatos informarão o calendário de eventos destinados à propagação das suas plataformas políticas.
“Por enquanto, nos cabe apenas desejar a todos mui…

Prefeitura com mais verbas, contratados ainda sem salário

Apesar da crise de saúde pública, o município de Chapadinha continua recebendo recursos do governo federal para manter os salários em dia. Esta é a conclusão que chegamos ao analisar os números disponíveis no Demonstrativo de Distribuição de Arrecadação do Banco do Brasil.
O Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) transferiu para os cofres da Prefeitura mais de 25 milhões de reais (R$ 25.428.087,96) nos quatro primeiros meses do ano. A cifra é 17,09% maior do que o valor recebido no mesmo período de 2019, que já apresentava crescimento de 23,6% em relação ao ano anterior.
Este blog não costuma usar números soltos de maneira sensacionalista. É necessário ler e interpretar com noção de proporção. Será se este valor é realmente grande? Será se é suficiente? Sim. Segundo o próprio prefeito em entrevista ao portal Papo Cidade a folha salarial mensal da Secretaria de Educação, comandada agora pela sua irmã, é de R$ 4.235.649,79. Ou seja, o valor que o município r…