Pular para o conteúdo principal

Nascer e se tornar mulher 70 anos depois


O livro “O segundo sexo”, de Simone de Beauvoir, completa 70 anos de sua publicação e continua sendo criticado por quem nunca o leu. Nele que é publicada pela primeira vez a frase “não se nasce mulher, torna-se mulher”, que voltou a gerar discussões depois de aparecer no Enem e recentemente ser citada por um ministro do Supremo Tribunal Federal num julgamento sobre homofobia.

É óbvio que Beauvoir não se referia ao aspecto biológico. Salvo as exceções, todos nascem com pipiu ou pepeca. O resultado dessa diferenciação natural que é o objeto de estudo e análise da filósofa francesa, a construção social em torno do ser feminino.

Homens não nascem gostando de futebol, de carros, vestindo azul e reafirmando a própria virilidade a cada frase. Mulheres também não nascem gostando novela, de boneca, vestindo rosa e com “tristeza de se saber mulher, feita apenas para amar, para sofrer pelo seu amor e pra ser só perdão”, para citar o poetinha.

Nós nos tornamos aquilo que o meio nos impõe sob vários aspectos e no início do século passado, o que se esperava das mulheres é que não tivessem acesso à educação formal, ao mercado de trabalho, que não tivessem direito de votar nem serem votadas, que vivessem para cuidar dos homens e suportar caladas tudo que fosse feito com elas. Subalternas, fraquejadas, um segundo sexo.

De lá pra cá, muito se avançou com a consciência de que as mulheres podem ser o que elas quiserem. E se ela quiser ser uma dona de casa que viva para cuidar da família ela tem esse direito tanto quanto um homem pode tomar essa mesma decisão para si, mas elas também podem sair e ganhar o mundo.

Subjugar metade da humanidade não é algo positivo nem para a outra metade privilegiada, é um atraso que precisa ser vencido por todos. A diferença inicial, biológica, dá a homens e mulheres diferentes níveis de dificuldade e de liberdade na vida e é nosso dever moral trabalhar para mitigá-los.

“Que nada nos defina, que nada nos sujeite. Que a liberdade seja a nossa própria substância, já que viver é ser livre” (Simone de Beauvoir)



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

BELEZINHA ASFALTOU ATÉ O CAMINHO PARA A REELEIÇÃO

Passada a eleição estadual, o único grupo vencedor em Chapadinha foi o que já ocupa a Prefeitura. O resto se dividiu entre sobreviventes, humilhados e aposentados. Após ter sido a candidata a deputada estadual mais votada da história do município em 2018, com 12.403 votos, Belezinha alargou o recorde com os 18.548 votos de Aluizio Santos, elegendo-o para o cargo e vendo os adversários absolutamente perdidos. Se na eleição anterior os demais grupos se dividiram em 8 candidaturas acima da faixa de 500 votos, somando 17.752, desta vez foram 11 candidaturas e apenas 15.109 votos. A pulverização e o desempenho fraco já demonstram que a oposição teria dificuldade de derrotar a prefeita mesmo se conseguisse uma improvável união para 2024. Entre os derrotados da eleição destacam-se os ex-prefeitos. Dr. Magno Bacelar passou pelo segundo constrangimento seguido (e desnecessário) sem conseguir mais do que 679 votos para Adriano Sarney e Isaías Fortes, que ficou aquém do prometido a Davi Bra

FLÁVIO DINO INAUGURA IEMA E PEDE QUE BELEZINHA ENTREGUE UPA AO ESTADO

Nesta manhã Chapadinha recebeu Flávio Dino pela última vez antes de deixar o cargo de governador. Antes de seguir para outros municípios da região entregando outros aparelhos públicos, o socialista inaugurou a unidade local do Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMA), e a cerimônia foi movimentada, principalmente nos seus bastidores! Ausente do evento supostamente por motivo de saúde Belezinha foi representada pelo vice-prefeito que ouviu do governador novo apelo para que o município entregue a gestão da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) para o governo do estado. “Eu não olho quem é o prefeito, eu não olho partido. O meu partido é o Maranhão e por isso eu sempre estarei a disposição da cidade de Chapadinha”, disse em discurso. Confira:   O governador já tinha se colocado a disposição para assumir a responsabilidade da UPA na sua última visita a Chapadinha e o vice-prefeito até foi às redes sociais defender a entrega da unidade. Ambos foram ignorados por Be

ALUIZIO SANTOS FALA SOBRE SUA SAÚDE

O secretário Aluizio Santos concedeu entrevista ao programa Alerta Geral, apresentado pelo jornalista Luis Carlos Jr. na rádio Cultura de Chapadinha, nesta manhã (10) e tratou do assunto que já estava dominando as rodas de conversa da política local: seu estado de saúde. Segundo o relato, desde o mês de junho ele estava acompanhando o aumento de dois linfonodos na sua virilha e decidiu, com a equipe de médicos que o acompanha em Chapadinha, pela remoção cirúrgica de ambos. O procedimento aconteceu no dia 25 de outubro e desde então ele ficou em repouso. O diagnóstico conclusivo sobre o tratamento de saúde ao qual ele precisará se submeter deverá ser apresentado em 10 dias, mas Aluizio tem voltado às atividades políticas, inclusive às articulações da sua pré-candidatura a deputado estadual. Assista o vídeo da entrevista no final da matéria.   ENTENDA O QUADRO A íngua é o inchaço dos linfonodos, pequenos órgãos do sistema linfático que atuam na defesa do organismo humano prod