Pular para o conteúdo principal

Quando se luta em defesa do que se deveria combater



O nova direção do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Chapadinha (Sindchap), alinhada politicamente ao grupo de oposição do município, vem anunciando uma série de manifestações pedindo que a administração municipal pague abono salarial aos professores da rede ensino municipal.

Mais do que um pedido, o abono virou a única bandeira do Sindicato. Desde a posse da nova direção não se tem notícia de qualquer outra reivindicação pública da entidade. Só, e tão somente, a exigência de abono salarial.

Triste início de gestão.

A política de abono salarial é algo que deveria ser combatido por qualquer entidade sindical que defenda a valorização profissional da sua categoria. De que adianta uma categoria receber abono às custas de viver sobrecarregada, com os salários achatados e tendo seus direitos desrespeitados? É isso que defende, por outras vias, quem quer que o governo pague abono ano após ano.

O abono é um dinheiro que o profissional recebe uma vez e passa o resto do ano sem tê-lo. Se o Sindicato acha que há espaço no orçamento para mais gastos com folha de pagamento, o correto seria exigir do governo aumento do salário base dos professores. Isso sim valoriza o profissional e dá a certeza de aumento real na renda mensal da sua família.


Por que não haverá abono

Os municípios recebem os recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básiva e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) e tem a obrigação legal de utilizar pelo menos 60% do valor com o pagamento de professores. 

Alguns municípios, que tem poucos docentes ou onde estes profissionais recebem mal, pagam um abono para alcançar o mínimo previsto em lei, de 60%. Este, felizmente, não é o caso de Chapadinha. Nosso município tem mais de mil professores na rede pública municipal, todos concursados (!), alcançando uma média de um profissional para cada 23 alunos.

Além disso, a direção anterior do Sindchap conquistou o tão sonhado Plano de Cargos, Carreira e Remuneração para os professores e é respeitado no município o Piso Nacional do Magistério. 

Somando-se esses fatores, os gastos com folha de pagamento dos professores com recursos do Fundeb chegaram a 72,9% no ano passado. Quase 13 pontos percentuais acima do mínimo exigido na lei.

Se, no final do ano, o índice estiver abaixo dos 60% haverá abono. Caso contrário, a prefeita certamente não vai agir de forma populista e dar abono sem o município ter condições para isso. O tempo do populismo já passou em Chapadinha.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O que não te disseram sobre a "farra dos contracheques"

Enquanto a gritaria tomava conta das redes sociais, me dediquei a estudar a folha de pagamento da Prefeitura de Chapadinha e verifiquei alguns dados que precisam ser esclarecidos.
Primeiro, nenhum vigia “recebe” R$ 6 mil. O presente do indicativo é usado para demonstrar ação continuada. E o vigia Marcelo Costa Abreu, segundo este mesmo Portal da Transparência que serve de fonte para pinçar informações pela metade e causar alvoroço, tem um salário de R$ 1.247,50. Nos meses de Setembro e Outubro ele recebeu gratificações para compensar outros serviços que ele teria prestado à administração municipal, segundo relato dele mesmo em áudio que circula nos grupos de WhatsApp.
A realização destes trabalhos deve ser atestada, mas essa checagem desmonta a tese segunda qual ele receberia um grande salário para dividir com um ex-prefeito e um vereador.
Outro dado que tem aparecido de maneira muito distorcida é a lotação de todos os servidores como funcionários do gabinete do prefeito. Na verdade…

PRIMEIRA CHAPA CONFIRMADA: HIGOR E MARCELO MARINHEIRO

Nem o isolamento social imposto pela pandemia de Covid-19 freou as articulações políticas. Respeitando as restrições e orientações da Organização Mundial da Saúde, o empresário Higor da Universidade Infantil e o vereador Marcelo Marinheiro se encontraram na manhã desta segunda-feira (30) e definiram que formarão chapa visando as pré-candidaturas a prefeito e vice-prefeito de Chapadinha nas eleições de 2020.
Em contato com o Blog do Braga, a dupla afirmou que já vinha conversando nas últimas semanas e que tomaram a decisão após análise das últimas pesquisas de intenção de voto, que indicariam a viabilidade da composição.
Em meio às incertezas jurídicas de outros concorrentes, Chapadinha ganha a primeira chapa 100% definida e ficha-limpa para as próximas eleições. Após o término do período de isolamento social proposto pela OMS os pré-candidatos informarão o calendário de eventos destinados à propagação das suas plataformas políticas.
“Por enquanto, nos cabe apenas desejar a todos mui…

Uma decisão que não se sustenta

Há tempos o município dava sinais de que conseguiria manter o calendário de pagamento dos servidores públicos de acordo com a promessa de campanha do prefeito Magno Bacelar, com 10 dias dentro do mês trabalho. Ontem a Prefeitura anunciou que todos os servidores receberão no limite previsto em lei e as reações foram instantâneas.
Até a aliada presidente da Câmara, professora Vera, já se pronunciou duramente repudiando a decisão do prefeito. “Não vejo justificativa para a medida da Prefeitura de transferir os pagamentos para o 5º dia útil do mês subsequente”, declarou em redes sociais.
Apesar de não haver ilegalidade no anúncio, algumas considerações precisam ser feitas. A primeira, e mais importante neste momento de pandemia, é que nunca foi tão necessário escalonar o pagamento. Para evitar aglomerações ainda maiores nas agências bancárias, os servidores de diferentes órgãos deveriam receber em dias alternados.
Em segundo lugar, a crise econômica agravada pela pandemia de Covid-19 po…