Pular para o conteúdo principal

O diesel aumentou e os caminhoneiros têm culpa nisso


A política de preço implementada pelo então presidente da Petrobras, Pedro Parente, definiu que diariamente o preço dos combustíveis poderia ser alterado de acordo com as oscilações dos preços do barril de petróleo e do dólar no mercado financeiro. Desta maneira, o óleo diesel S-10 sofreu um reajuste de 21,4% em dois meses. O resultado foi a greve dos caminhoneiros que parou o país em maio do ano passado.

Para encerrar a greve os caminheiros não exigiram a mudança na política de preço, apenas que o preço do combustível diminuísse. Mirando no efeito e não na causa, eles deram margem para o governo Temer resolver o problema anunciando subsídio no preço do diesel até o final do ano. Ou seja, o preço continuaria sendo aumentado pela Petrobrás, mas o governo pagaria à estatal a diferença para o consumidor não sentir a diferença diretamente no bolso.

Paradoxalmente, estes mesmos caminhoneiros apoiavam o então pré-candidato e hoje presidente Jair Bolsonaro que já se abraçava com a agenda econômica liberal para ganhar simpatia do mercado financeiro e já tinha Paulo Guedes como ministro da economia anunciado esbravejando contra qualquer política de subsídio. Ou seja, os grevistas lutavam por uma solução que tinha data certa para acabar.  

Vamos aos números para entender como andamos em círculos:

Em março de 2018, quando a Petrobras distribuía o diesel a R$ 2,26, o barril do petróleo era comercializado a US$ 65,49 e o dólar estava em R$ 3,25. Ou seja, o barril do petróleo custava R$ 212.

Em maio, mês no qual estourou a greve, o diesel era distribuído por R$ 2,75. Um reajuste acumulado de 21,4% porque o barril do petróleo passou para US$ 78,51 e o dólar estava em R$ 3,74. Ou seja, o barril do petróleo custava R$ 293.

Até ontem o diesel estava sendo distribuído a R$ 2,51, mas o barril de petróleo bateu a máxima do ano em US$ 72,27 e o dólar está em R$ 3,94. Ou seja, o barril do petróleo está custando R$ 284.

Se o preço do diesel até ontem estava 8,7% abaixo daquele que gerou a crise no ano passado, mas o preço do petróleo está apenas 3% abaixo daquele tempo, o governo federal tinha três opções:

1. Congelar o preço do diesel sacrificando o lucro da Petrobras e desagradando o mercado;
2. Pagar a diferença com os nossos impostos;
3. Reajustar o preço do combustível.

O reajuste, que impacta os preços dos fretes e, portanto, de todos os produtos brasileiros, é fruto da falta de uma política energética que dê ao país autonomia em relação ao mercado internacional.

Temos reservas naturais e conhecimento técnico para resolver nosso problema internamente, mas só no ano passado compramos do exterior 21,9 BILHÕES DE DÓLARES de produtos derivados de petróleo. Isto representa 12,1% de todas as nossas importações. Dinheiro que poderia estar sendo investido aqui gerando os empregos precisamos.

O governo Dilma errou em não construir as refinarias Premium de Bacabeira e de Pecém, o governo Temer aumentou a dependência brasileira do mercado externo e o governo atual, eleito com apoio dos caminhoneiros, tem como projeto central fazer a entrega total da nossa matriz enérgica.

Que Deus tenha misericórdia dessa nação.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O que não te disseram sobre a "farra dos contracheques"

Enquanto a gritaria tomava conta das redes sociais, me dediquei a estudar a folha de pagamento da Prefeitura de Chapadinha e verifiquei alguns dados que precisam ser esclarecidos.
Primeiro, nenhum vigia “recebe” R$ 6 mil. O presente do indicativo é usado para demonstrar ação continuada. E o vigia Marcelo Costa Abreu, segundo este mesmo Portal da Transparência que serve de fonte para pinçar informações pela metade e causar alvoroço, tem um salário de R$ 1.247,50. Nos meses de Setembro e Outubro ele recebeu gratificações para compensar outros serviços que ele teria prestado à administração municipal, segundo relato dele mesmo em áudio que circula nos grupos de WhatsApp.
A realização destes trabalhos deve ser atestada, mas essa checagem desmonta a tese segunda qual ele receberia um grande salário para dividir com um ex-prefeito e um vereador.
Outro dado que tem aparecido de maneira muito distorcida é a lotação de todos os servidores como funcionários do gabinete do prefeito. Na verdade…

PRIMEIRA CHAPA CONFIRMADA: HIGOR E MARCELO MARINHEIRO

Nem o isolamento social imposto pela pandemia de Covid-19 freou as articulações políticas. Respeitando as restrições e orientações da Organização Mundial da Saúde, o empresário Higor da Universidade Infantil e o vereador Marcelo Marinheiro se encontraram na manhã desta segunda-feira (30) e definiram que formarão chapa visando as pré-candidaturas a prefeito e vice-prefeito de Chapadinha nas eleições de 2020.
Em contato com o Blog do Braga, a dupla afirmou que já vinha conversando nas últimas semanas e que tomaram a decisão após análise das últimas pesquisas de intenção de voto, que indicariam a viabilidade da composição.
Em meio às incertezas jurídicas de outros concorrentes, Chapadinha ganha a primeira chapa 100% definida e ficha-limpa para as próximas eleições. Após o término do período de isolamento social proposto pela OMS os pré-candidatos informarão o calendário de eventos destinados à propagação das suas plataformas políticas.
“Por enquanto, nos cabe apenas desejar a todos mui…

Prefeitura com mais verbas, contratados ainda sem salário

Apesar da crise de saúde pública, o município de Chapadinha continua recebendo recursos do governo federal para manter os salários em dia. Esta é a conclusão que chegamos ao analisar os números disponíveis no Demonstrativo de Distribuição de Arrecadação do Banco do Brasil.
O Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) transferiu para os cofres da Prefeitura mais de 25 milhões de reais (R$ 25.428.087,96) nos quatro primeiros meses do ano. A cifra é 17,09% maior do que o valor recebido no mesmo período de 2019, que já apresentava crescimento de 23,6% em relação ao ano anterior.
Este blog não costuma usar números soltos de maneira sensacionalista. É necessário ler e interpretar com noção de proporção. Será se este valor é realmente grande? Será se é suficiente? Sim. Segundo o próprio prefeito em entrevista ao portal Papo Cidade a folha salarial mensal da Secretaria de Educação, comandada agora pela sua irmã, é de R$ 4.235.649,79. Ou seja, o valor que o município r…