Pular para o conteúdo principal

Novo "Vagner" para evitar um novo "Osvaldo"


O blogueiro Alexandre Pinheiro discorre no espaço virtual sobre uma série de contratempos que estariam sendo enfrentados pela suposta pré-candidatura da empresária Dulcilene Cordeiro à prefeitura de Chapadinha. 


Diz o blogueiro que o ímpeto de Belezinha estaria diminuindo por três razões, "a falta de definição do ex-prefeito Isaías, dispêndio de recursos além do planejado e uma eventual entrada de Magno Bacelar a disputa".

Duvido que o deputado estadual Magno Bacelar deixe a Assembléia para voltar a uma prefeitura que ele já comandou por oito anos. A candidata natural do grupo é a prefeita Danúbia Carneiro. 

Também duvido que haja problema de recurso na pré-campanha de Dulcilene. 

O que me chama a atenção mesmo é a relação de Dulcilene Cordeiro com o grupo político do ex-prefeito Isaías Fortes. Aparenta haver aí um sentimento de desconfiança mútua.

Dulcilene parece não confiar em Isaías. Se confiasse não andaria por aí dizendo que disputará a prefeitura "com ou sem" seu apoio, mesmo ele reafirmando por onde anda, e segundo informações até na sua festa de aniversário, que ela será sua candidata.

Por outro lado, Dulcilene também ainda é vista com certa desconfiança pelo grupo, afinal, era apoiadora de Magno Bacelar até dia desses e seus acenos àqueles que se intitulam construtores de uma "3ª via" têm causado desconforto em figuras importantes do grupo. 

Todo esse clima de desconfiança vem fazendo voltar às rodas de conversa o nome de quem há muito tempo anda quieto no seu canto sem incomodar ninguém: O ex-prefeito Osvaldo Lobo.

Eleito prefeito pelo apoio de Isaías e do seu grupo na eleição de 1992, Osvaldo Lobo rompeu com o padrinho político e amigo de longas datas pouco depois de empossado no cargo.

É com medo da história se repetir que parte do grupo torce o nariz para a indicação de Dulcilene e e trabalha veladamente pela candidatura de Isamara Menezes, candidata a deputada estadual mais bem votada no município em 2010 e filha de Isaías.  

A reviravolta seria similar à que aconteceu em 2010, quando Vagner Pessoa, que seria o candidato do grupo a deputado estadual, foi escanteado por Isaías, que lançou e apoiou a própria Isamara.

Aviso àqueles que acham que está tudo decidido: Ainda há muita água pra passar por debaixo da ponte. Não se sabe ainda quem serão os candidatos, imagine quem será eleito.

Comentários

Anônimo disse…
seria uma opção diferente!!!
Eduardo Braga disse…
O que seria uma opção diferente?

Postagens mais visitadas deste blog

DE NOVO: BELEZINHA TENTA COMPRAR CANDIDATO A VEREADOR E É DENUNCIADA À POLÍCIA

Dinheiro entregue à Polícia Festejada nas redes sociais pela ex-prefeita Belezinha e seus partidários, a adesão do candidato a vereador Lucídio se revelou mais um escândalo que abuso de poder econômico. Anúncio de adesão pela manhã Horas depois do anúncio, Lucídio registrou Boletim de Ocorrência acusando a coligação adversária de lhe ter entregado R$ 5 mil para ele se deixar fotografar ao lado da candidata e apoiá-la. Ao registrar o BO, o candidato apresentou aos policiais o valor que lhe foi entregue, e áudios das conversas entre ele e intermediários da ex-prefeita. Num deles o conhecimento da candidata sobre as negociações é confirmado. A versão foi confirmada por uma testemunha que presenciou a entrega do dinheiro. Após perícias as provas deverão ser encaminhadas para o Ministério Público Eleitoral e nova denúncia de abuso de poder econômico deve ser apresentada contra a candidata. Denúncia feita à tarde Belezinha responde no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ação semelhante p

O que não te disseram sobre a "farra dos contracheques"

Enquanto a gritaria tomava conta das redes sociais, me dediquei a estudar a folha de pagamento da Prefeitura de Chapadinha e verifiquei alguns dados que precisam ser esclarecidos. Primeiro, nenhum vigia “recebe” R$ 6 mil. O presente do indicativo é usado para demonstrar ação continuada. E o vigia Marcelo Costa Abreu, segundo este mesmo Portal da Transparência que serve de fonte para pinçar informações pela metade e causar alvoroço, tem um salário de R$ 1.247,50. Nos meses de Setembro e Outubro ele recebeu gratificações para compensar outros serviços que ele teria prestado à administração municipal, segundo relato dele mesmo em áudio que circula nos grupos de WhatsApp. A tese de "rachadinha" cai por terra A realização destes trabalhos deve ser atestada, mas essa checagem desmonta a tese segunda qual ele receberia um grande salário para dividir com um ex-prefeito e um vereador. Outro dado que tem aparecido de maneira muito distorcida é a lotação de todos os

EM PRIMEIRA MÃO: EX-PREFEITA PERDE O MANDATO DE DEPUTADA

Durou pouco a passagem da ex-prefeita Ducilene Belezinha (PL) na Assembleia Legislativa do Maranhão. Ela havia sido empossada no cargo de deputada estadual no mês passado devendo favor ao deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL) que determinou que a esposa, Detinha (PL), saísse de licença. Ocorre que Belezinha foi apenas a quinta suplente da coligação, e sua a posse dependeu do falecimento de um deputado e a nomeação de três parlamentares no secretariado do governador Flávio Dino, mas um deles voltou ontem (6) para o legislativo, aliás, uma secretária: Ana do Gás (PCdoB). Parlamentar com votação expressiva em Chapadinha na eleição de 2014, quando teve o apoio do hoje prefeito Magno Bacelar, a comunista ocupava a Secretaria de Estado da Mulher, mas decidiu reassumir o mandato de deputada levando a ex-prefeita de volta à condição de suplente. Festejado com carreata organizada por seus apoiadores com pouquíssima participação popular, o mandato de Belezinha na Assembleia durou 13 dia