Pular para o conteúdo principal

A quem interessa o enfraquecimento do PT?

Raimundo Monteiro
Do Blog do Robert Lobato

Um espectro ronda a política do Maranhão: o espectro do petismo. Há algo de estranho no ar em relação à tentativa de linchamento moral do presidente estadual do PT, Raimundo Monteiro.

Estranho que, exatamente quando o PT maranhense atravessa um momento de possibilidades reais de se firmar enquanto partido que está e quer disputar poder, surjam acusações contra o seu principal o dirigente.

Divulga-se tudo sobre essa operação da Polícia Federal em relação ao Incra, menos que foi exatamente o ex-superintendente Raimundo Monteiro quem primeiro solicitou à PF que ela fosse efetivada. Mais: o PT apoia a operação e exige que os culpados sejam punidos. Mas isso parece ter importância para quem aposta na “prisão” do presidente do partido como forma de enfraquecer o PT para as disputas eleitorais futuras.

Mas quebrarão a cara quem jogar todas as suas fichas nesse jogo de intimidação que visa fragilizar o partido da presidente Dilma, aqui no Maranhão.

O PT sabe o que quer e onde deseja chegar. Conta com um vice-governador que tem uma biografia marcada por muitas lutas, goza do apoio da governadora Rosena Sarney, além de ser um dos principais interlocutores do governo federal e do diretório nacional do partido, no Maranhão.

Nesse sentido, um PT fragilizado só interessa àqueles que não desejam que o partido cresça no estado, que não querem que ele seja um dos protagonistas na constração de um novo projeto de sociedade para o Maranhão, que não seja um instrumento estratégico para colocar o estado em outro patamar de desenvolvimento socioeconômico através do governo que participa. Ao que tudo indica, tudo o que estamos vendo neste momento parece está ligado a 2014, o que é uma verdadeira precipitação.

Comentários

Anônimo disse…
Concordo plenamente. Vejo que o PT tem sido objeto de acusações sistemáticas desde que começou ascensão no Maranhão, acusações de toda ordem que querem denegrir a imagem do partido e de companheiros. Acredito no companheiro Monteiro, não podemos permitir que se embarquem numa trajetória que "transforma as pessoas em párias antes do julgamento". A pessoa, até ser provada a sua culpa, é inocente. O companheiro está sendo acusado, mas não têm uma culpa formada. Quem o conhece Monteiro sabe da sua integridade, ética e honestidade. É um homem humilde e comprometido com as causas sociais. Merece todo o nosso apoio, confiança e credibilidade. Portanto, ninguém tem o direito de apontar dedo e tomar uma atitude farisaica. É preciso avaliar o que tem de verdade e se houver erro, corrigir". Nenhum petista tem que ter vergonha de defender um companheiro. O PT tem compromisso com a democracia, não apenas formal, mas econômica, social e cultural para que possamos incluir e fazer uma nação digna. É assim, que vamos construir novas vitórias e novos caminhos para o PT. Mas ninguém tem mais autoridade moral e ética" do que o partido. "O PT não pode se acovardar nesse debate.
Márcio Bezerra (PT - TIMON)

Postagens mais visitadas deste blog

DE NOVO: BELEZINHA TENTA COMPRAR CANDIDATO A VEREADOR E É DENUNCIADA À POLÍCIA

Dinheiro entregue à Polícia Festejada nas redes sociais pela ex-prefeita Belezinha e seus partidários, a adesão do candidato a vereador Lucídio se revelou mais um escândalo que abuso de poder econômico. Anúncio de adesão pela manhã Horas depois do anúncio, Lucídio registrou Boletim de Ocorrência acusando a coligação adversária de lhe ter entregado R$ 5 mil para ele se deixar fotografar ao lado da candidata e apoiá-la. Ao registrar o BO, o candidato apresentou aos policiais o valor que lhe foi entregue, e áudios das conversas entre ele e intermediários da ex-prefeita. Num deles o conhecimento da candidata sobre as negociações é confirmado. A versão foi confirmada por uma testemunha que presenciou a entrega do dinheiro. Após perícias as provas deverão ser encaminhadas para o Ministério Público Eleitoral e nova denúncia de abuso de poder econômico deve ser apresentada contra a candidata. Denúncia feita à tarde Belezinha responde no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ação semelhante p

O que não te disseram sobre a "farra dos contracheques"

Enquanto a gritaria tomava conta das redes sociais, me dediquei a estudar a folha de pagamento da Prefeitura de Chapadinha e verifiquei alguns dados que precisam ser esclarecidos. Primeiro, nenhum vigia “recebe” R$ 6 mil. O presente do indicativo é usado para demonstrar ação continuada. E o vigia Marcelo Costa Abreu, segundo este mesmo Portal da Transparência que serve de fonte para pinçar informações pela metade e causar alvoroço, tem um salário de R$ 1.247,50. Nos meses de Setembro e Outubro ele recebeu gratificações para compensar outros serviços que ele teria prestado à administração municipal, segundo relato dele mesmo em áudio que circula nos grupos de WhatsApp. A tese de "rachadinha" cai por terra A realização destes trabalhos deve ser atestada, mas essa checagem desmonta a tese segunda qual ele receberia um grande salário para dividir com um ex-prefeito e um vereador. Outro dado que tem aparecido de maneira muito distorcida é a lotação de todos os

EM PRIMEIRA MÃO: EX-PREFEITA PERDE O MANDATO DE DEPUTADA

Durou pouco a passagem da ex-prefeita Ducilene Belezinha (PL) na Assembleia Legislativa do Maranhão. Ela havia sido empossada no cargo de deputada estadual no mês passado devendo favor ao deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL) que determinou que a esposa, Detinha (PL), saísse de licença. Ocorre que Belezinha foi apenas a quinta suplente da coligação, e sua a posse dependeu do falecimento de um deputado e a nomeação de três parlamentares no secretariado do governador Flávio Dino, mas um deles voltou ontem (6) para o legislativo, aliás, uma secretária: Ana do Gás (PCdoB). Parlamentar com votação expressiva em Chapadinha na eleição de 2014, quando teve o apoio do hoje prefeito Magno Bacelar, a comunista ocupava a Secretaria de Estado da Mulher, mas decidiu reassumir o mandato de deputada levando a ex-prefeita de volta à condição de suplente. Festejado com carreata organizada por seus apoiadores com pouquíssima participação popular, o mandato de Belezinha na Assembleia durou 13 dia