Pular para o conteúdo principal

Um país que é, gosta e quer ser ainda mais desigual

A elite mais letrada adora dizer que o povo brasileiro é formado por um bando de bestas mal informados que se importam mais com sexo do que com os assuntos políticos do Brasil.

Agora eu pergunto: como se interessar pelo que é publicado nessa imprensa brasileira?

Há meses lemos matérias sobre uma tal disputa sobres uns tais "royalties". Pois na próxima pesquisas dessas que só perguntam coisas que o povo brasileiro não está interessado em saber por enquanto adicionem uma pergunta: "Você sabe o que royalty?"

Quantos, meus caros, sabem o que é royalty? Poucos, muito poucos. Talvez menos do que o número de brasileiros que fazem questão em votar num candidato apoiado por Efeagacê.

Pois pronto, regojiza-se a elite sabichona. "Prova de que o brasileiro é um sujeito ignorante, que não sabe sequer o que é royalty". Sinceramente, não é nem engraçado a mesma classe que sempre dominou o poder no Brasil e privou a maior parte da sua população de ter acesso a serviços de qualidade, como o de educação pública, agora orgulhar-se de ser mais "inteligente" do que a média do povo.

Com base no "Aurélio", pode-se dizer que Royalty é "um valor cobrado pelo proprietário de (...) um processo de produção (...) para permitir seu uso ou comercialização".

A briga sobre o royalties se dá por causa da descoberta dessa grande quantidade de petróleo abaixo da camada do pré-sal ainda dentro do espaço territorial marinho brasileiro, isto é, o petróleo é do Brasil apesar de estar abaixo do oceano e a milhas de distância do nosso litoral.

Os estados donos dos litorais mais próximos às reservas petrolíferas querem que os royalties (dinheiro, grana, bufunfa) provenientes da extração desse petróleo fique só pra eles. O resto do país quer que os valores sejam destribuídos com outros estados.

Desculpem se a partir deste momento este texto ficar pior ainda do que no seu início, mas este é realmente um assunto muito chato e só o escrevo para não dizerem que me calei sobre o assunto.

Chamo os leitores a uma rápida reflexão antes de declarar explicitamente minha opinião sobre o assunto.

Por que São Paulo é tudo isso que é? Maior PIB do Brasil, economia pujante e tal... O povo paulista é mais trabalhador do que o do resto do país? Não, tem gente trabalhadora no país todo. São Paulo tem mais riquezas naturais? Não, muito pelo contrário. A posição geográfica é estratégica? Não, fosse isso o nordeste, que ficava mais perto da metrópole seria mais desenvolvido.

São Paulo é tudo que por causa da enorme quantidade de dinheiro históricamente investida ali. Dinheiro arrecado por todo o país e desigualmente investido ali. A cidade de São Paulo, lembrem, tem uma orçamento maior do que a de qualquer estado da federação, a exceção, é claro, do próprio estado de São Paulo.

A distribuição dos royalties concentrada nos "estados produtores"(lembrando que o petróleo está a 300 km do pedaço de chão seco mais próximo) viria agravar uma triste realidade brasileira a desigualdade regional.

O tais "estados produtores" são Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo e Santa Catarina. Aumentar desproporcionalmente os repasses e os investimentos destes estados seria uma desgraçada para todo o país, inclusive para eles.

Interessa ao Rio de Janeiro ser um estado rico rodeado de probeza? Interessa a São Paulo aumentar o nível de migração de regiões mais pobres para as periferias paulistas? Não creio que interesse, não pode interessar.

Digo com todas as letras, se este petróleo tivesse sido investido "perto" do litoral potiguar, paraense ou paraibano seria diferente sim!

Claro que não dá pra esperar que os governadores e parlamentares destes estados defendam esta opinião aqui colocada, mas o Congresso Nacional tem de tomar suas decisões como representante do povo, e de todo o povo brasileiro.

Constituição Federal:

"Art. 3º Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil:

III - erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais e regionais"

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ALUIZIO SANTOS FALA SOBRE SUA SAÚDE

O secretário Aluizio Santos concedeu entrevista ao programa Alerta Geral, apresentado pelo jornalista Luis Carlos Jr. na rádio Cultura de Chapadinha, nesta manhã (10) e tratou do assunto que já estava dominando as rodas de conversa da política local: seu estado de saúde. Segundo o relato, desde o mês de junho ele estava acompanhando o aumento de dois linfonodos na sua virilha e decidiu, com a equipe de médicos que o acompanha em Chapadinha, pela remoção cirúrgica de ambos. O procedimento aconteceu no dia 25 de outubro e desde então ele ficou em repouso. O diagnóstico conclusivo sobre o tratamento de saúde ao qual ele precisará se submeter deverá ser apresentado em 10 dias, mas Aluizio tem voltado às atividades políticas, inclusive às articulações da sua pré-candidatura a deputado estadual. Assista o vídeo da entrevista no final da matéria.   ENTENDA O QUADRO A íngua é o inchaço dos linfonodos, pequenos órgãos do sistema linfático que atuam na defesa do organismo humano prod

BELEZINHA ASFALTOU ATÉ O CAMINHO PARA A REELEIÇÃO

Passada a eleição estadual, o único grupo vencedor em Chapadinha foi o que já ocupa a Prefeitura. O resto se dividiu entre sobreviventes, humilhados e aposentados. Após ter sido a candidata a deputada estadual mais votada da história do município em 2018, com 12.403 votos, Belezinha alargou o recorde com os 18.548 votos de Aluizio Santos, elegendo-o para o cargo e vendo os adversários absolutamente perdidos. Se na eleição anterior os demais grupos se dividiram em 8 candidaturas acima da faixa de 500 votos, somando 17.752, desta vez foram 11 candidaturas e apenas 15.109 votos. A pulverização e o desempenho fraco já demonstram que a oposição teria dificuldade de derrotar a prefeita mesmo se conseguisse uma improvável união para 2024. Entre os derrotados da eleição destacam-se os ex-prefeitos. Dr. Magno Bacelar passou pelo segundo constrangimento seguido (e desnecessário) sem conseguir mais do que 679 votos para Adriano Sarney e Isaías Fortes, que ficou aquém do prometido a Davi Bra

DE CORPO PRESENTE: FLÁVIO DINO REBATE BELEZINHA SOBRE INVESTIMENTO EM SAÚDE E AINDA QUER ASSUMIR A UPA

Durante cerimônia de inauguração de asfalto aplicado no município com emendas da deputada Dra. Thaiza, o governador Flávio Dino respondeu os ataques que a prefeita Belezinha fez contra ele no início da semana. A gestora havia afirmado em pronunciamento oficial que ainda não teve ajuda do governo do estado para cuidar da Saúde em Chapadinha nos seus primeiros meses de administração. Relembre: No seu discurso, a deputada Thaiza já havia criticado a gestão municipal por Chapadinha ter tido o maior número de óbitos por Covid no estado, mas Belezinha tentou evitar polêmica. Tigrona na internet, ela virou tchuchuca na frente do governador falando até em parcerias do estado com o município através do vice-governador Carlos Brandão. Veja: Flávio Dino estranhou a diferença de comportamento do mundo virtual para o mundo real. “Há pessoas que se transformam na internet. Elas na nossa frente são pessoas de bom senso, mas quando chegam na internet se transformam e se danam a mentir”: Mais a