Pular para o conteúdo principal

Danúbia e o Silêncio que Condena

Por Alexandre Pinheiro



No direito toda alegação da parte autora deve ser frontalmente repelida na contestação do réu sob pena de tornar incontroverso o tal fato alegado que – grosso modo – passa a ser considerado verdadeiro pelo juiz. No papo de esquina, pode-se traduzir por: passou batido!  

Na vida pública isso também acaba acontecendo. Enquanto algumas autoridades confrontadas com denúncias apostam no esquecimento, sem apresentar sua versão, a opinião pública vai acumulando informações e forjando o conceito acerca dessa figura pública. 

Chapadinha tem sido pródiga na falta de satisfação dos gestores em questionamentos muito pertinentes. Da época do ex-prefeito Isaías até hoje, não raros os momentos de apagão de informações dos ocupantes do cargo maior do município. 

Isaías tem – entre outras mazelas – o atraso de até 9 meses de salários que deixou no término de governo, sem ter ao menos tentado justificar os motivos ou sequer falar sobre o assunto até os dias atuais. Nunca se ouviu dele qualquer explicação a respeito. 

O governo atual já se acumula silente sobre muitas indagações. Só nos últimos dias temos o Abono Salarial pretendido pelos professores e pago na maioria dos municípios; a contratação sem licitação de uma empresa para realização de show por 200 mil reais, contra o preço de mercado que não chega à metade disso; criança velada viva; nepotismo... 

Aqui, abre-se um parênteses para distinguir o perfil dos seguidores de Isaías,  indiferentes ao confronto ético ou às contradições administrativas do líder, para os demais eleitores ligados, criteriosos, exigentes e que fazem uma falta danada em disputas que se definem por margem nunca superior a dois pontos percentuais, como tem acontecido em Chapadinha nos últimos pleitos.   

Considero que a prefeita Danúbia tem o mérito de não ter perdido a iniciativa. As mudanças que vem implantando no trânsito são exemplo disso, e, embora setores mais ranhetas da oposição não vejam, o que se passa neste setor é um verdadeiro choque de organização e urbanidade.   

De outra parte, há inúmeros problemas a espera de solução e outro tanto de acontecimentos no aguardo de pronunciamento. Pode ser, contudo, que a prefeita tenha e guarde explicações satisfatórias, mas ao preferir o silêncio – tendo ainda, com efeito, obrigação legal de prestar contas – gera no inconsciente popular a incontrovertida tendência de ser condenada no veredicto das urnas em 2012.       

Comentários

Carlos Henrique disse…
Amigo e companheiro BRAGUINHA,concordo com voce ,um erro nunca justifica outro, erros passados somente serviram de pesadelos e nunca de lembrancas(devemos continuar combatendo), porem temos que continuar lutando para que esse quadro atual politico de nosso municipio mude e mude pra para melhor,principalmente nos que ja entramos praticamente no final do mandato da atual administracao,temos obrigacao moral e tecnica de fazermos a diferenca.Um abraco e vamos continuar lutando em prol de nossos amigos chapadinhenses.Atenciosamente Carlos Henrique Marques .

Postagens mais visitadas deste blog

DE NOVO: BELEZINHA TENTA COMPRAR CANDIDATO A VEREADOR E É DENUNCIADA À POLÍCIA

Dinheiro entregue à Polícia Festejada nas redes sociais pela ex-prefeita Belezinha e seus partidários, a adesão do candidato a vereador Lucídio se revelou mais um escândalo que abuso de poder econômico. Anúncio de adesão pela manhã Horas depois do anúncio, Lucídio registrou Boletim de Ocorrência acusando a coligação adversária de lhe ter entregado R$ 5 mil para ele se deixar fotografar ao lado da candidata e apoiá-la. Ao registrar o BO, o candidato apresentou aos policiais o valor que lhe foi entregue, e áudios das conversas entre ele e intermediários da ex-prefeita. Num deles o conhecimento da candidata sobre as negociações é confirmado. A versão foi confirmada por uma testemunha que presenciou a entrega do dinheiro. Após perícias as provas deverão ser encaminhadas para o Ministério Público Eleitoral e nova denúncia de abuso de poder econômico deve ser apresentada contra a candidata. Denúncia feita à tarde Belezinha responde no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ação semelhante p

EM PRIMEIRA MÃO: EX-PREFEITA PERDE O MANDATO DE DEPUTADA

Durou pouco a passagem da ex-prefeita Ducilene Belezinha (PL) na Assembleia Legislativa do Maranhão. Ela havia sido empossada no cargo de deputada estadual no mês passado devendo favor ao deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL) que determinou que a esposa, Detinha (PL), saísse de licença. Ocorre que Belezinha foi apenas a quinta suplente da coligação, e sua a posse dependeu do falecimento de um deputado e a nomeação de três parlamentares no secretariado do governador Flávio Dino, mas um deles voltou ontem (6) para o legislativo, aliás, uma secretária: Ana do Gás (PCdoB). Parlamentar com votação expressiva em Chapadinha na eleição de 2014, quando teve o apoio do hoje prefeito Magno Bacelar, a comunista ocupava a Secretaria de Estado da Mulher, mas decidiu reassumir o mandato de deputada levando a ex-prefeita de volta à condição de suplente. Festejado com carreata organizada por seus apoiadores com pouquíssima participação popular, o mandato de Belezinha na Assembleia durou 13 dia

ORINALDO ANUNCIA ROMPIMENTO COM MAGNO E APOIO A HIGOR ALMEIDA

O ex-vereador Orinaldo Araújo, esposo da vereadora Missecley, gravou hoje mensagem para anunciar seu desligamento do grupo político do prefeito Magno Bacelar. Ao lado de três dos seus quatro filhos Orinaldo afirmou que ainda não conversou com o Higor Almeida, mas apoiará sua candidatura. “É o que candidato que representa realmente aquilo que a gente pensa, aquilo que a gente quer pro nosso município”, afirmou. Havia chamado a atenção do meio político as ausências de Orinaldo e Missecley do primeiro comício de campanha do prefeito, realizado no bairro em que eles moram e têm forte base eleitoral. A insegurança jurídica da candidatura do prefeito e o forte desgaste apresentado nas pesquisas de opinião devem gerar novas adesões nos próximos dias.