Pular para o conteúdo principal

Como Toffoli votará no processo do mensalão?


O Advogado-Geral da União, José Antônio Dias Toffoli, foi indicado pelo presidente Lula para virar ministro do Supremo Tribunal Federal (STF). Para isso tem que passar por uma sabatina no Senado Federal e ter o nome aprovado pelos senadores.

Neste meio tempo o que se descobre? Que Toffoli tem duas condenações na Justiça, ambas sentenciadas por juízes de primeira instância do Amapá e passíveis de recurso. O presidente do STF, ministro Gilmar Mendes disse que estes não são motivos para o nome do atual AGU não ser aprovado.

Disse mais, disse que a prática de susticar denúncias foi inventado pelo PT, nos seus tempos de oposição. “fazendo pior: se associando ao Ministério Público” com os procuradores “que eram braços institucionais do PT”. “O PT denunciava alguma coisa, e eles faziam logo uma ação”, lembrou Mendes.

E aqui eu abro um parênteses para rebater as palavras de Gilmar. Nos tempos de oposição do PT, o Ministério Público Federal era comandado pelo senhor Geraldo Brindeiro, engavetador-geral da União, como ficou conhecido por arquivar as denúncias de corrupção. Hoje, o ministério Público é diferente. O presidente Lula fez suas quatro indicações respeitando a votação interna dos procuradores, colocando nomes de grande qualidade na chefia do MP.

E quando o PT era oposição e denunciavam alguma coisa qual deveria ser a atitude dos procuradores? Tapar os ouvidos? Julgar ser coisa de oposição e apenas seguir sua rotina de engavetamentos?

Voltando a Toffoli. Aparentemente, ele cumpre os pré-requisitos. Tem notável saber jurídico, caso contrário não seria AGU, e reputação ilibada, esclarecendo-se a questão dessas duas condenações. Porém, pelas suas relações com o PT e o governo sua indicação vem preparada para ser duramente criticada.

Se for confirmado, Toffoli votará no caso Battisti? Votará no processo do mensalão, no qual um dos principais acusados, José Dirceu, foi seu chefe?

Toffoli não era a única opção e outros seriam menos polêmicos e mais independentes.


Fotos: Agência Brasil

Comentários

Anônimo disse…
No PT não tem ninguém cam a ficha limpa!
Notável saber jurídico? O cara foi reprovado duas vezes em dois concursos para juiz. O cargo só será dele porque é uma peça chave dentro da administração do PT. Assim como Gilmar Mendes foi escolhido por FHC para ser o "guarda-costas" tucano no STF.

Quanto as condenações, Tofolli foi condenado mais uma vez numa ação bem parecida com a anterior. Mas, concordo que essas condenações na têm a ver com a idoneidade dele. No entanto, não posso concordar que alguém que é claramente um apadrinhado e que só ocupa o posto por ter defendido pessoalmente grandes caciques de um partido , tenha "ilibado saber jurídico". Se assim fosse; teria sido juiz quando tentou (e olha que nem tem tanto tempo assim).

No próprio STF o descontentamento com sua indicação é forte. Mas todo mundo sabe que ele "leva fácil" afinal o governo tem a maioria esmagadora; só uma catástrofe total tira essa "boquinha" de mais um amigo do José Dirceu.

Postagens mais visitadas deste blog

O que não te disseram sobre a "farra dos contracheques"

Enquanto a gritaria tomava conta das redes sociais, me dediquei a estudar a folha de pagamento da Prefeitura de Chapadinha e verifiquei alguns dados que precisam ser esclarecidos.
Primeiro, nenhum vigia “recebe” R$ 6 mil. O presente do indicativo é usado para demonstrar ação continuada. E o vigia Marcelo Costa Abreu, segundo este mesmo Portal da Transparência que serve de fonte para pinçar informações pela metade e causar alvoroço, tem um salário de R$ 1.247,50. Nos meses de Setembro e Outubro ele recebeu gratificações para compensar outros serviços que ele teria prestado à administração municipal, segundo relato dele mesmo em áudio que circula nos grupos de WhatsApp.
A realização destes trabalhos deve ser atestada, mas essa checagem desmonta a tese segunda qual ele receberia um grande salário para dividir com um ex-prefeito e um vereador.
Outro dado que tem aparecido de maneira muito distorcida é a lotação de todos os servidores como funcionários do gabinete do prefeito. Na verdade…

Uma decisão que não se sustenta

Há tempos o município dava sinais de que conseguiria manter o calendário de pagamento dos servidores públicos de acordo com a promessa de campanha do prefeito Magno Bacelar, com 10 dias dentro do mês trabalho. Ontem a Prefeitura anunciou que todos os servidores receberão no limite previsto em lei e as reações foram instantâneas.
Até a aliada presidente da Câmara, professora Vera, já se pronunciou duramente repudiando a decisão do prefeito. “Não vejo justificativa para a medida da Prefeitura de transferir os pagamentos para o 5º dia útil do mês subsequente”, declarou em redes sociais.
Apesar de não haver ilegalidade no anúncio, algumas considerações precisam ser feitas. A primeira, e mais importante neste momento de pandemia, é que nunca foi tão necessário escalonar o pagamento. Para evitar aglomerações ainda maiores nas agências bancárias, os servidores de diferentes órgãos deveriam receber em dias alternados.
Em segundo lugar, a crise econômica agravada pela pandemia de Covid-19 po…

PRIMEIRA CHAPA CONFIRMADA: HIGOR E MARCELO MARINHEIRO

Nem o isolamento social imposto pela pandemia de Covid-19 freou as articulações políticas. Respeitando as restrições e orientações da Organização Mundial da Saúde, o empresário Higor da Universidade Infantil e o vereador Marcelo Marinheiro se encontraram na manhã desta segunda-feira (30) e definiram que formarão chapa visando as pré-candidaturas a prefeito e vice-prefeito de Chapadinha nas eleições de 2020.
Em contato com o Blog do Braga, a dupla afirmou que já vinha conversando nas últimas semanas e que tomaram a decisão após análise das últimas pesquisas de intenção de voto, que indicariam a viabilidade da composição.
Em meio às incertezas jurídicas de outros concorrentes, Chapadinha ganha a primeira chapa 100% definida e ficha-limpa para as próximas eleições. Após o término do período de isolamento social proposto pela OMS os pré-candidatos informarão o calendário de eventos destinados à propagação das suas plataformas políticas.
“Por enquanto, nos cabe apenas desejar a todos mui…