Pular para o conteúdo principal

A Câmara e o Zapzap


Uns seis meses antes de morrer Umberto Eco fez sua crítica mais contundente ao papel das novas tecnologias na sociedade atual: “As redes sociais dão o direito à palavra a uma legião de imbecis que antes falavam apenas em um bar e depois de uma taça de vinho, sem prejudicar a coletividade".

A frase dita por tão renomado escritor italiano nos dá a certeza que o processo de disseminação de informações sem critério que nos espanta no Brasil não tem fronteira, é global. Com a pulverização da capacidade de gerar e distribuir conteúdo, qualquer um em qualquer lugar pode atingir os 15 minutos de fama que Andy Warhol nos prometeu sem ter responsabilidade com o que é dito. É um drama que silencia o preparo, diminui a importância do esforço e da técnica ao dar relevância para a gritaria vazia.

Na última sessão da Câmara Municipal de Chapadinha ganhou destaque o bate-boca entre dois representantes eleitos pelo povo e um ex-candidato a vereador na coligação da ex-prefeita Belezinha. Como qualquer cidadão numa democracia, o suplente tem todo o direito de manifestar suas opiniões independentemente dos 239 votos que conquistou de maneira honrosa na última eleição ou dos que poderá alcançar no ano que vem.

Os atacados é que precisam escutar os alertas feitos pelo vereador Nonato Baleco no seu pronunciamento: 1. Quem está na vida pública será atacado. O que extrapola deve ser questionado na Justiça. 2. Com a aproximação do processo eleitoral as críticas serão ainda maiores por quem deseja ocupar suas cadeiras. 3. A obrigação deles é governar a cidade para 80 mil habitantes, e não para um grupo de WhatsApp com 256 pessoas.

É difícil manter a noção de proporção quando até senadores da República se prestam ao papel ridículo de decidirem voto em matérias legislativas com base em enquetes de internet. Não podemos confundir a obrigação que os agentes públicos têm de ouvir sociedade com a condição de reféns de grupos virtuais. Isto não é mais do que o velho populismo que marca a política brasileira, agora digitalizado.

Cobrada por um vereador a dar satisfação sobre “um membro da mesa diretora” que foi “jogado nas redes sociais com denúncias de falcatruas”, a presidente professora Vera fez muito bem em não responder e pedir que o questionamento fosse feito de maneira simples e direta. Como chefe de um poder ela demonstrou saber que deve satisfação ao povo, às instituições e às leis, não ao “disse me disse” do zap zap. Que sirva de lição.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O que não te disseram sobre a "farra dos contracheques"

Enquanto a gritaria tomava conta das redes sociais, me dediquei a estudar a folha de pagamento da Prefeitura de Chapadinha e verifiquei alguns dados que precisam ser esclarecidos.
Primeiro, nenhum vigia “recebe” R$ 6 mil. O presente do indicativo é usado para demonstrar ação continuada. E o vigia Marcelo Costa Abreu, segundo este mesmo Portal da Transparência que serve de fonte para pinçar informações pela metade e causar alvoroço, tem um salário de R$ 1.247,50. Nos meses de Setembro e Outubro ele recebeu gratificações para compensar outros serviços que ele teria prestado à administração municipal, segundo relato dele mesmo em áudio que circula nos grupos de WhatsApp.
A realização destes trabalhos deve ser atestada, mas essa checagem desmonta a tese segunda qual ele receberia um grande salário para dividir com um ex-prefeito e um vereador.
Outro dado que tem aparecido de maneira muito distorcida é a lotação de todos os servidores como funcionários do gabinete do prefeito. Na verdade…

PRIMEIRA CHAPA CONFIRMADA: HIGOR E MARCELO MARINHEIRO

Nem o isolamento social imposto pela pandemia de Covid-19 freou as articulações políticas. Respeitando as restrições e orientações da Organização Mundial da Saúde, o empresário Higor da Universidade Infantil e o vereador Marcelo Marinheiro se encontraram na manhã desta segunda-feira (30) e definiram que formarão chapa visando as pré-candidaturas a prefeito e vice-prefeito de Chapadinha nas eleições de 2020.
Em contato com o Blog do Braga, a dupla afirmou que já vinha conversando nas últimas semanas e que tomaram a decisão após análise das últimas pesquisas de intenção de voto, que indicariam a viabilidade da composição.
Em meio às incertezas jurídicas de outros concorrentes, Chapadinha ganha a primeira chapa 100% definida e ficha-limpa para as próximas eleições. Após o término do período de isolamento social proposto pela OMS os pré-candidatos informarão o calendário de eventos destinados à propagação das suas plataformas políticas.
“Por enquanto, nos cabe apenas desejar a todos mui…

Prefeitura com mais verbas, contratados ainda sem salário

Apesar da crise de saúde pública, o município de Chapadinha continua recebendo recursos do governo federal para manter os salários em dia. Esta é a conclusão que chegamos ao analisar os números disponíveis no Demonstrativo de Distribuição de Arrecadação do Banco do Brasil.
O Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) transferiu para os cofres da Prefeitura mais de 25 milhões de reais (R$ 25.428.087,96) nos quatro primeiros meses do ano. A cifra é 17,09% maior do que o valor recebido no mesmo período de 2019, que já apresentava crescimento de 23,6% em relação ao ano anterior.
Este blog não costuma usar números soltos de maneira sensacionalista. É necessário ler e interpretar com noção de proporção. Será se este valor é realmente grande? Será se é suficiente? Sim. Segundo o próprio prefeito em entrevista ao portal Papo Cidade a folha salarial mensal da Secretaria de Educação, comandada agora pela sua irmã, é de R$ 4.235.649,79. Ou seja, o valor que o município r…