Pular para o conteúdo principal

Porque Roseana será reeleita

A única vez na história do Maranhão que o Palácio dos Leões perdeu uma eleição foi em 1965. Um ano após o golpe, o regime militar deu todas as condições para que seu maior aliado no estado derrotasse o grupo político hegemônico da época capitaneado pelo senador Vitorino Freire. O jovem político que alcançou tal feito com um discurso progressista foi José Sarney.

De lá pra cá, ninguém chegou ao governo do estado contra sua vontade a exceção de Jackson Lago, em 2006, quando o ex-sarneysista Zé Reinaldo Tavares comandava a máquina pública e se utilizou de uma vasta gama de crimes eleitorais para derrotar seus ex-aliados.

Com a cassação de Jackson Lago em decorrência das irregularidades cometidas na campanha e a posse de Roseana, nada leva a crer que essa eleição será diferente.

Como já escrevi aqui, Roseana teve no 1º turno de 2006, 47% dos votos válidos, mesmo com todo o esquema montado por Zé Reinaldo. Desta vez ela tem o apoio de todos que a apoiaram em 2006, mais PT e PRB.

Além disso, há uma clara mudança no cenário político da capital. Jackson Lago foi prefeito de São Luís por três vezes e sempre teve uma boa votação no município, mas os desgastes do seu governo com os professores, com os policiais e com o funcionalismo público levaram sua força política. Junte-se a isso a má avaliação da atual gestão do tucano João Castelo, apoiado por Jackson.

Esta circunstância poderia ser favorável à candidatura do comunista Flávio Dino, que teve uma boa votação na disputa contra João Castelo. O bom desempenho de Dino em 2008, contudo, foi obtido por ele ter tido ao seu lado a militância do PT e por ter sido "o candidato do Lula". A militância do PT está dividida meio a meio, mas certamente o comunista não é o candidato de Lula nessa disputa.

Junte-se a tudo isso uma questão crucial: "Roseana voltou diferente", como canta seu jingle. A "Branca" ficou mais humilde depois da derrota de 2006, mais popular depois da parceria com o PT e mais disposta tanto pra governar quanto para fazer campanha, apesar dos problemas de saúde pelos quais passou recentemente.

Pode ser exagero da minha parte, mas a disputa é pra saber se ela será eleita em 1º ou em 2º turno.

A maior possibilidade de sucesso da oposição seria conquistar uma das vagas de senador, mas as vaidades e os projetos pessoais diminuíram em muito suas chances. Quem ainda tem tempo pela frente, pensa em si viabilizar para o futuro, alguns, inclusive, de volta ao grupo político da governadora.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

PACIENTES E PROFISSIONAIS DA SAÚDE RELATAM COLAPSO NA UPA DE CHAPADINHA

Os últimos dias têm sido de exaustão para quem está trabalhando na linha de frente do combate à Covid em Chapadinha. Profissionais da UPA relatam que a unidade entrou em colapso, os leitos estão lotados, pacientes aguardando nos corredores e os funcionários se sentindo impotentes diante o quadro. “Imagina o que é você se doar, prestar um serviço, ver gente morrendo todo dia e as pessoas continuarem suas vidas aglomerando”, desabafou um deles em rede social. Com quadro reduzido de funcionários, os servidores buscam fazer o que é possível, mas as dificuldades estão aumentando num grau insuportável. Enquanto isso pipocam nas redes sociais fotos e vídeos de pacientes e acompanhantes denunciando os problemas que estão enfrentando, principalmente com falta de médicos para atender a demanda crescente. A escala publicada pela Prefeitura mostra o quanto tem sido exigido dos profissionais. Apenas um médico por dia, sendo ora Dr. Kingsley Ifly, que na mesma data atende no HAPA , ora o Dr. Felipe

DE CORPO PRESENTE: FLÁVIO DINO REBATE BELEZINHA SOBRE INVESTIMENTO EM SAÚDE E AINDA QUER ASSUMIR A UPA

Durante cerimônia de inauguração de asfalto aplicado no município com emendas da deputada Dra. Thaiza, o governador Flávio Dino respondeu os ataques que a prefeita Belezinha fez contra ele no início da semana. A gestora havia afirmado em pronunciamento oficial que ainda não teve ajuda do governo do estado para cuidar da Saúde em Chapadinha nos seus primeiros meses de administração. Relembre: No seu discurso, a deputada Thaiza já havia criticado a gestão municipal por Chapadinha ter tido o maior número de óbitos por Covid no estado, mas Belezinha tentou evitar polêmica. Tigrona na internet, ela virou tchuchuca na frente do governador falando até em parcerias do estado com o município através do vice-governador Carlos Brandão. Veja: Flávio Dino estranhou a diferença de comportamento do mundo virtual para o mundo real. “Há pessoas que se transformam na internet. Elas na nossa frente são pessoas de bom senso, mas quando chegam na internet se transformam e se danam a mentir”: Mais a

2022: NOVOS E ANTIGOS NOMES ARTICULAM CANDIDATURAS À ASSEMBLEIA LEGISLATIVA EM CHAPADINHA E REGIÃO

Políticos e jornalistas só pensam naquilo: a próxima eleição. Os mandatos dos prefeitos eleitos no ano passado mal começaram e os grupos políticos já se preparam para medir forças na disputa pelas cadeiras dos deputados estaduais do Maranhão. Vejamos a situação dos principais nomes olhando a briga: Aluizio Santos : O articulador político do governo municipal não esconde sua pretensão e usa a mini-prefeitura instalada no antigo comitê de Belezinha para preparar sua pré-candidatura. Principal liderança do PL na região, Aluizio conta com a simpatia do deputado federal Josimar de Maranhãozinho e, segundo seus aliados, de 80% do grupo da prefeita. Projeta-se que ele partiria, em Chapadinha, dos 12.400 votos que Belezinha teve em 2018. Karoll Pontes : Carismática, a primeira-filha também é cogitada para a disputa. Teria quase todas as vantagens de Aluizio, além da simpatia do eleitor evangélico e uma relação inquebrantável com a mãe prefeita. Filiada ao antigo PRB, é mais próxima ao vice