Pular para o conteúdo principal

São Luís 2012

Na política é assim. Quando uma eleição passa, logo se começa a pensar na próxima.

Apurados os votos da disputa estadual, já começaram as especulações sobre a disputa pela prefeitura da capital maranhense em 2012.

O cidadão ludovicense, de forma geral, ainda não está preocupado com a eleição, mas político e jornalista adora conjecturar. Eu, então, não perco tempo.

1. Apesar da péssima administração, que vem deixando a cidade cada vez mais suja, esburacada e mal cuidada, o o atual prefeito, João Castelo (PSDB), é candidato natural à reeleição e não deixa de ser o favorito na disputa, afinal, terá a máquina na mão e certamente não buscará atrito com o governo Roseana pelos próximos dois anos.

2. Se Castelo não pensa em deixar o Palácio de La Ravardière, quem está cheio de vontade de tirá-lo dali é o ex-prefeito Tadeu Palácio. Indicado pelo sarneysismo para ser vice na chapa de Jackson Lago (PDT) em 2000 e "reeleito" para o comando da prefeitura em 2004, Tadeu deixou o cargo bem avaliado e é pré-candidato desde o dia que deixou o posto nas mãos de Castelo.

Tadeu deve ser o candidato de Roseana, que já mandou avisar que quer seu grupo também no comando político de São Luís. Roseana, é bom lembrar, ficou em primeiro lugar na capital com 43,2% dos votos válidos.

3. Derrotado por Castelo no segundo turno de 2008, Flávio Dino (PCdoB) é outro candidatíssimo. Mesmo sem mandato e podendo não ter aliança com nenhum partido, o comunista deve entrar na disputa e poderá ficar com a marca de perdedor caso seja, mais uma vez, derrotado.

4. O resultado das urnas colocou mais um nome forte nessa disputa. O vereador e deputado federal eleito Edvaldo Holando Júnior (PTC) foi o mais votado em São Luís tendo nada menos que 72 mil votos. Chegou até perto dos 77 mil votos que Jackson teve como candidato a governador. O nome de Holanda Junior está no tabuleiro e só deve deixar de disputa caso seu pai, o deputado estadual não reeleito Edvaldo Holanda repactue com o ex-aliado Castelo, o que poderia lhe garantir o posto de candidato a vice-prefeito.

Até aqui nenhuma novidade. Mas uma análise mais profunda dos números pode colocar um outro personagem na disputa: O PT.

Em processo de renovação e fortalecimento, o partido do vice-governador eleito do estado, Washington Luiz (foto), foi o quarto mais votado em São Luís na eleição para deputado estadual. Na disputa pelas vagas de deputado federal, os candidatos do partido somaram 41 mil votos em São Luís, mais do que os do PSDB do prefeito e os do PDT, que comandou a prefeitura pelos três mandatos anteriores.

Quem acompanhou a última eleição sabe que o "fenômemo" Flávio Dino foi carregado pelo PT e que, portanto, o partido pode alçar voo solo e entrar na disputa pra valer. Mesmo se não lograr êxito em conquistar a prefeitura, a candidatura majoritária ajudará o partido a, pelo menos, eleger vereadores e ampliar sua base social debatendo com os eleitores o modo petista de governar.

Nomes dispostos a liderar esta chapa e espaço político em aberto não faltarão. Se não quiser ser coadjuvante e pensa em se fortalecer pra valer, o PT não deixará essa oportunidade passar e terá candidato próprio à prefeitura de São Luís em 2012.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

DE NOVO: BELEZINHA TENTA COMPRAR CANDIDATO A VEREADOR E É DENUNCIADA À POLÍCIA

Dinheiro entregue à Polícia Festejada nas redes sociais pela ex-prefeita Belezinha e seus partidários, a adesão do candidato a vereador Lucídio se revelou mais um escândalo que abuso de poder econômico. Anúncio de adesão pela manhã Horas depois do anúncio, Lucídio registrou Boletim de Ocorrência acusando a coligação adversária de lhe ter entregado R$ 5 mil para ele se deixar fotografar ao lado da candidata e apoiá-la. Ao registrar o BO, o candidato apresentou aos policiais o valor que lhe foi entregue, e áudios das conversas entre ele e intermediários da ex-prefeita. Num deles o conhecimento da candidata sobre as negociações é confirmado. A versão foi confirmada por uma testemunha que presenciou a entrega do dinheiro. Após perícias as provas deverão ser encaminhadas para o Ministério Público Eleitoral e nova denúncia de abuso de poder econômico deve ser apresentada contra a candidata. Denúncia feita à tarde Belezinha responde no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ação semelhante p

O que não te disseram sobre a "farra dos contracheques"

Enquanto a gritaria tomava conta das redes sociais, me dediquei a estudar a folha de pagamento da Prefeitura de Chapadinha e verifiquei alguns dados que precisam ser esclarecidos. Primeiro, nenhum vigia “recebe” R$ 6 mil. O presente do indicativo é usado para demonstrar ação continuada. E o vigia Marcelo Costa Abreu, segundo este mesmo Portal da Transparência que serve de fonte para pinçar informações pela metade e causar alvoroço, tem um salário de R$ 1.247,50. Nos meses de Setembro e Outubro ele recebeu gratificações para compensar outros serviços que ele teria prestado à administração municipal, segundo relato dele mesmo em áudio que circula nos grupos de WhatsApp. A tese de "rachadinha" cai por terra A realização destes trabalhos deve ser atestada, mas essa checagem desmonta a tese segunda qual ele receberia um grande salário para dividir com um ex-prefeito e um vereador. Outro dado que tem aparecido de maneira muito distorcida é a lotação de todos os

EM PRIMEIRA MÃO: EX-PREFEITA PERDE O MANDATO DE DEPUTADA

Durou pouco a passagem da ex-prefeita Ducilene Belezinha (PL) na Assembleia Legislativa do Maranhão. Ela havia sido empossada no cargo de deputada estadual no mês passado devendo favor ao deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL) que determinou que a esposa, Detinha (PL), saísse de licença. Ocorre que Belezinha foi apenas a quinta suplente da coligação, e sua a posse dependeu do falecimento de um deputado e a nomeação de três parlamentares no secretariado do governador Flávio Dino, mas um deles voltou ontem (6) para o legislativo, aliás, uma secretária: Ana do Gás (PCdoB). Parlamentar com votação expressiva em Chapadinha na eleição de 2014, quando teve o apoio do hoje prefeito Magno Bacelar, a comunista ocupava a Secretaria de Estado da Mulher, mas decidiu reassumir o mandato de deputada levando a ex-prefeita de volta à condição de suplente. Festejado com carreata organizada por seus apoiadores com pouquíssima participação popular, o mandato de Belezinha na Assembleia durou 13 dia