Pular para o conteúdo principal

Nova vitória de Belezinha no TRE atrasa decisão sobre candidatura

Belezinha com o advogado Carlos Sérgio


O processo eleitoral que a ex-prefeita de Chapadinha Ducilene Belezinha responde por compra de votos teve um novo episódio. Condenada na primeira instância a perda dos direitos políticos em sentença assinada pelo juiz Cristiano Simas, Belezinha recorreu à segunda instância e conseguiu ser absolvida em julgamento do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) em abril do ano passado, o que possibilitou sua candidatura a deputada estadual, mas o acordão da decisão nunca havia sido publicado.

Depois de quase um ano com o TRE segurando o processo, o Diário da Justiça Eletrônico (DJE) trouxe ontem (11) o acórdão da decisão. Nele, o presidente da Corte, desembargador Ricardo Duailibe, declara que o recurso apresentado pela acusação para o processo ainda ser julgado na última instância, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em Brasília, é “mero inconformismo”.

Ainda no acórdão, Duailibe afirma que a decisão do tribunal regional que absolveu Belezinha está de acordo com a jurisprudência dominante no tribunal superior e que, portanto, não admite o recurso para o processo seguir para Brasília.

A assessoria jurídica que atua no processo representando a coligação “Chapadinha De Todos Nós” estranha a decisão, datada do dia 22 de fevereiro, e decidiu apresentar agravo de instrumento, com base no §5º do art. 279 do Código Eleitoral, que não pode ser negado pelo presidente.

A medida forçará a subida do processo para Brasília, onde ministro Luís Roberto Barroso deverá relatar o caso, devido já ter sido o relator da ação da coligação de Belezinha que pedia a suspeição do juiz Cristiano Simas.

O conjunto de provas, que inclui uma gravação de áudio do articulador político da ex-prefeita comprando votos (lembre do caso aqui), faz com que seja grande a expectativa pela tramitação do processo em Brasília. Apesar do TRE (que liberou a candidatura de Isaías por unanimidade em 2008) ter decidido favoravelmente a Belezinha, espera-se que o TSE confirme a decisão da primeira instância. A questão agora é quando.

Belezinha ganhou muito tempo com o processo parado no TRE por quase um ano e Chapadinha deve ficar até as vésperas das convenções do ano que vem sem ter a certeza se a favorita poderá ou não concorrer.

Procurada, a assessoria jurídica da ex-prefeita não se pronunciou até a publicação deste texto.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O que não te disseram sobre a "farra dos contracheques"

Enquanto a gritaria tomava conta das redes sociais, me dediquei a estudar a folha de pagamento da Prefeitura de Chapadinha e verifiquei alguns dados que precisam ser esclarecidos.
Primeiro, nenhum vigia “recebe” R$ 6 mil. O presente do indicativo é usado para demonstrar ação continuada. E o vigia Marcelo Costa Abreu, segundo este mesmo Portal da Transparência que serve de fonte para pinçar informações pela metade e causar alvoroço, tem um salário de R$ 1.247,50. Nos meses de Setembro e Outubro ele recebeu gratificações para compensar outros serviços que ele teria prestado à administração municipal, segundo relato dele mesmo em áudio que circula nos grupos de WhatsApp.
A realização destes trabalhos deve ser atestada, mas essa checagem desmonta a tese segunda qual ele receberia um grande salário para dividir com um ex-prefeito e um vereador.
Outro dado que tem aparecido de maneira muito distorcida é a lotação de todos os servidores como funcionários do gabinete do prefeito. Na verdade…

EM PRIMEIRA MÃO: EX-PREFEITA PERDE O MANDATO DE DEPUTADA

Durou pouco a passagem da ex-prefeita Ducilene Belezinha (PL) na Assembleia Legislativa do Maranhão. Ela havia sido empossada no cargo de deputada estadual no mês passado devendo favor ao deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL) que determinou que a esposa, Detinha (PL), saísse de licença. Ocorre que Belezinha foi apenas a quinta suplente da coligação, e sua a posse dependeu do falecimento de um deputado e a nomeação de três parlamentares no secretariado do governador Flávio Dino, mas um deles voltou ontem (6) para o legislativo, aliás, uma secretária: Ana do Gás (PCdoB).
Parlamentar com votação expressiva em Chapadinha na eleição de 2014, quando teve o apoio do hoje prefeito Magno Bacelar, a comunista ocupava a Secretaria de Estado da Mulher, mas decidiu reassumir o mandato de deputada levando a ex-prefeita de volta à condição de suplente.Festejado com carreata organizada por seus apoiadores com pouquíssima participação popular, o mandato de Belezinha na Assembleia durou 13 dias.…

ORINALDO ANUNCIA ROMPIMENTO COM MAGNO E APOIO A HIGOR ALMEIDA

O ex-vereador Orinaldo Araújo, esposo da vereadora Missecley, gravou hoje mensagem para anunciar seu desligamento do grupo político do prefeito Magno Bacelar.Ao lado de três dos seus quatro filhos Orinaldo afirmou que ainda não conversou com o Higor Almeida, mas apoiará sua candidatura. “É o que candidato que representa realmente aquilo que a gente pensa, aquilo que a gente quer pro nosso município”, afirmou.Havia chamado a atenção do meio político as ausências de Orinaldo e Missecley do primeiro comício de campanha do prefeito, realizado no bairro em que eles moram e têm forte base eleitoral.A insegurança jurídica da candidatura do prefeito e o forte desgaste apresentado nas pesquisas de opinião devem gerar novas adesões nos próximos dias.