Pular para o conteúdo principal

Sobre favoristismo e alianças

Difícil se fazer entendido quando os brasileiros recusam o uso da razão, mas recorro a essas linhas mal escritas para que o cidadão chapadinhense possa compreender a diferença entre análise e torcida.

Na tribuna da Câmara Municipal e no programa Direto ao Assunto, da rádio Mirante de Chapadinha, agradeci os votos confiados a mim como candidato a deputado federal e, analisando os demais resultados da eleição, cravei: "Belezinha é favorita para a reeleição em 2016".

Infelizmente é assim. Na hora que sai a zerésima da urna a classe política e a imprensa começam logo a pensar na eleição seguinte. E, com base nas votações obtidas em 2014 em Chapadinha, Belezinha tem mais razões para comemorar do que as demais forças políticas do município. Senão, vejamos.

1. Mesmo tendo abandonado seu grupo político no município, Magno Bacelar deu muito voto para Ana do Gás. Sim, e agora? Inelegível e sem governo estadual ele terá como eleger Danúbia Carneiro prefeita?

2. Isaías Fortes (também inelegível, é bom lembrar) é esperto. Apoiou dois nomes da terra para parecer ter mais voto do que realmente tem. Paulo Neto já tinha voto próprio e teve ainda o apoio de vários vereadores e suplentes. Os mais de 8 mil votos não podem ser considerados méritos apenas do "Zazá". Tivesse apoiado sozinho um nome de fora teria chegado a qual votação? Tanto Marcelo Menezes quanto Isamara Pessoa, pretensos candidatos do grupo, sabem que o resultado precisava ser melhor do que foi para mostrar força.

3. O deputado estadual eleito Levi Pontes afirma que não será candidato a prefeito e seu grupo não parece dispor de outro nome competitivo. 

Por outro lado, a prefeita que julgávamos morta politicamente deu mais de 6 mil votos para um candidato desconhecido. "Ah, mas ele tem a máquina e usou dinheiro!". Sim, e ela terá a máquina e usará dinheiro em 2016 também. Aí é que está o alerta que estou tentando fazer e muitas pessoas parecem que não querem entender: Quanto mais a oposição se dividir, melhor para a prefeita que tem a máquina à disposição e dinheiro correndo atrás de gente.

Se a oposição se comportar nas eleições municipais da mesma forma com que se comportou nessa, a reeleição dela é certa. A fogueira de vaidades têm que dar lugar a um projeto comum para a cidade. 


Libertas Quae Sera Tamen

Não apoio, nem apoiarei a prefeita, mas não me cego por paixões políticas. Belezinha foi a grande vencedora das eleições de 2014 em Chapadinha e para 2016 é a favorita sem ter nenhum grande mérito para isso, mas pelos erros da oposição, mais preocupada com o amontoado de projetos pessoais que a formam do que com um projeto melhor para a cidade.

Nota: Da mesma forma que não componho politicamente com a prefeita, não componho com nenhum grupo de oposição que tenha dono. 

E até dia 26 minha preocupação é uma só: Ajudar a reeleger Dilma presidente!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

DE NOVO: BELEZINHA TENTA COMPRAR CANDIDATO A VEREADOR E É DENUNCIADA À POLÍCIA

Dinheiro entregue à Polícia Festejada nas redes sociais pela ex-prefeita Belezinha e seus partidários, a adesão do candidato a vereador Lucídio se revelou mais um escândalo que abuso de poder econômico. Anúncio de adesão pela manhã Horas depois do anúncio, Lucídio registrou Boletim de Ocorrência acusando a coligação adversária de lhe ter entregado R$ 5 mil para ele se deixar fotografar ao lado da candidata e apoiá-la. Ao registrar o BO, o candidato apresentou aos policiais o valor que lhe foi entregue, e áudios das conversas entre ele e intermediários da ex-prefeita. Num deles o conhecimento da candidata sobre as negociações é confirmado. A versão foi confirmada por uma testemunha que presenciou a entrega do dinheiro. Após perícias as provas deverão ser encaminhadas para o Ministério Público Eleitoral e nova denúncia de abuso de poder econômico deve ser apresentada contra a candidata. Denúncia feita à tarde Belezinha responde no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ação semelhante p

PACIENTES E PROFISSIONAIS DA SAÚDE RELATAM COLAPSO NA UPA DE CHAPADINHA

Os últimos dias têm sido de exaustão para quem está trabalhando na linha de frente do combate à Covid em Chapadinha. Profissionais da UPA relatam que a unidade entrou em colapso, os leitos estão lotados, pacientes aguardando nos corredores e os funcionários se sentindo impotentes diante o quadro. “Imagina o que é você se doar, prestar um serviço, ver gente morrendo todo dia e as pessoas continuarem suas vidas aglomerando”, desabafou um deles em rede social. Com quadro reduzido de funcionários, os servidores buscam fazer o que é possível, mas as dificuldades estão aumentando num grau insuportável. Enquanto isso pipocam nas redes sociais fotos e vídeos de pacientes e acompanhantes denunciando os problemas que estão enfrentando, principalmente com falta de médicos para atender a demanda crescente. A escala publicada pela Prefeitura mostra o quanto tem sido exigido dos profissionais. Apenas um médico por dia, sendo ora Dr. Kingsley Ifly, que na mesma data atende no HAPA , ora o Dr. Felipe

EXPOSTA A MÁQUINA DE COMPRA DE APOIOS DE BELEZINHA

Quem dizia que já estava com a eleição decidida abriu a carteira para tentar vencer na força do dinheiro.  O Blog do Alexandre Pinheiro publicou uma séria de mensagens e áudios envolvendo personagens da campanha da ex-prefeita Belezinha que explicam as últimas declarações de apoio à candidata. Leia aqui a matéria. Só sorrisos Denunciada à Polícia por ter tentado comprar o apoio do candidato a vereador Lucídio Santos por R$ 5 mil, Belezinha tem alegado ter sido alvo de uma armação, mas os diálogos expostos agora comprovam que a iniciativa de negociar com ele partiu de um dos seus partidários presente na foto que anunciava a adesão de Lucídio. (Áudios no final deste texto) Nos áudios o candidato chega a descartar a possibilidade de acordo (vídeo 1), mas o articulador Aluízio Santos insiste em conversar pessoalmente e noutro momento Lucídio aparece agradecendo a Shicleiton Sousa (vídeo 2) pelos R$ 5 mil posteriormente entregues à Polícia. Sem imagens e com áudio de pouca qualidade,