Pular para o conteúdo principal

PT de Chapadinha discute convite de Danúbia com dirigentes estaduais

Washington Luiz e Zé Antônio Heluy com petistas do Baixo Parnaíba

As recentes mudanças no governo Danúbia Carneiro parecem que são para valer. Além das alterações em secretarias, departamentos e direções, a prefeita voltou a externar o desejo de contar com o Partido dos Trabalhadores em postos de destaque da administração municipal durante conversa com membros da direção executiva da legenda em Chapadinha.


A conversa, também relatada pelo professor Jânio Ayres, foi motivada pela necessidade de parceria entre os governos estadual e municipal para a manutenção da agência do Sine (Sistema Nacional de Empregos) em Chapadinha, mas tratou também de questões políticas do município. 

Neste ponto, acompanhada pelo ex-prefeito e deputado estadual eleito Magno Bacelar, Danúbia lembrou da que, além a força que o partido já tem em âmbito federal e estadual, também deve crescer na região e e que seu governo está de portas abertas para quadros do partido assumirem cargos que possibilitem a aplicação de políticas públicas características do modo petista de governar. 

Depois de um longo debate sobre a atual situação da cidade, os petistas presentes fizeram vários pedidos à prefeita relacionados à organização e a transparência da administração municipal, que foram todos aceitos pela prefeita, e, numa reunião em separado, avaliaram que o diálogo deveria ser mantido e levado a conhecimento da direção estadual da legenda. 

Com este objetivo foi enviada no início da semana uma comitiva de dirigentes do PT chapadinhense a São Luís. A comitiva tratou do assunto com o vice-governador do estado, Washington Luiz, e o secretário de Trabalho, Zé Antônio Heluy, acompanhada de militantes de outros municípios do Baixo Parnaíba, já que o que ocorre em Chapadinha tem reflexos em toda a região.

Petistas relataram ao vice-governador últimos fatos políticos de Chapadinha

Os militantes de Chapadinha informaram ao vice-governador sobre as últimas conversas no município e lembraram a inviabilidade de uma aliança do partido com o grupo do ex-prefeito Isaías Fortes,  pela forma com que a legenda e os movimentos sociais eram tratados pela prefeitura na época de seus governos.


O vice-governador relatou aos presentes a conversa que tivera com a prefeita e o deputado estadual eleito na semana passada. Nesta conversa, segundo Washington, os dois já haviam falado sobre o desejo de aproximação com o PT e afirmou que veria com bons olhos a aliança, desde fosse respeitada a pauta reivindicada pelos petistas na reunião com a prefeita. "Temos ótimos quadros em Chapadinha e dentro da atual circunstância política do município, essa aliança representaria uma grande oportunidade de fortalecimento do partido", afirmou.

O secretário de Trabalho, Zé Antônio Heluy, aconselhou seus companheiros a se manterem fiéis à linha política do partido. "Quando eu declarei voto em Roseana em 2006 fui criticado por muitos, mas o tempo mostrou que eu estava certo. Vocês também não podem deixar de tomar a decisão certa porque irão desagradar este ou aquele", advertiu.

Raimundo Monteiro: "PT e PMDB buscarão alianças em 2012"

No dia seguinte foi a vez dos dirigentes de Chapadinha ouvirem o presidente do diretório estadual, Raimundo Monteiro, sobre o assunto. Para Monteiro, o processo de fortalecimento do partido no estado só tem sentido se for enraizado nos municípios. "Nós temos que considerar que o PMDB é o nosso maior aliado no país, no estado e é um dos principais partidos que apoiam a prefeita Danúbia Carneiro. Uma aliança com este grupo nada mais seria do que seguir a orientação nacional do partido", lembrou. 


Ainda sem decisão tomada, o partido voltará a discutir o tema na sua base, reunirá o diretório municipal e dará uma resposta ao convite da prefeita até o dia 26.

Comentários

Professor Jânio disse…
Sr. Eduardo Braga,

sou o professor Jânio e venho aqui retificar alguns pontos.

O PT municipal não fechou as portas de diálogo com a senhora Dulcilene (Belezinha) e sr. Erik Marinho, ou qualquer outra liderança política de nosso município.
Na verdade, o fato do desgaste da relação entre o PT e o grupo político de sr. Isaías constitui-se um ponto de discussão, mas não de impossibilidade de coligação.
Contudo, houve a indicação de maior viabilidade histórica por parte das lideranças estaduais no sentido da aproximação com o governo de Danúbia. Contudo, a decisão, ao meu ver, está muito próxima de ocorrer.

O sr. Alexandre Pinheiro publicou em seu blog (http://alexandre-pinheiro.blogspot.com/2011/01/pt-o-elefante-e-o-mosquito.html) sobre o PT: "Agora, deixando alguns com o pé atrás, abre diálogo público com Magno e Danúbia".
Na verdade, foram Magno e Danúbia que propuzeram um diálogo político com o PT. Este, por sua vez, instigou o debate apenas para discutir a situação do SINE em Chapadinha.
Quem são esses que Alexandre citou com o "pé atrás"? O sr. Alexandre é do PT? Sequer esteve participando dos debates.
Outra coisa, Alexandre afirmou, ainda, que o PT abriu "diálogo público". Ao que me consta, não há qualquer formalizção entre o Partido dos Trabalhadores e o grupo político da senhora prefeita quanto à temática política. Inclusive, a senhora prefeita e sr. Magno é que procuraram o sr. vice-governador para tratar do assunto, conforme informações de seu blog (http://luizeduardobraga.blogspot.com/2011/01/danubia-e-magno-cortejam-pt-e-vice.html). Não podemos ser apontados como pedintes do governo de Danúbia.
O debate é delicado e envolve questões estaduais e nacionais, inclusive de fortalecimento de vínculos do grupo político com a vice-governadoria e com a própria governadora.
A senhora Danúbia e o sr. Magno não podem achar que estão tratando simplesmente com o PT de Chapadinha. Por outro lado, se lhes é alheio o fato de que Alexandre pode estar publicando informações sem a sua anuência, que venham a esclarecer isso publicamente, ou o debate poderá vir a estar comprometido.

Obrigado.

Postagens mais visitadas deste blog

O que não te disseram sobre a "farra dos contracheques"

Enquanto a gritaria tomava conta das redes sociais, me dediquei a estudar a folha de pagamento da Prefeitura de Chapadinha e verifiquei alguns dados que precisam ser esclarecidos.
Primeiro, nenhum vigia “recebe” R$ 6 mil. O presente do indicativo é usado para demonstrar ação continuada. E o vigia Marcelo Costa Abreu, segundo este mesmo Portal da Transparência que serve de fonte para pinçar informações pela metade e causar alvoroço, tem um salário de R$ 1.247,50. Nos meses de Setembro e Outubro ele recebeu gratificações para compensar outros serviços que ele teria prestado à administração municipal, segundo relato dele mesmo em áudio que circula nos grupos de WhatsApp.
A realização destes trabalhos deve ser atestada, mas essa checagem desmonta a tese segunda qual ele receberia um grande salário para dividir com um ex-prefeito e um vereador.
Outro dado que tem aparecido de maneira muito distorcida é a lotação de todos os servidores como funcionários do gabinete do prefeito. Na verdade…

PRIMEIRA CHAPA CONFIRMADA: HIGOR E MARCELO MARINHEIRO

Nem o isolamento social imposto pela pandemia de Covid-19 freou as articulações políticas. Respeitando as restrições e orientações da Organização Mundial da Saúde, o empresário Higor da Universidade Infantil e o vereador Marcelo Marinheiro se encontraram na manhã desta segunda-feira (30) e definiram que formarão chapa visando as pré-candidaturas a prefeito e vice-prefeito de Chapadinha nas eleições de 2020.
Em contato com o Blog do Braga, a dupla afirmou que já vinha conversando nas últimas semanas e que tomaram a decisão após análise das últimas pesquisas de intenção de voto, que indicariam a viabilidade da composição.
Em meio às incertezas jurídicas de outros concorrentes, Chapadinha ganha a primeira chapa 100% definida e ficha-limpa para as próximas eleições. Após o término do período de isolamento social proposto pela OMS os pré-candidatos informarão o calendário de eventos destinados à propagação das suas plataformas políticas.
“Por enquanto, nos cabe apenas desejar a todos mui…

Uma decisão que não se sustenta

Há tempos o município dava sinais de que conseguiria manter o calendário de pagamento dos servidores públicos de acordo com a promessa de campanha do prefeito Magno Bacelar, com 10 dias dentro do mês trabalho. Ontem a Prefeitura anunciou que todos os servidores receberão no limite previsto em lei e as reações foram instantâneas.
Até a aliada presidente da Câmara, professora Vera, já se pronunciou duramente repudiando a decisão do prefeito. “Não vejo justificativa para a medida da Prefeitura de transferir os pagamentos para o 5º dia útil do mês subsequente”, declarou em redes sociais.
Apesar de não haver ilegalidade no anúncio, algumas considerações precisam ser feitas. A primeira, e mais importante neste momento de pandemia, é que nunca foi tão necessário escalonar o pagamento. Para evitar aglomerações ainda maiores nas agências bancárias, os servidores de diferentes órgãos deveriam receber em dias alternados.
Em segundo lugar, a crise econômica agravada pela pandemia de Covid-19 po…