Pular para o conteúdo principal

Professora Vera: “Queriam que eu devolvesse o dinheiro para a Prefeitura dividir entre os vereadores”


Presidente com a mesa de som antiga e a comprada pela sua gestão
Nova matéria do Blog do Alpanir Mesquita sobre gastos da Câmara Municipal levou a presidente da Casa, Professora Vera, a fazer denúncias graves na sessão desta terça-feira (28).

“Eu tenho um documento que quando eu assumi a presidência da Câmara me entregaram (dizendo) que eu teria que devolver todos os meses o restante do dinheiro da Câmara para a Prefeitura. Sabem para que? Para dividir entre os vereadores”, afirmou a presidente, alegando que parlamentares descontentes estariam por trás das publicações do blogueiro de Vargem Grande.

Segundo o texto publicado foram pagos R$ 158 mil à loja Digital Informática em 2017 para a aquisição de materiais de informática, o que a presidente justificou com a compra de equipamentos para o funcionamento da Rádio Câmara e as transmissões dos trabalhos legislativos, mas a maior parte do seu pronunciamento foi destinado a rebater os parlamentares que teriam plantado a matéria, apesar dela não ter revelado quem seriam.

A “mulher que não abera” chamou os seus adversários internos de cretinos e reafirmou: “Este documento existe, está guardadinho, pra na hora que eu precisar dele ele vir à tona”.

Outro lado
Ouvido pelo blog, Alpanir Mesquita preferiu não comentar o discurso da vereadora.

Outro destaque
A sessão também teve como destaque o duro pronunciamento do vereador Marcelo Marinheiro com críticas à coleta de lixo e à Secretaria de Saúde escancarando sua oposição ao governo Magno Bacelar. Assunto para os próximos textos.

Imagens: Foguinho Mídia

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O que não te disseram sobre a "farra dos contracheques"

Enquanto a gritaria tomava conta das redes sociais, me dediquei a estudar a folha de pagamento da Prefeitura de Chapadinha e verifiquei alguns dados que precisam ser esclarecidos.
Primeiro, nenhum vigia “recebe” R$ 6 mil. O presente do indicativo é usado para demonstrar ação continuada. E o vigia Marcelo Costa Abreu, segundo este mesmo Portal da Transparência que serve de fonte para pinçar informações pela metade e causar alvoroço, tem um salário de R$ 1.247,50. Nos meses de Setembro e Outubro ele recebeu gratificações para compensar outros serviços que ele teria prestado à administração municipal, segundo relato dele mesmo em áudio que circula nos grupos de WhatsApp.
A realização destes trabalhos deve ser atestada, mas essa checagem desmonta a tese segunda qual ele receberia um grande salário para dividir com um ex-prefeito e um vereador.
Outro dado que tem aparecido de maneira muito distorcida é a lotação de todos os servidores como funcionários do gabinete do prefeito. Na verdade…

EM PRIMEIRA MÃO: EX-PREFEITA PERDE O MANDATO DE DEPUTADA

Durou pouco a passagem da ex-prefeita Ducilene Belezinha (PL) na Assembleia Legislativa do Maranhão. Ela havia sido empossada no cargo de deputada estadual no mês passado devendo favor ao deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL) que determinou que a esposa, Detinha (PL), saísse de licença. Ocorre que Belezinha foi apenas a quinta suplente da coligação, e sua a posse dependeu do falecimento de um deputado e a nomeação de três parlamentares no secretariado do governador Flávio Dino, mas um deles voltou ontem (6) para o legislativo, aliás, uma secretária: Ana do Gás (PCdoB).
Parlamentar com votação expressiva em Chapadinha na eleição de 2014, quando teve o apoio do hoje prefeito Magno Bacelar, a comunista ocupava a Secretaria de Estado da Mulher, mas decidiu reassumir o mandato de deputada levando a ex-prefeita de volta à condição de suplente.Festejado com carreata organizada por seus apoiadores com pouquíssima participação popular, o mandato de Belezinha na Assembleia durou 13 dias.…

ORINALDO ANUNCIA ROMPIMENTO COM MAGNO E APOIO A HIGOR ALMEIDA

O ex-vereador Orinaldo Araújo, esposo da vereadora Missecley, gravou hoje mensagem para anunciar seu desligamento do grupo político do prefeito Magno Bacelar.Ao lado de três dos seus quatro filhos Orinaldo afirmou que ainda não conversou com o Higor Almeida, mas apoiará sua candidatura. “É o que candidato que representa realmente aquilo que a gente pensa, aquilo que a gente quer pro nosso município”, afirmou.Havia chamado a atenção do meio político as ausências de Orinaldo e Missecley do primeiro comício de campanha do prefeito, realizado no bairro em que eles moram e têm forte base eleitoral.A insegurança jurídica da candidatura do prefeito e o forte desgaste apresentado nas pesquisas de opinião devem gerar novas adesões nos próximos dias.