Pular para o conteúdo principal

Carta à Juventude e ao PT

Valdemir Pascoal

É com muito orgulho que, hoje, escrevo este texto. Não é sempre que um jovem, vindo da periferia de Cuiabá, passando por todas as dificuldades que passei na vida, chega até onde cheguei: Secretário Nacional da Juventude do PT.

Sempre que ouço os discursos de nosso eterno presidente Lula, falando da dificuldade de sua vida e a de muitos brasileiros, sinto como se ele estivesse se referindo a mim e a história de minha família. Minha mãe, militante histórica do PT do Mato Grosso, também sente isso. E nos orgulhamos muito.

E isso tudo me dá claros sinais. Sinais de que esta oportunidade que o destino me dá não pode ser jogada fora. Sinais de que a Juventude do PT ansiou por mudanças, como as que ocorrem no Brasil. Sinais de que os avanços na discussão do “tema juventude” não podem parar. E não vão, no que depender deste companheiro.

Os que me conhecem sabem que sou uma pessoa de compromisso e muito trabalho. São essas duas características de minha personalidade que ofereço ao PT e ao Brasil. Assumo desde já o compromisso de realizar uma gestão que inclua todas as representações internas e de segmentos sociais que compõem nossa Direção. A Juventude do PT só pode ser chamada assim se de fato os jovens do PT a compuserem. É tarefa nossa romper a barreira entre dirigentes da juventude e a base desta, e dialogar amplamente com todos os jovens, nos quatro cantos do país.

Assumo ainda mais compromissos. Vamos, junto com a Direção da JPT nas agendas internas e externas que teremos, aumentar nossa participação numérica e politicamente em todas elas.  A JPT precisa e deve estar inserida no movimento social e, acreditem, estaremos.

O I Congresso da Juventude do PT representou um avanço imensurável na organização da JPT nos estados e municípios. Portanto, nosso maior desafio, sem dúvida, é organizar um II Congresso maior e melhor, ou seja, menos eleitoral e mais politizado, e que possibilite a manifestação de toda a diversidade dos delegados vindos dos 26 estados, mais o Distrito Federal. O II Congresso deve ser também um encontro do Brasil Petista, de troca de experiências e realidades, onde todos e todas saiam ganhando.

Por fim, esta frase do Presidente Lula, escrita em 28 de outubro de 2002, sintetiza meus pensamentos e sentimentos: “Meu coração bate forte. Sei que estou sintonizado com a esperança de milhões e milhões de outros corações. Estou otimista. Sinto que um novo Brasil está nascendo.”

Um forte abraço a todos que sonham. É com eles que iremos caminhar em nossa gestão.


Valdemir Paschoal é secretário nacional da Juventude do PT

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O que não te disseram sobre a "farra dos contracheques"

Enquanto a gritaria tomava conta das redes sociais, me dediquei a estudar a folha de pagamento da Prefeitura de Chapadinha e verifiquei alguns dados que precisam ser esclarecidos.
Primeiro, nenhum vigia “recebe” R$ 6 mil. O presente do indicativo é usado para demonstrar ação continuada. E o vigia Marcelo Costa Abreu, segundo este mesmo Portal da Transparência que serve de fonte para pinçar informações pela metade e causar alvoroço, tem um salário de R$ 1.247,50. Nos meses de Setembro e Outubro ele recebeu gratificações para compensar outros serviços que ele teria prestado à administração municipal, segundo relato dele mesmo em áudio que circula nos grupos de WhatsApp.
A realização destes trabalhos deve ser atestada, mas essa checagem desmonta a tese segunda qual ele receberia um grande salário para dividir com um ex-prefeito e um vereador.
Outro dado que tem aparecido de maneira muito distorcida é a lotação de todos os servidores como funcionários do gabinete do prefeito. Na verdade…

EM PRIMEIRA MÃO: EX-PREFEITA PERDE O MANDATO DE DEPUTADA

Durou pouco a passagem da ex-prefeita Ducilene Belezinha (PL) na Assembleia Legislativa do Maranhão. Ela havia sido empossada no cargo de deputada estadual no mês passado devendo favor ao deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL) que determinou que a esposa, Detinha (PL), saísse de licença. Ocorre que Belezinha foi apenas a quinta suplente da coligação, e sua a posse dependeu do falecimento de um deputado e a nomeação de três parlamentares no secretariado do governador Flávio Dino, mas um deles voltou ontem (6) para o legislativo, aliás, uma secretária: Ana do Gás (PCdoB).
Parlamentar com votação expressiva em Chapadinha na eleição de 2014, quando teve o apoio do hoje prefeito Magno Bacelar, a comunista ocupava a Secretaria de Estado da Mulher, mas decidiu reassumir o mandato de deputada levando a ex-prefeita de volta à condição de suplente.Festejado com carreata organizada por seus apoiadores com pouquíssima participação popular, o mandato de Belezinha na Assembleia durou 13 dias.…

ORINALDO ANUNCIA ROMPIMENTO COM MAGNO E APOIO A HIGOR ALMEIDA

O ex-vereador Orinaldo Araújo, esposo da vereadora Missecley, gravou hoje mensagem para anunciar seu desligamento do grupo político do prefeito Magno Bacelar.Ao lado de três dos seus quatro filhos Orinaldo afirmou que ainda não conversou com o Higor Almeida, mas apoiará sua candidatura. “É o que candidato que representa realmente aquilo que a gente pensa, aquilo que a gente quer pro nosso município”, afirmou.Havia chamado a atenção do meio político as ausências de Orinaldo e Missecley do primeiro comício de campanha do prefeito, realizado no bairro em que eles moram e têm forte base eleitoral.A insegurança jurídica da candidatura do prefeito e o forte desgaste apresentado nas pesquisas de opinião devem gerar novas adesões nos próximos dias.