Pular para o conteúdo principal

Política com “P” Maiúsculo

Por: Almir Moreira – Advogado
A administração caminha normalmente sem nada a lhe travar, apesar da aparente situação caótica em alguns setores estruturais, espelho da história brasileira. As deficiências que temos são as mesmas do Brasil. No rico Mato Grosso a produção sofre percalços para escoar, a malha viária está em frangalhos. No prospero sudeste ainda temos moradias penduradas em barrancos. Na maior metrópole brasileira falta hospital sobra paciente. Contudo, os ganhos do Brasil recente, sob a batuta do Presidente Lula, se sobrepõem a estas mazelas porque numa esquala de tempo repercutirão no sentido de demovê-las. Aqui também esses ganhos foram incorporados à nossa realidade sociopolítica, nossa economia cresceu sob a égide de um comando político local que soube interpretar esse momento, controlando as finanças públicas, expandindo a rede de serviços públicos e privilegiando o regime de liberdades respeitando sempre a diversidade de opinião.
Agora paralelo a isso como uma obra de engenharia o grupo político liderado por Magno\Danúbia vai se reestruturando e ganhando força, consciente da responsabilidade pela manutenção deste status, por entender ainda não termos superado esta etapa de afirmação da democracia chapadinhense. Assim, aliados de sempre como Joana leal e seu grupo se reagrupam, políticos como Dr. Elcio e seu grupo se afinam no governo e as base do PSC chega para ocupar cargo do primeiro escalão. O novo neste processo e a meu ver de suma importância é a composição feita com a participação de outros atores do nosso cenário político a demonstrar uma guinada de qualidade na concepção de governar. Falo da participação do Partido dos Trabalhadores. A administração sentirá através dos petistas um toque diferente de administrar que será benéfico a todos. Magno\Danubia enxergaram longe, o PT local nada mais fez do que senão acompanhar os passos da sua política nacional e estadual. O PT é governo no Brasil e no Maranhão, e é governo com alianças. E por que não seria em Chapadinha E por que se furtaria desta tarefa, realizada por gente de notória responsabilidade com nossa sociedade? Sem demérito a ninguém, Magno, Danubia, Sebastião Pinheiro, Zé Almeida, Zé Filho, Joana Leal, Alexandre Pinheiro, Prof. Jesus, não bastam?
Por fim, sem alarde vai sendo montada uma nova estrutura política de cunho administrativa e eleitoral, tudo em perfeita harmonia com o quadro político maranhense que se apresenta, Roseana e Washington na direção do Estado e a ascensão de Magno Bacelar ao Parlamento estadual.

Comentários

Anônimo disse…
Parabéns!!
*Almir pela reflexão sobre a política em todos os ângulos.

*O novo neste processo e a meu ver de suma importância é a composição feita com a participação de outros atores do nosso cenário político a demonstrar uma guinada de qualidade na concepção de governar. Falo da participação do Partido dos Trabalhadores.

Postagens mais visitadas deste blog

ALUIZIO SANTOS FALA SOBRE SUA SAÚDE

O secretário Aluizio Santos concedeu entrevista ao programa Alerta Geral, apresentado pelo jornalista Luis Carlos Jr. na rádio Cultura de Chapadinha, nesta manhã (10) e tratou do assunto que já estava dominando as rodas de conversa da política local: seu estado de saúde. Segundo o relato, desde o mês de junho ele estava acompanhando o aumento de dois linfonodos na sua virilha e decidiu, com a equipe de médicos que o acompanha em Chapadinha, pela remoção cirúrgica de ambos. O procedimento aconteceu no dia 25 de outubro e desde então ele ficou em repouso. O diagnóstico conclusivo sobre o tratamento de saúde ao qual ele precisará se submeter deverá ser apresentado em 10 dias, mas Aluizio tem voltado às atividades políticas, inclusive às articulações da sua pré-candidatura a deputado estadual. Assista o vídeo da entrevista no final da matéria.   ENTENDA O QUADRO A íngua é o inchaço dos linfonodos, pequenos órgãos do sistema linfático que atuam na defesa do organismo humano prod

DE CORPO PRESENTE: FLÁVIO DINO REBATE BELEZINHA SOBRE INVESTIMENTO EM SAÚDE E AINDA QUER ASSUMIR A UPA

Durante cerimônia de inauguração de asfalto aplicado no município com emendas da deputada Dra. Thaiza, o governador Flávio Dino respondeu os ataques que a prefeita Belezinha fez contra ele no início da semana. A gestora havia afirmado em pronunciamento oficial que ainda não teve ajuda do governo do estado para cuidar da Saúde em Chapadinha nos seus primeiros meses de administração. Relembre: No seu discurso, a deputada Thaiza já havia criticado a gestão municipal por Chapadinha ter tido o maior número de óbitos por Covid no estado, mas Belezinha tentou evitar polêmica. Tigrona na internet, ela virou tchuchuca na frente do governador falando até em parcerias do estado com o município através do vice-governador Carlos Brandão. Veja: Flávio Dino estranhou a diferença de comportamento do mundo virtual para o mundo real. “Há pessoas que se transformam na internet. Elas na nossa frente são pessoas de bom senso, mas quando chegam na internet se transformam e se danam a mentir”: Mais a

PREFEITURA INFORMA: VACINAÇÃO ATRASADA EM CHAPADINHA

Sábado meio-dia. Fim de expediente no comércio e quem ainda não foi pro interior está se preparando para o descanso merecido. Foi neste momento a Prefeitura de Chapadinha foi às redes sociais publicar informações sobre a vacinação no município e acabou revelando dados preocupantes. Já se suspeitava que os números não seriam positivos desde o dia em que o governo do estado liberou do uso de máscaras os moradores de municípios com mais de 70% de vacinação. A ausência de Chapadinha da lista era um sinal e a confirmação veio neste final de semana. Segundo o texto veiculado pela Prefeitura, apenas 60% dos adultos estariam vacinados no município e, ainda assim, este número considera os maiores de 18 anos. O índice usado pelo governo estadual considera a vacinação dos maiores de 12 anos. Mais gente para ser considerada faz com que o percentual seja, na verdade, ainda menor. Para efeito de comparação, a Áustria vive agora sua maior onda de mortes por ser o país com menor vacinação na Eur