Pular para o conteúdo principal

Prioridade à Juventude

Por Zé Dirceu

Nesta semana, estive em um debate organizado pela Juventude do PT em Minas Gerais sobre os desafios à política nacional de juventude. Saí do encontro mais convicto de que preparar o Brasil para o futuro passa por introduzir a juventude em nossas políticas públicas.

Não restam dúvidas do quanto avançamos no governo Lula: saímos de um profundo sucateamento das políticas públicas e alcançamos um patamar mínimo de valorização do jovem.

De fato, foram várias realizações: da reestruturação do ensino superior - com a construção de 14 novas universidades - ao Enem e ProUni, passando pela instituição do piso salarial do professor, pela entrega de 240 novas escolas técnicas, criação de 15 milhões de empregos e valorização do salário mínimo. Trata-se de um conjunto de ações que permitem devolver ao jovem esperança e perspectivas.

Contudo, há ainda muito por fazer até 2014. Na educação, os caminhos já foram indicados pela presidente Dilma Rousseff e abarcam políticas tanto para a infância como para a juventude. Por exemplo: fazer 6.000 novas creches; ampliar a Rede Cegonha, lançada em março, em Belo Horizonte; construir 200 novas escolas técnicas; e fortalecer a qualidade do ensino, com o aprimoramento e a formação de professores, mas também com medidas como o Programa Nacional de Acesso à Escola Técnica (Pronatec), que associa o Bolsa Família a um curso de formação profissional. Haverá R$ 1 bilhão no programa.

A educação é vital, mas é preciso envolver outras áreas.Articular as políticas com ações voltadas à Copa e às Olimpíadas é um caminho para legar um novo patamar de vida ao jovem. Nesse sentido, não podemos deixar para depois a reforma do SUS e o enfrentamento do crack, que se alastra nas grandes cidades, definhando parcela das próximas gerações. O Programa Nacional de Combate ao Crack, lançado no ano passado, tem o objetivo de atacar esse problema.

Ao mesmo tempo, é crucial combater a violência com saídas como as UPPs, mas também controlando melhor as fronteiras e com ações de inteligência que desarticulem as quadrilhas.
Nesse capítulo, há políticas sociais decisivas: vale-cultura, construção de quadras poliesportivas e laboratórios em escolas do ensino médio, estímulo ao empreendedorismo e valorização da produção cultural local e comunitária, que dão voz e identidade e ampliam a participação do jovem. Cito as experiências com grafiteiros na gestão do PT em São Paulo.

Finalmente, priorizar o transporte público, com melhoria na qualidade e quantidade dos ônibus, tarifas mais acessíveis e conjunção com metrô e trens. Isso é vital porque os estudantes passam muito tempo se locomovendo em veículos lotados e sem o mínimo de conforto que permita ler e estudar no trajeto, além de roubar tempo precioso de lazer e convívio social.

Olhar para o jovem agora e envolvê-los nas decisões é garantir o elo entre as diferentes gerações e, assim, o futuro do país.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

DE NOVO: BELEZINHA TENTA COMPRAR CANDIDATO A VEREADOR E É DENUNCIADA À POLÍCIA

Dinheiro entregue à Polícia Festejada nas redes sociais pela ex-prefeita Belezinha e seus partidários, a adesão do candidato a vereador Lucídio se revelou mais um escândalo que abuso de poder econômico. Anúncio de adesão pela manhã Horas depois do anúncio, Lucídio registrou Boletim de Ocorrência acusando a coligação adversária de lhe ter entregado R$ 5 mil para ele se deixar fotografar ao lado da candidata e apoiá-la. Ao registrar o BO, o candidato apresentou aos policiais o valor que lhe foi entregue, e áudios das conversas entre ele e intermediários da ex-prefeita. Num deles o conhecimento da candidata sobre as negociações é confirmado. A versão foi confirmada por uma testemunha que presenciou a entrega do dinheiro. Após perícias as provas deverão ser encaminhadas para o Ministério Público Eleitoral e nova denúncia de abuso de poder econômico deve ser apresentada contra a candidata. Denúncia feita à tarde Belezinha responde no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ação semelhante p

O que não te disseram sobre a "farra dos contracheques"

Enquanto a gritaria tomava conta das redes sociais, me dediquei a estudar a folha de pagamento da Prefeitura de Chapadinha e verifiquei alguns dados que precisam ser esclarecidos. Primeiro, nenhum vigia “recebe” R$ 6 mil. O presente do indicativo é usado para demonstrar ação continuada. E o vigia Marcelo Costa Abreu, segundo este mesmo Portal da Transparência que serve de fonte para pinçar informações pela metade e causar alvoroço, tem um salário de R$ 1.247,50. Nos meses de Setembro e Outubro ele recebeu gratificações para compensar outros serviços que ele teria prestado à administração municipal, segundo relato dele mesmo em áudio que circula nos grupos de WhatsApp. A tese de "rachadinha" cai por terra A realização destes trabalhos deve ser atestada, mas essa checagem desmonta a tese segunda qual ele receberia um grande salário para dividir com um ex-prefeito e um vereador. Outro dado que tem aparecido de maneira muito distorcida é a lotação de todos os

EM PRIMEIRA MÃO: EX-PREFEITA PERDE O MANDATO DE DEPUTADA

Durou pouco a passagem da ex-prefeita Ducilene Belezinha (PL) na Assembleia Legislativa do Maranhão. Ela havia sido empossada no cargo de deputada estadual no mês passado devendo favor ao deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL) que determinou que a esposa, Detinha (PL), saísse de licença. Ocorre que Belezinha foi apenas a quinta suplente da coligação, e sua a posse dependeu do falecimento de um deputado e a nomeação de três parlamentares no secretariado do governador Flávio Dino, mas um deles voltou ontem (6) para o legislativo, aliás, uma secretária: Ana do Gás (PCdoB). Parlamentar com votação expressiva em Chapadinha na eleição de 2014, quando teve o apoio do hoje prefeito Magno Bacelar, a comunista ocupava a Secretaria de Estado da Mulher, mas decidiu reassumir o mandato de deputada levando a ex-prefeita de volta à condição de suplente. Festejado com carreata organizada por seus apoiadores com pouquíssima participação popular, o mandato de Belezinha na Assembleia durou 13 dia