Pular para o conteúdo principal

Flávio Dino não está para brincadeira


O Nordeste brasileiro é a região com o maior número de estados. Havia outras 8 capitais para os governadores se reunirem, mas São Luís foi a cidade escolhida para a fundação do consórcio que reúne agora as nove unidades da federação.

O governador Flávio Dino vai se consolidando como a principal liderança política da região onde o presidente Jair Bolsonaro perdeu a eleição de 2018 e a possibilidade de uma candidatura sua ao Palácio do Planalto é cada vez mais real.

Depois de derrotar e devastar o grupo político do ex-presidente José Sarney, Dino faz o governo com mais realizações no estado desde o próprio Sarney (1965-1970) e tem um céu de brigadeiro à sua frente para o segundo mandato. Na Assembleia Legislativa viu a oposição encolher para apenas 3 dos 42 deputados, elegeu 12 dos 18 deputados federais do Maranhão e os três senadores do estado (um, rompido, saiu minúsculo da última eleição).

Dino montou o secretariado com nomes técnicos e da sua estrita confiança nos cargos chave, o que lhe dá liberdade de deixar a gestão em modo automático e cuidar de fazer política. No cálculo para a construção de sua candidatura presidencial, adicione ao presente positivo o passado de quem foi juiz federal aprovado em primeiro lugar e deputado federal de um único e marcante mandato.

Agora considere o futuro imediato. Lula está e continuará preso. Irrevogavelmente interditado para a disputa eleitoral. O PT de Haddad e o PDT de Ciro Gomes seguem focados na lavagem de roupa suja pública motivada por mágoas nascidas na última eleição. E Flávio Dino passa ao largo fazendo política num partido que não tem estrela maior, com convites de outras legendas e sem perder uma oportunidade de se contrapor ao governo Bolsonaro.

Em 2002, Roseana Sarney era a segunda colocada nas simulações de primeiro turno e vencia Lula na simulação de segundo turno quando uma operação da Polícia Federal abortou sua candidatura presidencial. Se outro ex-juiz federal, o hoje ministro Sérgio Moro, não voltar a usar a PF para tirar adversários do páreo, o governador Flávio Dino tem tudo para construir uma candidatura presidencial viável.

Foto: (Antônio Cruz/Agência Brasil)

Comentários

Fabão disse…
No final da matéria vc se refere ao ministro Moro como uma ameaça aos planos políticos de Dino. O governador Flávio Dino deve temer a movimentação da justiça? Ele está com o rabo preso? (sem insinuações irônicas).

E tem mais um porém, com a decisão do STF em separar os crimes de cx2 para a justiça eleitoral, toda e qualquer decisão poderá ser revogada pois perde validade e o Lula poderá ser beneficiado, já q sua sentença pode ser anulada e ele volta ao jogo político eliminando assim as possibilidades de Dino ser a única alternativa da esquerda.
O melhor q Flávio Dino pode fazer é baixar o ICMS!

Postagens mais visitadas deste blog

O que não te disseram sobre a "farra dos contracheques"

Enquanto a gritaria tomava conta das redes sociais, me dediquei a estudar a folha de pagamento da Prefeitura de Chapadinha e verifiquei alguns dados que precisam ser esclarecidos.
Primeiro, nenhum vigia “recebe” R$ 6 mil. O presente do indicativo é usado para demonstrar ação continuada. E o vigia Marcelo Costa Abreu, segundo este mesmo Portal da Transparência que serve de fonte para pinçar informações pela metade e causar alvoroço, tem um salário de R$ 1.247,50. Nos meses de Setembro e Outubro ele recebeu gratificações para compensar outros serviços que ele teria prestado à administração municipal, segundo relato dele mesmo em áudio que circula nos grupos de WhatsApp.
A realização destes trabalhos deve ser atestada, mas essa checagem desmonta a tese segunda qual ele receberia um grande salário para dividir com um ex-prefeito e um vereador.
Outro dado que tem aparecido de maneira muito distorcida é a lotação de todos os servidores como funcionários do gabinete do prefeito. Na verdade…

EM PRIMEIRA MÃO: EX-PREFEITA PERDE O MANDATO DE DEPUTADA

Durou pouco a passagem da ex-prefeita Ducilene Belezinha (PL) na Assembleia Legislativa do Maranhão. Ela havia sido empossada no cargo de deputada estadual no mês passado devendo favor ao deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL) que determinou que a esposa, Detinha (PL), saísse de licença. Ocorre que Belezinha foi apenas a quinta suplente da coligação, e sua a posse dependeu do falecimento de um deputado e a nomeação de três parlamentares no secretariado do governador Flávio Dino, mas um deles voltou ontem (6) para o legislativo, aliás, uma secretária: Ana do Gás (PCdoB).
Parlamentar com votação expressiva em Chapadinha na eleição de 2014, quando teve o apoio do hoje prefeito Magno Bacelar, a comunista ocupava a Secretaria de Estado da Mulher, mas decidiu reassumir o mandato de deputada levando a ex-prefeita de volta à condição de suplente.Festejado com carreata organizada por seus apoiadores com pouquíssima participação popular, o mandato de Belezinha na Assembleia durou 13 dias.…

ORINALDO ANUNCIA ROMPIMENTO COM MAGNO E APOIO A HIGOR ALMEIDA

O ex-vereador Orinaldo Araújo, esposo da vereadora Missecley, gravou hoje mensagem para anunciar seu desligamento do grupo político do prefeito Magno Bacelar.Ao lado de três dos seus quatro filhos Orinaldo afirmou que ainda não conversou com o Higor Almeida, mas apoiará sua candidatura. “É o que candidato que representa realmente aquilo que a gente pensa, aquilo que a gente quer pro nosso município”, afirmou.Havia chamado a atenção do meio político as ausências de Orinaldo e Missecley do primeiro comício de campanha do prefeito, realizado no bairro em que eles moram e têm forte base eleitoral.A insegurança jurídica da candidatura do prefeito e o forte desgaste apresentado nas pesquisas de opinião devem gerar novas adesões nos próximos dias.