Pular para o conteúdo principal

Eduardo Braga fala sobre decisão do PT de continuar com o governo municipal

Do blog Interligado



O secretário de Assistência Social do município, o petista Eduardo Braga, concedeu entrevista ao nosso blog falando sobre a reunião que ocorreu na noite dessa segunda-feira, 19, entre os membros do diretório municipal do Partido dos Trabalhadores (PT), que culminou na decisão pela reafirmação da aliança do partido com o governo Danúbia Carneiro.

Iniciei nossa conversa perguntando: - O que você achou da decisão de permanência do PT no governo municipal?

EDUARDO BRAGA – Avalio como acertada a decisão. O acordo do partido com a prefeita e com o deputado Magno Bacelar, foi firmado com base em 07 pontos de uma pauta de reivindicação. Nesses 06 meses houve avanços, mas ainda há a cumprir.

BLOG - Quais seriam esses avanços e o que precisa melhorar?

EDUARDO BRAGA – Posso citar como exemplo o Fundo da Infância e Adolescência (FIA), que recebia mensalmente 0,1% dos recursos do Fundo de Participação do Município (FPM). Nós pedimos à prefeita que esse índice fosse ampliado para 0,5%. Através do diálogo interno no governo conseguimos que o repasse aumentasse para 0,3%. É o ideal? Não, mas foi um avanço. Além da estruturação da agência do Sine (Sistema Nacional de Emprego), que foi realizada, e do fortalecimento dos Conselhos Municipais, que está em curso.

BLOG - O principal argumento de quem defendia a saída do PT do governo municipal era a falta de autonomia dos secretários petistas e a falta de transparência do governo. Como secretário e membro do partido, o senhor concorda com esse posicionamento?

EDUARDO BRAGA – Esta é a primeira experiência como gestores públicos dos dois secretários indicados pelo PT. Portanto, era necessário um período de conhecimento e aprendizagem antes de termos a autonomia necessária. No que tange a transparência, eu acredito que o público deve ter pleno acesso a todas as receitas, aos gastos, aos contratos e às questões funcionais de toda a administração pública.

BLOG - O senhor era uma das pessoas que defendia a permanência do PT no governo. Que argumentos foram usados para convencer os demais membros dessa necessidade?

EDUARDO BRAGA – Veja bem, durante esses 06 meses nós estivemos cortando gastos, entregando prédios alugados, renovando contratos, comprando materiais, enfim, arrumando a casa (Secretaria de Assistência Social – SEMAS), e agora que nós teremos as condições de mostrar muito mais trabalho, romper seria desperdiçar uma grande oportunidade de mostrar serviço e a contribuição do PT para o município.

BLOG – O senhor acha que essa decisão é definitiva ou ainda há possibilidade de ser revestida?

EDUARDO BRAGA – Como disse anteriormente o que fizemos foi um acordo. Enquanto a prefeita cumprir com o que ela se comprometeu, nós manteremos e reafirmaremos a aliança. E, convenhamos, não tem sentido sair no momento em que o governo vem melhorando.

BLOG – Há rumores de que pessoas ligadas a grupos de oposição tentaram influenciar o rompimento do PT com o governo municipal. O senhor tem conhecimento disso? Foi demonstrado esse tipo de sentimento por aqueles que defendiam essa saída do governo?

EDUARDO BRAGA - Não foi demonstrado e eu não acredito nessa possibilidade. A saída do PT seria negativa para o governo, e portanto, é natural que quem é contra o governo espere esse rompimento, mas eu acredito que isso não influência os companheiros. Acontece que o PT é um partido vivo, democrático, com uma militância orgânica, que se reúne, debate e é natural a divergência interna. O importante é nos manter unidos e fortalecer o PT também no nosso município.

BLOG – Até essa aliança com o governo municipal o PT era tido como um partido de extrema esquerda. O senhor acha que esse período foi o suficiente para quebrar certos tabus?

EDUARDO BRAGA – O PT é e sempre será um partido de esquerda. A melhor definição foi a que o ex-presidente Lula deu no último congresso nacional do partido: “O PT é milhões e milhões de pessoas no anonimato, fazendo política e querendo mudança”. Agora desde a eleição do ex-presidente Lula que foram quebrados alguns paradigmas. O PT compreendeu que muitas vezes é necessário fazer alianças para se fortalecer e ocupar espaços para implementar políticas públicas com a cara do partido, e é isso que nós queremos para Chapadinha.

Antenor Ferreira

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

DE NOVO: BELEZINHA TENTA COMPRAR CANDIDATO A VEREADOR E É DENUNCIADA À POLÍCIA

Dinheiro entregue à Polícia Festejada nas redes sociais pela ex-prefeita Belezinha e seus partidários, a adesão do candidato a vereador Lucídio se revelou mais um escândalo que abuso de poder econômico. Anúncio de adesão pela manhã Horas depois do anúncio, Lucídio registrou Boletim de Ocorrência acusando a coligação adversária de lhe ter entregado R$ 5 mil para ele se deixar fotografar ao lado da candidata e apoiá-la. Ao registrar o BO, o candidato apresentou aos policiais o valor que lhe foi entregue, e áudios das conversas entre ele e intermediários da ex-prefeita. Num deles o conhecimento da candidata sobre as negociações é confirmado. A versão foi confirmada por uma testemunha que presenciou a entrega do dinheiro. Após perícias as provas deverão ser encaminhadas para o Ministério Público Eleitoral e nova denúncia de abuso de poder econômico deve ser apresentada contra a candidata. Denúncia feita à tarde Belezinha responde no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ação semelhante p

O que não te disseram sobre a "farra dos contracheques"

Enquanto a gritaria tomava conta das redes sociais, me dediquei a estudar a folha de pagamento da Prefeitura de Chapadinha e verifiquei alguns dados que precisam ser esclarecidos. Primeiro, nenhum vigia “recebe” R$ 6 mil. O presente do indicativo é usado para demonstrar ação continuada. E o vigia Marcelo Costa Abreu, segundo este mesmo Portal da Transparência que serve de fonte para pinçar informações pela metade e causar alvoroço, tem um salário de R$ 1.247,50. Nos meses de Setembro e Outubro ele recebeu gratificações para compensar outros serviços que ele teria prestado à administração municipal, segundo relato dele mesmo em áudio que circula nos grupos de WhatsApp. A tese de "rachadinha" cai por terra A realização destes trabalhos deve ser atestada, mas essa checagem desmonta a tese segunda qual ele receberia um grande salário para dividir com um ex-prefeito e um vereador. Outro dado que tem aparecido de maneira muito distorcida é a lotação de todos os

EM PRIMEIRA MÃO: EX-PREFEITA PERDE O MANDATO DE DEPUTADA

Durou pouco a passagem da ex-prefeita Ducilene Belezinha (PL) na Assembleia Legislativa do Maranhão. Ela havia sido empossada no cargo de deputada estadual no mês passado devendo favor ao deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL) que determinou que a esposa, Detinha (PL), saísse de licença. Ocorre que Belezinha foi apenas a quinta suplente da coligação, e sua a posse dependeu do falecimento de um deputado e a nomeação de três parlamentares no secretariado do governador Flávio Dino, mas um deles voltou ontem (6) para o legislativo, aliás, uma secretária: Ana do Gás (PCdoB). Parlamentar com votação expressiva em Chapadinha na eleição de 2014, quando teve o apoio do hoje prefeito Magno Bacelar, a comunista ocupava a Secretaria de Estado da Mulher, mas decidiu reassumir o mandato de deputada levando a ex-prefeita de volta à condição de suplente. Festejado com carreata organizada por seus apoiadores com pouquíssima participação popular, o mandato de Belezinha na Assembleia durou 13 dia