Pular para o conteúdo principal

Os recados da posse da mesa diretora



Apesar do recesso parlamentar, a Câmara Municipal de Chapadinha foi movimentada na primeira segunda-feira do ano. Foi realizada sessão solene para reconduzir a vereadora Professora Vera à Presidência da Casa e empossar a nova mesa diretora para o biênio 2019-2020. Estiveram presentes 9 dos 15 vereadores, tendo sido o vereador Netinho Gedeão o único entre os membros da chapa derrotada a comparecer.

Um personagem que se manteve no centro da cena apesar de não estar sendo empossado foi o vereador Neto Pontes. Ele era candidato à presidência da Casa até meia hora antes da votação, realizada em junho do ano passado, mas ao ser preterido se juntou à oposição levando consigo o vereador Marcelo Aguiar e apoiaram a recondução da presidente Professora Vera, que apesar de aliada não tinha a preferência da articulação política do governo, com uma mesa composta majoritariamente por adversários do prefeito.

Por um acaso do destino coube a ele a condução dos trabalhos da sessão solene de hoje e a declaração de posse na presença do prefeito. 

Discursos

A fala mais longa da sessão, como de costume, foi exatamente do prefeito Magno Bacelar. Ele destacou a gestão da presidente Professora Vera como brilhante e aproveitou a oportunidade para voltar a tratar da crise financeira que o município vive, afirmando que os valores que entram no tesouro municipal não são suficientes para pagar as despesas e deu como exemplo a manutenção da UPA, que está prevista para ser entregue à responsabilidade do município no final do mês. "A manutenção daquela UPA é R$ 1 milhão e 200 mil. Como é que o município vai bancar uma UPA daquela?", questionou. 

Alguns dos parlamentares presentes também fizeram uso da palavra, com destaque para o pronunciamento do vereador Marcelo Aguiar. Mesmo com o prefeito já ausente do plenário, o parlamentar não deixou de reafirmar suas críticas: "É preciso que o nosso prefeito conduza o 'avião' que leva todos nós desse município a dias melhores, a um local melhor, a um momento melhor. Porque o senhor prefeito precisa sentar nessa cadeira do 'avião' e conduzir o avião, não deixar que pessoas outras possam conduzir por ele. Ele tem capacidade para conduzir esse avião", afirmou lembrando que todos os cidadãos são os tripulantes desta metáfora.

O novo vice-presidente da Câmara, vereador Tote, avisou que usará o artigo 35º do Regimento Interno, que lhe dá poder para promulgar leis aprovadas pela Câmara depois de transcorrido o prazo previsto para pronunciamento do prefeito e da presidente da Casa sobre o tema. O alerta pode ter graves consequências, principalmente devido o pouco diálogo institucional entre Executivo e Legislativo sobre as matérias aprovadas.

Complicado ano novo

Única aliada de Magno Bacelar na mesa diretora, a presidente Professora Vera nunca foi tão importante para a gestão municipal. Ele será obrigada a manter diálogo institucional ainda mais constante com o governo e a oposição e terá papel decisivo na tramitação de assuntos polêmicos, como a apreciação das suas contas do prefeito rejeitadas pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE). São necessários 10 votos para alterar o parecer do TCE e na aprovação de outras matérias, como o reajuste da Contribuição de Iluminação Pública, o governo já não teve tamanho apoio. Isso sem falar na já anunciada pretensão da oposição buscar uma desculpa para afastar o prefeito do cargo.

O ano de 2019 promete ser de grandes emoções na Câmara Municipal.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O que não te disseram sobre a "farra dos contracheques"

Enquanto a gritaria tomava conta das redes sociais, me dediquei a estudar a folha de pagamento da Prefeitura de Chapadinha e verifiquei alguns dados que precisam ser esclarecidos.
Primeiro, nenhum vigia “recebe” R$ 6 mil. O presente do indicativo é usado para demonstrar ação continuada. E o vigia Marcelo Costa Abreu, segundo este mesmo Portal da Transparência que serve de fonte para pinçar informações pela metade e causar alvoroço, tem um salário de R$ 1.247,50. Nos meses de Setembro e Outubro ele recebeu gratificações para compensar outros serviços que ele teria prestado à administração municipal, segundo relato dele mesmo em áudio que circula nos grupos de WhatsApp.
A realização destes trabalhos deve ser atestada, mas essa checagem desmonta a tese segunda qual ele receberia um grande salário para dividir com um ex-prefeito e um vereador.
Outro dado que tem aparecido de maneira muito distorcida é a lotação de todos os servidores como funcionários do gabinete do prefeito. Na verdade…

PRIMEIRA CHAPA CONFIRMADA: HIGOR E MARCELO MARINHEIRO

Nem o isolamento social imposto pela pandemia de Covid-19 freou as articulações políticas. Respeitando as restrições e orientações da Organização Mundial da Saúde, o empresário Higor da Universidade Infantil e o vereador Marcelo Marinheiro se encontraram na manhã desta segunda-feira (30) e definiram que formarão chapa visando as pré-candidaturas a prefeito e vice-prefeito de Chapadinha nas eleições de 2020.
Em contato com o Blog do Braga, a dupla afirmou que já vinha conversando nas últimas semanas e que tomaram a decisão após análise das últimas pesquisas de intenção de voto, que indicariam a viabilidade da composição.
Em meio às incertezas jurídicas de outros concorrentes, Chapadinha ganha a primeira chapa 100% definida e ficha-limpa para as próximas eleições. Após o término do período de isolamento social proposto pela OMS os pré-candidatos informarão o calendário de eventos destinados à propagação das suas plataformas políticas.
“Por enquanto, nos cabe apenas desejar a todos mui…

Uma decisão que não se sustenta

Há tempos o município dava sinais de que conseguiria manter o calendário de pagamento dos servidores públicos de acordo com a promessa de campanha do prefeito Magno Bacelar, com 10 dias dentro do mês trabalho. Ontem a Prefeitura anunciou que todos os servidores receberão no limite previsto em lei e as reações foram instantâneas.
Até a aliada presidente da Câmara, professora Vera, já se pronunciou duramente repudiando a decisão do prefeito. “Não vejo justificativa para a medida da Prefeitura de transferir os pagamentos para o 5º dia útil do mês subsequente”, declarou em redes sociais.
Apesar de não haver ilegalidade no anúncio, algumas considerações precisam ser feitas. A primeira, e mais importante neste momento de pandemia, é que nunca foi tão necessário escalonar o pagamento. Para evitar aglomerações ainda maiores nas agências bancárias, os servidores de diferentes órgãos deveriam receber em dias alternados.
Em segundo lugar, a crise econômica agravada pela pandemia de Covid-19 po…