Pular para o conteúdo principal

De estratégia e sacanagem ele entende


Há um triunvirato que dá calafrios do senhor Daniel Dantas. O delegado Protógenes Queiroz, o juiz Fausto De Sanctis, e o procurador Rodrigo De Grandis.

Pois na última sexta-feira, De Grandis entregou a De Sanctis uma denúncia contra Daniel Dantas e sua curriola como desdobramento à operação Satiagraha, comandada por Protógenes.

Sobre Dantas pesam denúncias por formação de quadrilha e organização criminosa, gestão fraudulenta de instituição financeira, evasão de divisas e lavagem de dinheiro. Entre os demais denunciados estão Verônica Dantas, irmã de Daniel, e o testa de fer... digo, o presidente do Opportunity, Dório Ferman, também conhecido por ajudar as campanhas eleitorais de Marcelo Itagiba (PMDB-RJ) e Raul Jungmann (PPS-PE). Humberto Bráz, Carla Cico e Roberto Amaral (não o ex-ministro, o ex-dirigente da construtora Andrade Gutierrez) também não foram esquecidos por De Grandis.

E não pensem que o calvário de Dantas está próximo do fim. As investigações da Satiagraha continuarão e De Grandis ainda pediu a abertura de três novos inquéritos.

Um para aprofundar as investigações sobre os figuras suspeitas, porém ainda não denunciadas, como o ex-cunhado de Dantas (e amigo de Heráclito Fortes) Carlos Rodenburg e o advogado e ex-deputado Luis Eduardo Greenhalgh.

O segundo para investigar a compra da Brasil Telecom pela Oi, na qual estima-se que Dantas teria levado R$ 1 bi.

E um terceiro para investigar a participação de brasileiros que tinha, ilegalmente, cotas do Opportunity Fund, sediado nas Ilhas Cayman.



A participação no suposto mensalão

Diz a denúncia de De Grandis que Carlos Rodenburg, ex-cunhado de Dantas, teria procurado o publicitário (?) Marcos Valério queixando-se do relacionamento ruim entre o governo Lula e o grupo Opportunity. Valério, então, teria feito uma "ponte" entre Rodenburg e Delúbio Soares, à época tesoureiro do PT.

Os dois se encontraram e o emissário do Opportunity teria pedido a Delúbio que tentasse aparar as arestas (leia-se Luiz Gushiken) entre o governo com o grupo. Delúbio teria confirmado que a impressão do governo em relação ao grupo de Dantas era realmente ruim. A denúncia não aprofunda nada além disso.

A denúncia também afirma que a Brasil Telecom, na época controlada pelo Opportunity, tinha contratos com a SMP&B, empresa de Marcos Valério. O contrato teria sido firmado por indicação de Carla Cico, aconselhada por Humberto Bráz.



E a imprensa?

Claro, não poderia faltar a participação de alguém da imprensa.

Em trecho destacado da denúncia aparece a seguinte transcrição de uma fala de Daniel Dantas durante um telefonema:

- Daí sairia uma matéria paga de 7 itens, agora na 1ª PAG. Dos jornais, por o estrago aumentou; (...) acho que de estratégia e sacanagem entendo um pouco, pelo amor de Deus: Aja já.

Mais adiante, com base nas documentações apreendidas, De Grandis afirma que Roberto Amaral era pago por DD e pagava jornalistas. Dois são citados, Giba Um e CLÁUDIO HUMBERTO.

Comentários

Kleber Vinicius disse…
Braga, parabéns pelo blog.
Tenho o lido todos os dias.

Ainda tem muita coisa sobre o mensalão que ainda não sabemos, mas devagar vão aparecendo.

Talvez seja por isso que o governo tenha dado tanto apoio a esse bandido (Daniel Dantas).
Duro agora será aguentar as mirabolâncias jurídicas que o supremo capacho de Dantas já deve estar tentando criar para liberar o "Capo" de mais essa enrascada.

Agora com dois processos, Dantas (teoricamente) estaria em maus lençóis porque o crime passa a assumir um caráter de continuidade (como aconteceu com a Daslu e sua dona) o que agrava muito a pena e as consequências em um processo penal.

Infelizmente, muito pouco pode ser esperado em relação a punições para esse senhor enquanto seu principal servidor não for desmascarado e removido da Suprema Corte brasileira.
Cássio Augusto disse…
Companheiro... meu Blog foi processado pela administração municipal de Nova Londrina... acesse e se puder... divulgue!!!

Postagens mais visitadas deste blog

DE NOVO: BELEZINHA TENTA COMPRAR CANDIDATO A VEREADOR E É DENUNCIADA À POLÍCIA

Dinheiro entregue à Polícia Festejada nas redes sociais pela ex-prefeita Belezinha e seus partidários, a adesão do candidato a vereador Lucídio se revelou mais um escândalo que abuso de poder econômico. Anúncio de adesão pela manhã Horas depois do anúncio, Lucídio registrou Boletim de Ocorrência acusando a coligação adversária de lhe ter entregado R$ 5 mil para ele se deixar fotografar ao lado da candidata e apoiá-la. Ao registrar o BO, o candidato apresentou aos policiais o valor que lhe foi entregue, e áudios das conversas entre ele e intermediários da ex-prefeita. Num deles o conhecimento da candidata sobre as negociações é confirmado. A versão foi confirmada por uma testemunha que presenciou a entrega do dinheiro. Após perícias as provas deverão ser encaminhadas para o Ministério Público Eleitoral e nova denúncia de abuso de poder econômico deve ser apresentada contra a candidata. Denúncia feita à tarde Belezinha responde no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ação semelhante p

O que não te disseram sobre a "farra dos contracheques"

Enquanto a gritaria tomava conta das redes sociais, me dediquei a estudar a folha de pagamento da Prefeitura de Chapadinha e verifiquei alguns dados que precisam ser esclarecidos. Primeiro, nenhum vigia “recebe” R$ 6 mil. O presente do indicativo é usado para demonstrar ação continuada. E o vigia Marcelo Costa Abreu, segundo este mesmo Portal da Transparência que serve de fonte para pinçar informações pela metade e causar alvoroço, tem um salário de R$ 1.247,50. Nos meses de Setembro e Outubro ele recebeu gratificações para compensar outros serviços que ele teria prestado à administração municipal, segundo relato dele mesmo em áudio que circula nos grupos de WhatsApp. A tese de "rachadinha" cai por terra A realização destes trabalhos deve ser atestada, mas essa checagem desmonta a tese segunda qual ele receberia um grande salário para dividir com um ex-prefeito e um vereador. Outro dado que tem aparecido de maneira muito distorcida é a lotação de todos os

EM PRIMEIRA MÃO: EX-PREFEITA PERDE O MANDATO DE DEPUTADA

Durou pouco a passagem da ex-prefeita Ducilene Belezinha (PL) na Assembleia Legislativa do Maranhão. Ela havia sido empossada no cargo de deputada estadual no mês passado devendo favor ao deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL) que determinou que a esposa, Detinha (PL), saísse de licença. Ocorre que Belezinha foi apenas a quinta suplente da coligação, e sua a posse dependeu do falecimento de um deputado e a nomeação de três parlamentares no secretariado do governador Flávio Dino, mas um deles voltou ontem (6) para o legislativo, aliás, uma secretária: Ana do Gás (PCdoB). Parlamentar com votação expressiva em Chapadinha na eleição de 2014, quando teve o apoio do hoje prefeito Magno Bacelar, a comunista ocupava a Secretaria de Estado da Mulher, mas decidiu reassumir o mandato de deputada levando a ex-prefeita de volta à condição de suplente. Festejado com carreata organizada por seus apoiadores com pouquíssima participação popular, o mandato de Belezinha na Assembleia durou 13 dia