Pular para o conteúdo principal

Os recados da posse da mesa diretora



Apesar do recesso parlamentar, a Câmara Municipal de Chapadinha foi movimentada na primeira segunda-feira do ano. Foi realizada sessão solene para reconduzir a vereadora Professora Vera à Presidência da Casa e empossar a nova mesa diretora para o biênio 2019-2020. Estiveram presentes 9 dos 15 vereadores, tendo sido o vereador Netinho Gedeão o único entre os membros da chapa derrotada a comparecer.

Um personagem que se manteve no centro da cena apesar de não estar sendo empossado foi o vereador Neto Pontes. Ele era candidato à presidência da Casa até meia hora antes da votação, realizada em junho do ano passado, mas ao ser preterido se juntou à oposição levando consigo o vereador Marcelo Aguiar e apoiaram a recondução da presidente Professora Vera, que apesar de aliada não tinha a preferência da articulação política do governo, com uma mesa composta majoritariamente por adversários do prefeito.

Por um acaso do destino coube a ele a condução dos trabalhos da sessão solene de hoje e a declaração de posse na presença do prefeito. 

Discursos

A fala mais longa da sessão, como de costume, foi exatamente do prefeito Magno Bacelar. Ele destacou a gestão da presidente Professora Vera como brilhante e aproveitou a oportunidade para voltar a tratar da crise financeira que o município vive, afirmando que os valores que entram no tesouro municipal não são suficientes para pagar as despesas e deu como exemplo a manutenção da UPA, que está prevista para ser entregue à responsabilidade do município no final do mês. "A manutenção daquela UPA é R$ 1 milhão e 200 mil. Como é que o município vai bancar uma UPA daquela?", questionou. 

Alguns dos parlamentares presentes também fizeram uso da palavra, com destaque para o pronunciamento do vereador Marcelo Aguiar. Mesmo com o prefeito já ausente do plenário, o parlamentar não deixou de reafirmar suas críticas: "É preciso que o nosso prefeito conduza o 'avião' que leva todos nós desse município a dias melhores, a um local melhor, a um momento melhor. Porque o senhor prefeito precisa sentar nessa cadeira do 'avião' e conduzir o avião, não deixar que pessoas outras possam conduzir por ele. Ele tem capacidade para conduzir esse avião", afirmou lembrando que todos os cidadãos são os tripulantes desta metáfora.

O novo vice-presidente da Câmara, vereador Tote, avisou que usará o artigo 35º do Regimento Interno, que lhe dá poder para promulgar leis aprovadas pela Câmara depois de transcorrido o prazo previsto para pronunciamento do prefeito e da presidente da Casa sobre o tema. O alerta pode ter graves consequências, principalmente devido o pouco diálogo institucional entre Executivo e Legislativo sobre as matérias aprovadas.

Complicado ano novo

Única aliada de Magno Bacelar na mesa diretora, a presidente Professora Vera nunca foi tão importante para a gestão municipal. Ele será obrigada a manter diálogo institucional ainda mais constante com o governo e a oposição e terá papel decisivo na tramitação de assuntos polêmicos, como a apreciação das suas contas do prefeito rejeitadas pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE). São necessários 10 votos para alterar o parecer do TCE e na aprovação de outras matérias, como o reajuste da Contribuição de Iluminação Pública, o governo já não teve tamanho apoio. Isso sem falar na já anunciada pretensão da oposição buscar uma desculpa para afastar o prefeito do cargo.

O ano de 2019 promete ser de grandes emoções na Câmara Municipal.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

DE NOVO: BELEZINHA TENTA COMPRAR CANDIDATO A VEREADOR E É DENUNCIADA À POLÍCIA

Dinheiro entregue à Polícia Festejada nas redes sociais pela ex-prefeita Belezinha e seus partidários, a adesão do candidato a vereador Lucídio se revelou mais um escândalo que abuso de poder econômico. Anúncio de adesão pela manhã Horas depois do anúncio, Lucídio registrou Boletim de Ocorrência acusando a coligação adversária de lhe ter entregado R$ 5 mil para ele se deixar fotografar ao lado da candidata e apoiá-la. Ao registrar o BO, o candidato apresentou aos policiais o valor que lhe foi entregue, e áudios das conversas entre ele e intermediários da ex-prefeita. Num deles o conhecimento da candidata sobre as negociações é confirmado. A versão foi confirmada por uma testemunha que presenciou a entrega do dinheiro. Após perícias as provas deverão ser encaminhadas para o Ministério Público Eleitoral e nova denúncia de abuso de poder econômico deve ser apresentada contra a candidata. Denúncia feita à tarde Belezinha responde no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ação semelhante p

EM PRIMEIRA MÃO: EX-PREFEITA PERDE O MANDATO DE DEPUTADA

Durou pouco a passagem da ex-prefeita Ducilene Belezinha (PL) na Assembleia Legislativa do Maranhão. Ela havia sido empossada no cargo de deputada estadual no mês passado devendo favor ao deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL) que determinou que a esposa, Detinha (PL), saísse de licença. Ocorre que Belezinha foi apenas a quinta suplente da coligação, e sua a posse dependeu do falecimento de um deputado e a nomeação de três parlamentares no secretariado do governador Flávio Dino, mas um deles voltou ontem (6) para o legislativo, aliás, uma secretária: Ana do Gás (PCdoB). Parlamentar com votação expressiva em Chapadinha na eleição de 2014, quando teve o apoio do hoje prefeito Magno Bacelar, a comunista ocupava a Secretaria de Estado da Mulher, mas decidiu reassumir o mandato de deputada levando a ex-prefeita de volta à condição de suplente. Festejado com carreata organizada por seus apoiadores com pouquíssima participação popular, o mandato de Belezinha na Assembleia durou 13 dia

ORINALDO ANUNCIA ROMPIMENTO COM MAGNO E APOIO A HIGOR ALMEIDA

O ex-vereador Orinaldo Araújo, esposo da vereadora Missecley, gravou hoje mensagem para anunciar seu desligamento do grupo político do prefeito Magno Bacelar. Ao lado de três dos seus quatro filhos Orinaldo afirmou que ainda não conversou com o Higor Almeida, mas apoiará sua candidatura. “É o que candidato que representa realmente aquilo que a gente pensa, aquilo que a gente quer pro nosso município”, afirmou. Havia chamado a atenção do meio político as ausências de Orinaldo e Missecley do primeiro comício de campanha do prefeito, realizado no bairro em que eles moram e têm forte base eleitoral. A insegurança jurídica da candidatura do prefeito e o forte desgaste apresentado nas pesquisas de opinião devem gerar novas adesões nos próximos dias.