Pular para o conteúdo principal

Live do Prefeito: Fim das 13 horas, 13º pra quase todo mundo e salário dos contratados quando der




O prefeito de Chapadinha, Dr Magno Bacelar, realizou hoje transmissão ao vivo no seu Facebook para anunciar o pagamento da primeira parcela do 13º salário dos servidores efetivos do município.

Os funcionários da Secretaria de Educação receberão agora apenas  40% do valor, e não os 50% previstos em lei e disponibilizados aos demais, mas ainda estão melhor que os aposentados e pensionistas dos IPC, que terão que esperar o dia 30 de novembro, quando a folha do mês começará a ser feita e o 13º deles poderá (ou não) ser pago dentro do prazo legal.

O valor pago hoje foi de R$ 1.958.000,00 (um milhão novecentos e cinquenta e oito mil reais), segundo o próprio prefeito, que durante o vídeo falou acompanhado sobre a crise econômica, pediu paciência aos servidores contratados da Secretaria de Educação que ainda não receberam seus salários de outubro e afirmou que os pagará assim que houver recursos em caixa para esta finalidade.

O prefeito estava acompanhado das secretárias de Educação, Vânia Cristina, e de Saúde, Mônica Pontes, além da professora Mary Luce Peixoto durante o vídeo, feito pela primeira-dama, ex-prefeita e secretária de Assistência Social, Danúbia Carneiro

Ao final da gravação, o prefeito foi taxativo sobre as 13 horas dos professores: “Nós vamos ter que rever a ‘situação das 13 horas’, que a secretária de Educação na ocasião, Danúbia Carneiro, implantou isso. Evidentemente não vai dar pra se manter no próximo ano”.

Apesar do prefeito jogar a responsabilidade para a esposa, que comandou a Semed no início da gestão, o respeito à “lei das 13 horas” constou como promessa de campanha quando ele ainda era candidato em 2016 e foi uma das maiores polêmicas contra o governo anterior.

A realidade financeira desmontou o discurso de campanha

Entenda

A polêmica sobre as 13 horas dos professores em sala de aula diz respeito ao que prevê o §4º do artigo 2º da lei 11.738, de 16 de julho de 2008, a chamada “lei do piso nacional do magistério”.

O dispositivo prevê que “Na composição da jornada de trabalho, observar-se-á o limite máximo de 2/3 (dois terços) da carga horária para o desempenho das atividades de interação com os educandos”, fazendo com que os professores com carga horária de 20 horas semanais tenham o direito de exercer apenas 13 dessas horas em sala de aula, podendo destinar o outro terço da sua jornada para planejamento de aulas, correção de exercícios ou provas e outras atividades relacionadas ao seu serviço.

Com os professores tendo menos tempo em sala de aula, o município é obrigado a contratar mais profissionais para preencher esses horários, aumentando ainda mais a pressão sobre a folha de pagamento da Educação.

Evolução do Fundeb

Confirmada a previsão da Confederação Nacional dos Municípios, lembrada pelo prefeito no vídeo, de Chapadinha receber R$ 53 milhões de Fundeb em 2018, este será o segundo ano consecutivo de queda do recurso. Em anos anteriores o crescimento anual do Fundeb de Chapadinha chegou a ser de mais de 29%. (Veja tabela ao lado)


Sindicato

O presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Chapadinha (Sindichap), professor Alcides Pereira, afirma que a entidade não foi informada oficialmente de nenhuma decisão do governo neste sentido.

Confira a íntegra



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

DE NOVO: BELEZINHA TENTA COMPRAR CANDIDATO A VEREADOR E É DENUNCIADA À POLÍCIA

Dinheiro entregue à Polícia Festejada nas redes sociais pela ex-prefeita Belezinha e seus partidários, a adesão do candidato a vereador Lucídio se revelou mais um escândalo que abuso de poder econômico. Anúncio de adesão pela manhã Horas depois do anúncio, Lucídio registrou Boletim de Ocorrência acusando a coligação adversária de lhe ter entregado R$ 5 mil para ele se deixar fotografar ao lado da candidata e apoiá-la. Ao registrar o BO, o candidato apresentou aos policiais o valor que lhe foi entregue, e áudios das conversas entre ele e intermediários da ex-prefeita. Num deles o conhecimento da candidata sobre as negociações é confirmado. A versão foi confirmada por uma testemunha que presenciou a entrega do dinheiro. Após perícias as provas deverão ser encaminhadas para o Ministério Público Eleitoral e nova denúncia de abuso de poder econômico deve ser apresentada contra a candidata. Denúncia feita à tarde Belezinha responde no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ação semelhante p

EM PRIMEIRA MÃO: EX-PREFEITA PERDE O MANDATO DE DEPUTADA

Durou pouco a passagem da ex-prefeita Ducilene Belezinha (PL) na Assembleia Legislativa do Maranhão. Ela havia sido empossada no cargo de deputada estadual no mês passado devendo favor ao deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL) que determinou que a esposa, Detinha (PL), saísse de licença. Ocorre que Belezinha foi apenas a quinta suplente da coligação, e sua a posse dependeu do falecimento de um deputado e a nomeação de três parlamentares no secretariado do governador Flávio Dino, mas um deles voltou ontem (6) para o legislativo, aliás, uma secretária: Ana do Gás (PCdoB). Parlamentar com votação expressiva em Chapadinha na eleição de 2014, quando teve o apoio do hoje prefeito Magno Bacelar, a comunista ocupava a Secretaria de Estado da Mulher, mas decidiu reassumir o mandato de deputada levando a ex-prefeita de volta à condição de suplente. Festejado com carreata organizada por seus apoiadores com pouquíssima participação popular, o mandato de Belezinha na Assembleia durou 13 dia

ORINALDO ANUNCIA ROMPIMENTO COM MAGNO E APOIO A HIGOR ALMEIDA

O ex-vereador Orinaldo Araújo, esposo da vereadora Missecley, gravou hoje mensagem para anunciar seu desligamento do grupo político do prefeito Magno Bacelar. Ao lado de três dos seus quatro filhos Orinaldo afirmou que ainda não conversou com o Higor Almeida, mas apoiará sua candidatura. “É o que candidato que representa realmente aquilo que a gente pensa, aquilo que a gente quer pro nosso município”, afirmou. Havia chamado a atenção do meio político as ausências de Orinaldo e Missecley do primeiro comício de campanha do prefeito, realizado no bairro em que eles moram e têm forte base eleitoral. A insegurança jurídica da candidatura do prefeito e o forte desgaste apresentado nas pesquisas de opinião devem gerar novas adesões nos próximos dias.