Pular para o conteúdo principal

Concertación tupiniquim

A entrevista concedida pelo presidente Lula à revista IstoÉ e publicada neste último fim de semana aponta qual deve ser o futuro da política brasileira nos próximas anos.

Falando sobre os seus planos para quando deixar a presidência, Lula afirmou: "Eu sonho com a construção de uma frente ampla no Brasil. Juntar as forças políticas aqui, construir um programa comum, fazer a reforma partidária, que acho que é uma condição sine qua non para a gente poder mudar em definitivo o Brasil". E mais a frente complementa: "eu gostaria de criar, dentro de um processo de reforma política, uma frente ampla de partidos que pudesse construir um programa para o Brasil, mais forte do que um partido"

A união de PT, PMDB, PSB, PDT, PCdoB, PR e as outras legendas que apoiam o governo Lula, numa frente ampla que mantenha a hegemonia política e o projeto político que vem sendo tocados nos últimos anos no Brasil seria a consolidação do "Lulismo" no "pós-Lula".

Não digo Lulismo do ponto de vista personalista. A presença de Lula passaria a não ser fundamental. A união destes partidos e a manutenção de um programa comum que se sustente nesta forma de governar, nesta forma de ver o Brasil, seus problemas e seu papel no cenário internacional, seria suficiente.

Daí a importância de manter essas legendas unidades nestas eleições presidenciais, daí o esforço para fechar a aliança com o PMDB, parte vital desta construção.


PSDB de fora

Perguntado sobre a possibilidade do PSDB vir a compor esta frente ampla, Lula foi taxativo: "Eu acho que acabou o tempo da ilusão em que a gente poderia trabalhar junto com o PSDB. Eu acreditei nisso. E muita gente do PT acreditou nisso".

Muita gente acreditava nisso quando havia uma disputa entre duas alas dentro do PSDB. Hoje o "covistas" foram dizimados pelos "fernandistas", o que levou o partido de vez para a direita. A formação nos próximos anos de uma ala "aecista", pode salvar o PSDB e levá-lo a esta construção política.

Comentários

Eu acho que isso é um sonho (ou seria um pesadelo?). A aliança, em especial com o PMDB, baseia-se puramente no fisiologismo. Bastará um levre tremor na linha para que ela rua como o castelo de cartas que é.

Lula pode ser esperto em matéria de política, mas às vezes se ilude com ele mesmo.
Yashá Gallazzi disse…
O problema, Braga, é que pode sair um PRI mexicano, em vez de uma concertação chilena...

Sem falar que, a meu ver, é impossível unir tantos partidos tão diferentes entre si, sem a figura do Lula pra colar um ao outro. Basta ver que a candidatura da Dilma ficou longe de ser unanimidade, né?

Postagens mais visitadas deste blog

DE NOVO: BELEZINHA TENTA COMPRAR CANDIDATO A VEREADOR E É DENUNCIADA À POLÍCIA

Dinheiro entregue à Polícia Festejada nas redes sociais pela ex-prefeita Belezinha e seus partidários, a adesão do candidato a vereador Lucídio se revelou mais um escândalo que abuso de poder econômico. Anúncio de adesão pela manhã Horas depois do anúncio, Lucídio registrou Boletim de Ocorrência acusando a coligação adversária de lhe ter entregado R$ 5 mil para ele se deixar fotografar ao lado da candidata e apoiá-la. Ao registrar o BO, o candidato apresentou aos policiais o valor que lhe foi entregue, e áudios das conversas entre ele e intermediários da ex-prefeita. Num deles o conhecimento da candidata sobre as negociações é confirmado. A versão foi confirmada por uma testemunha que presenciou a entrega do dinheiro. Após perícias as provas deverão ser encaminhadas para o Ministério Público Eleitoral e nova denúncia de abuso de poder econômico deve ser apresentada contra a candidata. Denúncia feita à tarde Belezinha responde no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ação semelhante p

EM PRIMEIRA MÃO: EX-PREFEITA PERDE O MANDATO DE DEPUTADA

Durou pouco a passagem da ex-prefeita Ducilene Belezinha (PL) na Assembleia Legislativa do Maranhão. Ela havia sido empossada no cargo de deputada estadual no mês passado devendo favor ao deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL) que determinou que a esposa, Detinha (PL), saísse de licença. Ocorre que Belezinha foi apenas a quinta suplente da coligação, e sua a posse dependeu do falecimento de um deputado e a nomeação de três parlamentares no secretariado do governador Flávio Dino, mas um deles voltou ontem (6) para o legislativo, aliás, uma secretária: Ana do Gás (PCdoB). Parlamentar com votação expressiva em Chapadinha na eleição de 2014, quando teve o apoio do hoje prefeito Magno Bacelar, a comunista ocupava a Secretaria de Estado da Mulher, mas decidiu reassumir o mandato de deputada levando a ex-prefeita de volta à condição de suplente. Festejado com carreata organizada por seus apoiadores com pouquíssima participação popular, o mandato de Belezinha na Assembleia durou 13 dia

ORINALDO ANUNCIA ROMPIMENTO COM MAGNO E APOIO A HIGOR ALMEIDA

O ex-vereador Orinaldo Araújo, esposo da vereadora Missecley, gravou hoje mensagem para anunciar seu desligamento do grupo político do prefeito Magno Bacelar. Ao lado de três dos seus quatro filhos Orinaldo afirmou que ainda não conversou com o Higor Almeida, mas apoiará sua candidatura. “É o que candidato que representa realmente aquilo que a gente pensa, aquilo que a gente quer pro nosso município”, afirmou. Havia chamado a atenção do meio político as ausências de Orinaldo e Missecley do primeiro comício de campanha do prefeito, realizado no bairro em que eles moram e têm forte base eleitoral. A insegurança jurídica da candidatura do prefeito e o forte desgaste apresentado nas pesquisas de opinião devem gerar novas adesões nos próximos dias.