Pular para o conteúdo principal

Porque Roseana será reeleita

A única vez na história do Maranhão que o Palácio dos Leões perdeu uma eleição foi em 1965. Um ano após o golpe, o regime militar deu todas as condições para que seu maior aliado no estado derrotasse o grupo político hegemônico da época capitaneado pelo senador Vitorino Freire. O jovem político que alcançou tal feito com um discurso progressista foi José Sarney.

De lá pra cá, ninguém chegou ao governo do estado contra sua vontade a exceção de Jackson Lago, em 2006, quando o ex-sarneysista Zé Reinaldo Tavares comandava a máquina pública e se utilizou de uma vasta gama de crimes eleitorais para derrotar seus ex-aliados.

Com a cassação de Jackson Lago em decorrência das irregularidades cometidas na campanha e a posse de Roseana, nada leva a crer que essa eleição será diferente.

Como já escrevi aqui, Roseana teve no 1º turno de 2006, 47% dos votos válidos, mesmo com todo o esquema montado por Zé Reinaldo. Desta vez ela tem o apoio de todos que a apoiaram em 2006, mais PT e PRB.

Além disso, há uma clara mudança no cenário político da capital. Jackson Lago foi prefeito de São Luís por três vezes e sempre teve uma boa votação no município, mas os desgastes do seu governo com os professores, com os policiais e com o funcionalismo público levaram sua força política. Junte-se a isso a má avaliação da atual gestão do tucano João Castelo, apoiado por Jackson.

Esta circunstância poderia ser favorável à candidatura do comunista Flávio Dino, que teve uma boa votação na disputa contra João Castelo. O bom desempenho de Dino em 2008, contudo, foi obtido por ele ter tido ao seu lado a militância do PT e por ter sido "o candidato do Lula". A militância do PT está dividida meio a meio, mas certamente o comunista não é o candidato de Lula nessa disputa.

Junte-se a tudo isso uma questão crucial: "Roseana voltou diferente", como canta seu jingle. A "Branca" ficou mais humilde depois da derrota de 2006, mais popular depois da parceria com o PT e mais disposta tanto pra governar quanto para fazer campanha, apesar dos problemas de saúde pelos quais passou recentemente.

Pode ser exagero da minha parte, mas a disputa é pra saber se ela será eleita em 1º ou em 2º turno.

A maior possibilidade de sucesso da oposição seria conquistar uma das vagas de senador, mas as vaidades e os projetos pessoais diminuíram em muito suas chances. Quem ainda tem tempo pela frente, pensa em si viabilizar para o futuro, alguns, inclusive, de volta ao grupo político da governadora.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

DE NOVO: BELEZINHA TENTA COMPRAR CANDIDATO A VEREADOR E É DENUNCIADA À POLÍCIA

Dinheiro entregue à Polícia Festejada nas redes sociais pela ex-prefeita Belezinha e seus partidários, a adesão do candidato a vereador Lucídio se revelou mais um escândalo que abuso de poder econômico. Anúncio de adesão pela manhã Horas depois do anúncio, Lucídio registrou Boletim de Ocorrência acusando a coligação adversária de lhe ter entregado R$ 5 mil para ele se deixar fotografar ao lado da candidata e apoiá-la. Ao registrar o BO, o candidato apresentou aos policiais o valor que lhe foi entregue, e áudios das conversas entre ele e intermediários da ex-prefeita. Num deles o conhecimento da candidata sobre as negociações é confirmado. A versão foi confirmada por uma testemunha que presenciou a entrega do dinheiro. Após perícias as provas deverão ser encaminhadas para o Ministério Público Eleitoral e nova denúncia de abuso de poder econômico deve ser apresentada contra a candidata. Denúncia feita à tarde Belezinha responde no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ação semelhante p

EM PRIMEIRA MÃO: EX-PREFEITA PERDE O MANDATO DE DEPUTADA

Durou pouco a passagem da ex-prefeita Ducilene Belezinha (PL) na Assembleia Legislativa do Maranhão. Ela havia sido empossada no cargo de deputada estadual no mês passado devendo favor ao deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL) que determinou que a esposa, Detinha (PL), saísse de licença. Ocorre que Belezinha foi apenas a quinta suplente da coligação, e sua a posse dependeu do falecimento de um deputado e a nomeação de três parlamentares no secretariado do governador Flávio Dino, mas um deles voltou ontem (6) para o legislativo, aliás, uma secretária: Ana do Gás (PCdoB). Parlamentar com votação expressiva em Chapadinha na eleição de 2014, quando teve o apoio do hoje prefeito Magno Bacelar, a comunista ocupava a Secretaria de Estado da Mulher, mas decidiu reassumir o mandato de deputada levando a ex-prefeita de volta à condição de suplente. Festejado com carreata organizada por seus apoiadores com pouquíssima participação popular, o mandato de Belezinha na Assembleia durou 13 dia

ORINALDO ANUNCIA ROMPIMENTO COM MAGNO E APOIO A HIGOR ALMEIDA

O ex-vereador Orinaldo Araújo, esposo da vereadora Missecley, gravou hoje mensagem para anunciar seu desligamento do grupo político do prefeito Magno Bacelar. Ao lado de três dos seus quatro filhos Orinaldo afirmou que ainda não conversou com o Higor Almeida, mas apoiará sua candidatura. “É o que candidato que representa realmente aquilo que a gente pensa, aquilo que a gente quer pro nosso município”, afirmou. Havia chamado a atenção do meio político as ausências de Orinaldo e Missecley do primeiro comício de campanha do prefeito, realizado no bairro em que eles moram e têm forte base eleitoral. A insegurança jurídica da candidatura do prefeito e o forte desgaste apresentado nas pesquisas de opinião devem gerar novas adesões nos próximos dias.