Pular para o conteúdo principal

Secretário e Vereadores Trocam Acusações em Rede Social

Briga pode respingar no prefeito

O modelo de governo Bolsonaro com confusão em WhatsApp e lavagem de roupa suja na frente de todo mundo parece que se instalou pra valer em Chapadinha.

Ontem (16), há poucas horas do Sarau de Marchinhas de Carnaval organizado pela Secretaria de Cultura, o vereador Junior Carneiro postou em rede social um questionamento dando a entender que havia muito dinheiro em vão na Cultura e que o recurso seria melhor investido na Saúde.

O secretário de Cultura Djonnes Lima (Edfarma) não gostou e respondeu que um dos motivos da crítica do parlamentar seria a decisão de não alugar mais para os eventos da Secretaria os banheiros químicos de propriedade do vereador. Segundo o Edfarma, eles seriam caros e de péssima qualidade.

A briga parecia encerrada aí quando o líder do governo, vereador Nonato Baleco, saiu em defesa do outro parlamentar considerando desmedida a reposta do secretário. “Junior Carneiro emitiu sua opinião sobre a utilização de recursos públicos. (...) Quem exerce cargo público está sujeito a críticas”, afirmou.

Foi o suficiente para a ira do secretário se voltar em direção a Baleco e começar um bate-boca a nível de qualquer 5ª série com termos como babões, babacas, otários, Zé ruelas, panacas, até chegar em “sugador de dinheiro público”. Aí a coisa ficou séria.

Baleco lembrou o período em que o secretário havia deixado o cargo e passado a criticar o prefeito afirmando que a volta dele ao governo se deu “na velha e pura chantagem” e o secretário respondeu que o episódio teria acontecido para ele receber um dinheiro que teria investido enquanto Baleco jogava sujo para “sugar o capim público”.

A discussão que já era pública em rede social tomou as ruas quando o secretário pegou o microfone no evento pré-carnavalesco e voltou a criticar os parlamentares, sem citar seus nomes. Entre as críticas aos vereadores o secretário elencou o voto deles no projeto do governo que reajustou Contribuição de Iluminação Pública (CIP).

Com a cabeça mais fria o secretário Edfarma lamentou os desabafos públicos e virtuais, mas reafirmou que não contratará mais os banheiros químicos que seriam do vereador Junior Carneiro. Segundo o mesmo, os eventos da Secretaria de Cultura estão sendo realizados com ajuda da iniciativa privada local, inclusive da sua loja de acessórios de celular.
  
Resposta de Baleco
O vereador Nonato Baleco afirmou ao Blog que tomara medidas como parlamentar com base em pelo menos três declarações dadas pelo secretário durante a discussão. “Primeiro ele diz que votamos contra o povo porque aprovamos projeto de autoria do governo que ele compõe. Segundo, se ele diz que o Junior Carneiro alugava a preço muito caro banheiro químico para a Prefeitura ele está acusando o prefeito, não só o Junior Carneiro. E terceiro, que dinheiro é esse que ele investiu e precisa chantagear para receber de volta? Foi na campanha? Ele tá comprando as atrações e revendendo?”, questionou.

O caso mais grave é o dos banheiros químicos. De acordo com a Lei Orgânica do Município, vereadores são proibidos de fornecer para o poder público local. Confirmada a contratação pela prefeitura de banheiros químicos de um parlamentar, principalmente sendo ele cunhado do prefeito, o caso pode parar na Justiça. O Blog não conseguiu contato com o vereador Junior Carneiro até a publicação deste texto.

Também não tem respaldo legal o uso de dinheiro privado em eventos públicos com posterior ressarcimento.

Sarau de Marchinhas
Confusões a parte, o evento realizado na Praça Coronel Luís Vieira foi mais um sucesso da Secretaria de Cultura.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

DE NOVO: BELEZINHA TENTA COMPRAR CANDIDATO A VEREADOR E É DENUNCIADA À POLÍCIA

Dinheiro entregue à Polícia Festejada nas redes sociais pela ex-prefeita Belezinha e seus partidários, a adesão do candidato a vereador Lucídio se revelou mais um escândalo que abuso de poder econômico. Anúncio de adesão pela manhã Horas depois do anúncio, Lucídio registrou Boletim de Ocorrência acusando a coligação adversária de lhe ter entregado R$ 5 mil para ele se deixar fotografar ao lado da candidata e apoiá-la. Ao registrar o BO, o candidato apresentou aos policiais o valor que lhe foi entregue, e áudios das conversas entre ele e intermediários da ex-prefeita. Num deles o conhecimento da candidata sobre as negociações é confirmado. A versão foi confirmada por uma testemunha que presenciou a entrega do dinheiro. Após perícias as provas deverão ser encaminhadas para o Ministério Público Eleitoral e nova denúncia de abuso de poder econômico deve ser apresentada contra a candidata. Denúncia feita à tarde Belezinha responde no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ação semelhante p

PACIENTES E PROFISSIONAIS DA SAÚDE RELATAM COLAPSO NA UPA DE CHAPADINHA

Os últimos dias têm sido de exaustão para quem está trabalhando na linha de frente do combate à Covid em Chapadinha. Profissionais da UPA relatam que a unidade entrou em colapso, os leitos estão lotados, pacientes aguardando nos corredores e os funcionários se sentindo impotentes diante o quadro. “Imagina o que é você se doar, prestar um serviço, ver gente morrendo todo dia e as pessoas continuarem suas vidas aglomerando”, desabafou um deles em rede social. Com quadro reduzido de funcionários, os servidores buscam fazer o que é possível, mas as dificuldades estão aumentando num grau insuportável. Enquanto isso pipocam nas redes sociais fotos e vídeos de pacientes e acompanhantes denunciando os problemas que estão enfrentando, principalmente com falta de médicos para atender a demanda crescente. A escala publicada pela Prefeitura mostra o quanto tem sido exigido dos profissionais. Apenas um médico por dia, sendo ora Dr. Kingsley Ifly, que na mesma data atende no HAPA , ora o Dr. Felipe

EXPOSTA A MÁQUINA DE COMPRA DE APOIOS DE BELEZINHA

Quem dizia que já estava com a eleição decidida abriu a carteira para tentar vencer na força do dinheiro.  O Blog do Alexandre Pinheiro publicou uma séria de mensagens e áudios envolvendo personagens da campanha da ex-prefeita Belezinha que explicam as últimas declarações de apoio à candidata. Leia aqui a matéria. Só sorrisos Denunciada à Polícia por ter tentado comprar o apoio do candidato a vereador Lucídio Santos por R$ 5 mil, Belezinha tem alegado ter sido alvo de uma armação, mas os diálogos expostos agora comprovam que a iniciativa de negociar com ele partiu de um dos seus partidários presente na foto que anunciava a adesão de Lucídio. (Áudios no final deste texto) Nos áudios o candidato chega a descartar a possibilidade de acordo (vídeo 1), mas o articulador Aluízio Santos insiste em conversar pessoalmente e noutro momento Lucídio aparece agradecendo a Shicleiton Sousa (vídeo 2) pelos R$ 5 mil posteriormente entregues à Polícia. Sem imagens e com áudio de pouca qualidade,