Pular para o conteúdo principal

Neto Pontes: "Dr Magno, preste atenção que o dinheiro é do povo"


O vereador Neto Pontes (SD) não economizou nas críticas ao governo municipal durante a sessão ordinária de hoje (27) da Câmara Municipal.

Segundo o parlamentar, o prefeito Magno Bacelar, que está em Brasília, tem se omitido das suas responsabilidades e a população cada vez mais tem feito o que seria obrigação do poder público. Um dos exemplos lembrados foi o conjunto de quebra-molas construído na avenida Ataliba Vieira de Almeida por meio da contribuição de comerciantes da região. “Chapadinha está quase virando um presépio de tanto a população fazer ‘vaquinhas’ para resolver problemas que a Prefeitura deveria estar resolvendo”, afirmou o parlamentar.

Lamentando ter feito parte da eleição do prefeito municipal, o vereador reclamou ainda da demora em entregar a reforma da rodoviária municipal, em obra há 277 dias, quando o prazo legal era de 90 dias, e o uso de madeira de péssima qualidade em reparos paliativos na ponte da Mangabeira. “Eu trabalho com madeira na Gincol e posso afirmar que aquela madeira usada ali apodrece na primeira chuva”, alertou.

O discurso se encerrou com um alerta: "Quero dar um recado para o prefeito: Olhe o que o senhor está fazendo, Dr Magno, porque o dinheiro é do povo!".


Iluminação pública

A vereadora Nildinha Teles (PRB) apresentou requerimento pedindo a melhoria da iluminação pública na rua Benjamin Ferreira. O pedido foi aprovado por unanimidade e fez o vereador Marcelo Menezes (PRP) sugerir uma reunião de todos os parlamentares com o prefeito para tratar da iluminação em todo o município.

Sem diálogo

A vereadora Marcely Gomes (PP) afirmou que o diálogo entre os poderes deveria partir do Executivo. “O governo deveria procurar esta Casa para dizer a verdade sobre quando vai iluminar as ruas ou se vai deixar no escuro e o porquê, mas só reagem depois que o problema já existe”, lamentou a mesma.

Obras parlamentares

O vereador Netinho Gedeão (PV) lamentou não poder fazer mais pela infraestrutura do município. “O certo é que todo vereador tivesse uma verba para destinar para estas melhorias, mas não tem nenhum bairro que não tenha recebido uma ajuda minha nestes quase dos anos de mandato”, lembrou.

Asfalto para Novo Castelo e Recanto dos Pássaros

A presidente da Câmara, vereadora Professora Vera (PTB), registrou encontro que teve com o secretário estadual de Articulação Política, deputado eleito Márcio Jerry, em busca de asfalto para os bairros onde ela mais recebeu votos nas eleições de 2016. Ele afirmou que não descansará enquanto não conseguir.

Educação na mira da oposição

O vereador Alberto Carlos (PR) criticou a justificativa apresentada pela secretária de Educação para atrasar o pagamento dos servidores contratados da pasta. “Culpar o 13º dos efetivos não tem sentido porque todos os anos esse pagamento tem que acontecer, o atraso aconteceu por falta de planejamento da gestão”, afirmou.

O líder da oposição ainda criticou a diferença entre os calendários letivos da zona urbana e da zona rural e rejeitou de público a proposta que teria sido apresentada pelo líder do governo de votar em conjunto as três contas de gestão do prefeito Magno Bacelar que estão na Casa.

As críticas da oposição, contudo, pareceram pequenas diante o quanto o governo tem apanhado daqueles que seriam da base aliada da gestão na Câmara.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O que não te disseram sobre a "farra dos contracheques"

Enquanto a gritaria tomava conta das redes sociais, me dediquei a estudar a folha de pagamento da Prefeitura de Chapadinha e verifiquei alguns dados que precisam ser esclarecidos.
Primeiro, nenhum vigia “recebe” R$ 6 mil. O presente do indicativo é usado para demonstrar ação continuada. E o vigia Marcelo Costa Abreu, segundo este mesmo Portal da Transparência que serve de fonte para pinçar informações pela metade e causar alvoroço, tem um salário de R$ 1.247,50. Nos meses de Setembro e Outubro ele recebeu gratificações para compensar outros serviços que ele teria prestado à administração municipal, segundo relato dele mesmo em áudio que circula nos grupos de WhatsApp.
A realização destes trabalhos deve ser atestada, mas essa checagem desmonta a tese segunda qual ele receberia um grande salário para dividir com um ex-prefeito e um vereador.
Outro dado que tem aparecido de maneira muito distorcida é a lotação de todos os servidores como funcionários do gabinete do prefeito. Na verdade…

PRIMEIRA CHAPA CONFIRMADA: HIGOR E MARCELO MARINHEIRO

Nem o isolamento social imposto pela pandemia de Covid-19 freou as articulações políticas. Respeitando as restrições e orientações da Organização Mundial da Saúde, o empresário Higor da Universidade Infantil e o vereador Marcelo Marinheiro se encontraram na manhã desta segunda-feira (30) e definiram que formarão chapa visando as pré-candidaturas a prefeito e vice-prefeito de Chapadinha nas eleições de 2020.
Em contato com o Blog do Braga, a dupla afirmou que já vinha conversando nas últimas semanas e que tomaram a decisão após análise das últimas pesquisas de intenção de voto, que indicariam a viabilidade da composição.
Em meio às incertezas jurídicas de outros concorrentes, Chapadinha ganha a primeira chapa 100% definida e ficha-limpa para as próximas eleições. Após o término do período de isolamento social proposto pela OMS os pré-candidatos informarão o calendário de eventos destinados à propagação das suas plataformas políticas.
“Por enquanto, nos cabe apenas desejar a todos mui…

Uma decisão que não se sustenta

Há tempos o município dava sinais de que conseguiria manter o calendário de pagamento dos servidores públicos de acordo com a promessa de campanha do prefeito Magno Bacelar, com 10 dias dentro do mês trabalho. Ontem a Prefeitura anunciou que todos os servidores receberão no limite previsto em lei e as reações foram instantâneas.
Até a aliada presidente da Câmara, professora Vera, já se pronunciou duramente repudiando a decisão do prefeito. “Não vejo justificativa para a medida da Prefeitura de transferir os pagamentos para o 5º dia útil do mês subsequente”, declarou em redes sociais.
Apesar de não haver ilegalidade no anúncio, algumas considerações precisam ser feitas. A primeira, e mais importante neste momento de pandemia, é que nunca foi tão necessário escalonar o pagamento. Para evitar aglomerações ainda maiores nas agências bancárias, os servidores de diferentes órgãos deveriam receber em dias alternados.
Em segundo lugar, a crise econômica agravada pela pandemia de Covid-19 po…