Pular para o conteúdo principal

Ele também está voltando igualzinho


O advogado da ex-prefeita Ducilene Belezinha, Dr. Carlos Sérgio de Barros, demonstra, assim como a cliente, não ter aprendido nada. Ele é o mesmo que ficou famoso em Chapadinha quando afirmou que Magno Bacelar não iria poder ser candidato a prefeito em 2016 e quando chegou a aparecer em vídeo garantindo que era verdadeira a pesquisa espalhada pela cidade de madrugada (e recolhida pela Justiça 12h depois) que mostrava a então candidata à reeleição na frente das preferências de votos.

Como se sabe, a pesquisa era falsa, Belezinha perderia a eleição no dia seguinte por 3.603 votos e Magno não apenas foi candidato como foi também eleito, diplomado, empossado e está aí até hoje.

Agora o advogado reaparece dando chilique porque este Blog noticia o que não convém à sua cliente e que ele acaba admitindo depois de longo falatório em nota publicada ontem: A ação que a ex-prefeita responde por compra de voto continua sub judice e vai ser apreciada em Brasília.

Como virou moda na era bolsonariana chamar de “fake news” qualquer matéria desagradável para si, o advogado se refere assim a postagem deste Blog sem desmentir nenhuma informação nela publicada.

Os fatos:

1. O Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão (TRE-MA) publicou anteontem o acórdão da decisão que permitiu Belezinha concorrer ao cargo de deputada estadual no ano passado. Mentira? Não, verdade. 
2. O presidente da corte negou recurso especial apresentado pela acusação contra a decisão. Mentira? Não, verdade.

O leitor pode clicar aqui e ver na edição de 11 de março de 2019 do Diário da Justiça Eletrônico (DJE) a veracidade do que é publicado neste espaço.

O Blog procurou as duas partes para repercutir a decisão. O próprio Carlos Sérgio escolheu não responder contato do Blog, que é um direito dele. O advogado da outra coligação respondeu, estranhou a negativa do recurso e anunciou a apresentação de agravo de instrumento, que não pode ser negado pelo presidente do TRE e que fará o caso subir para o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Mentira? Não, verdade. Confira aqui o §5º do art. 279 do Código Eleitoral.

A certeza que o advogado tem sobre a candidatura da cliente é a mesma que ele tinha sobre a veracidade da famosa pesquisa da madrugada, mas nós só saberemos se ela poderá ser candidata depois que o TSE se pronunciar. 

Sobre 2016

Quando os partidos políticos apresentam seus candidatos à Justiça Eleitoral, qualquer eleitor pode impugnar o pedido de registro das candidaturas num prazo de dois dias. Em 2016, os aliados de Belezinha pediram a impugnação de Magno Bacelar com base em pareceres do Tribunal de Contas do Estado (TCE), que orientavam à Câmara Municipal (de quem é a última palavra) a reprovação de contas referentes a governos anteriores. 

Além de terem perdido no voto, acabaram perdendo nas três instâncias da Justiça Eleitoral, mas poderiam ter vencido. Se fossem competentes, poderiam ter evitado a candidatura de Magno em 2016 porque ele tinha outras pendências judiciais que o impediam.

Meses antes das convenções, o prefeito tinha duas condenações com trânsito em julgado no Tribunal de Contas da União (TCU). Ele conseguiu anular uma das condenações no Tribunal Regional Federal e a outra condenação não apareceu na lista publicada pelo TCU. 

Acontece que a lista que os tribunais publicam em todo período pré-eleitoral são meramente informativas. Com a condenação de Magno que não havia sido anulada, Belezinha e seus advogados poderiam tê-lo tirado da disputa.

E esta condenação não era secreta. Outros pré-candidatos desistiram de entrar na disputa  em Chapadinha por estarem envolvidos na mesma ação. O que faltou foi competência jurídica de quem agora quer dar aula de jornalismo a este blog.

Relembre a última atuação do Dr Carlos Sérgio em Chapadinha:


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O que não te disseram sobre a "farra dos contracheques"

Enquanto a gritaria tomava conta das redes sociais, me dediquei a estudar a folha de pagamento da Prefeitura de Chapadinha e verifiquei alguns dados que precisam ser esclarecidos.
Primeiro, nenhum vigia “recebe” R$ 6 mil. O presente do indicativo é usado para demonstrar ação continuada. E o vigia Marcelo Costa Abreu, segundo este mesmo Portal da Transparência que serve de fonte para pinçar informações pela metade e causar alvoroço, tem um salário de R$ 1.247,50. Nos meses de Setembro e Outubro ele recebeu gratificações para compensar outros serviços que ele teria prestado à administração municipal, segundo relato dele mesmo em áudio que circula nos grupos de WhatsApp.
A realização destes trabalhos deve ser atestada, mas essa checagem desmonta a tese segunda qual ele receberia um grande salário para dividir com um ex-prefeito e um vereador.
Outro dado que tem aparecido de maneira muito distorcida é a lotação de todos os servidores como funcionários do gabinete do prefeito. Na verdade…

PRIMEIRA CHAPA CONFIRMADA: HIGOR E MARCELO MARINHEIRO

Nem o isolamento social imposto pela pandemia de Covid-19 freou as articulações políticas. Respeitando as restrições e orientações da Organização Mundial da Saúde, o empresário Higor da Universidade Infantil e o vereador Marcelo Marinheiro se encontraram na manhã desta segunda-feira (30) e definiram que formarão chapa visando as pré-candidaturas a prefeito e vice-prefeito de Chapadinha nas eleições de 2020.
Em contato com o Blog do Braga, a dupla afirmou que já vinha conversando nas últimas semanas e que tomaram a decisão após análise das últimas pesquisas de intenção de voto, que indicariam a viabilidade da composição.
Em meio às incertezas jurídicas de outros concorrentes, Chapadinha ganha a primeira chapa 100% definida e ficha-limpa para as próximas eleições. Após o término do período de isolamento social proposto pela OMS os pré-candidatos informarão o calendário de eventos destinados à propagação das suas plataformas políticas.
“Por enquanto, nos cabe apenas desejar a todos mui…

Prefeitura com mais verbas, contratados ainda sem salário

Apesar da crise de saúde pública, o município de Chapadinha continua recebendo recursos do governo federal para manter os salários em dia. Esta é a conclusão que chegamos ao analisar os números disponíveis no Demonstrativo de Distribuição de Arrecadação do Banco do Brasil.
O Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) transferiu para os cofres da Prefeitura mais de 25 milhões de reais (R$ 25.428.087,96) nos quatro primeiros meses do ano. A cifra é 17,09% maior do que o valor recebido no mesmo período de 2019, que já apresentava crescimento de 23,6% em relação ao ano anterior.
Este blog não costuma usar números soltos de maneira sensacionalista. É necessário ler e interpretar com noção de proporção. Será se este valor é realmente grande? Será se é suficiente? Sim. Segundo o próprio prefeito em entrevista ao portal Papo Cidade a folha salarial mensal da Secretaria de Educação, comandada agora pela sua irmã, é de R$ 4.235.649,79. Ou seja, o valor que o município r…