Pular para o conteúdo principal

Casamento Homossexual

Texto de faculdade que vale a pena ler:

"O homossexualismo ainda não é encarado com normalidade pela maioria da população brasileira. Pelo menos esta é a opinião dos próprios homossexuais. "Vivemos numa sociedade muito conservadora. Um casal de heterossexuais andando de mãos dadas num shopping não escandaliza ninguém, mas se for um casal de gays muita gente olha torto.", afirma o Secretário Nacional de Movimentos Populares do Partido dos Trabalhadores Renato Simões. Sua secretaria lançou este ano a campanha "Homofobia é crime", mas ainda não é.

A senadora Fátima Cleide (PT-RO) é a relatora no Senado Federal do Projeto de Lei da Câmara (PLC) 122/06, que tipifica o crime de natureza preconceituosa e discriminatória contra a orientação sexual no Código Penal. Ele já declarou que seu relatório será apresentado favoravelmente ao projeto, mas nem mesmo ela defende abertamente o casamento entre homossexuais. Durante uma conversa com os dos membros deste grupo ela respondeu à pergunta sobre sua opinião acerca do casamento gay assim: "Eu sou a favor dos direitos iguais para todos", esquivando-se. Com a insistência da pergunta ela foi ainda mais vaga: "Eu sou a favor da felicidade e do amor". Daí pode-se ter uma idéia do quanto este tema ainda é um tabu na sociedade. Os senadores Marcelo Crivella (PRB-RJ) e Magno Malta (PR-ES), ambos evangélicos, são peremptoriamente contrários ao projeto e se esforçam para que o relatório de Cleide seja rejeitado.

Independentemente das questões religiosas ainda são recorrentes casos públicos de homofobia. Um dos mais recentes foi o que teve o jogador do São Paulo Futebol Clube Richarlyson no centro das atenções. Um dirigente de outro clube insinuou que ele seria gay e ele entrou na justiça pedindo indenização. A decisão do juiz veio com mais descriminação ainda. Alguns trechos da sentença:

· "O futebol é jogo viril, varonil, não homossexual";

· "Se fosse homossexual, poderia admiti-lo, ou até omiti-lo, ou silenciar a respeito. Nesta hipótese, porém, melhor seria que abandonasse os gramados";

· "Não que um jogador não possa jogar bola. Pois que jogue, querendo. Mas forme o seu time e inicie uma federação. Agende jogos com quem prefira pelejar conta si".

O deputado federal Clodovil Hernanes (PR-SP), tantas vezes vítima de descriminação por ser homossexual declarado (ou confesso, como alguns tratam o tema) se diz contrário à legalização da união civil entre os homossexuais. "O casamento é instituição falida até no certo, ainda mais no torto. Não tem lógica um homem casar com outro, não há perpetuação. Sou a favor de mãe, de família. E tenho conhecimento. Meu pai era gay e a primeira pessoa que me seviciou foi o diretor do colégio, um padre. Ninguém tem nada para me ensinar de moral.", declarou à imprensa já depois de eleito.

Na última mudança que ocorreu no Código Civil Brasileiro, em 2001, o código passou a estabelecer que a família abrange as unidades familiares formadas por "casamento, união estável ou comunidade de qualquer genitor e descendente. O código de 1916 dizia que a "família legítima" é aquela formada pelo casamento formal, que é o eixo central do direito de família. Esta mudança abriu caminho para, dependendo da interpretação do juiz, o casamento entre pessoas do mesmo sexo ser validado perante a justiça. Outra mudança estabeleceu que o casamento é a "comunhão plena de vida", com direitos iguais para os cônjuges, obedecendo à regra constitucional segundo a qual "os direitos e deveres referentes à sociedade conjugal são exercidos igualmente pelo homem e pela mulher". O código de 1916 dispunha que o objetivo do casamento era constituir família."

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

DE NOVO: BELEZINHA TENTA COMPRAR CANDIDATO A VEREADOR E É DENUNCIADA À POLÍCIA

Dinheiro entregue à Polícia Festejada nas redes sociais pela ex-prefeita Belezinha e seus partidários, a adesão do candidato a vereador Lucídio se revelou mais um escândalo que abuso de poder econômico. Anúncio de adesão pela manhã Horas depois do anúncio, Lucídio registrou Boletim de Ocorrência acusando a coligação adversária de lhe ter entregado R$ 5 mil para ele se deixar fotografar ao lado da candidata e apoiá-la. Ao registrar o BO, o candidato apresentou aos policiais o valor que lhe foi entregue, e áudios das conversas entre ele e intermediários da ex-prefeita. Num deles o conhecimento da candidata sobre as negociações é confirmado. A versão foi confirmada por uma testemunha que presenciou a entrega do dinheiro. Após perícias as provas deverão ser encaminhadas para o Ministério Público Eleitoral e nova denúncia de abuso de poder econômico deve ser apresentada contra a candidata. Denúncia feita à tarde Belezinha responde no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ação semelhante p

EM PRIMEIRA MÃO: EX-PREFEITA PERDE O MANDATO DE DEPUTADA

Durou pouco a passagem da ex-prefeita Ducilene Belezinha (PL) na Assembleia Legislativa do Maranhão. Ela havia sido empossada no cargo de deputada estadual no mês passado devendo favor ao deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL) que determinou que a esposa, Detinha (PL), saísse de licença. Ocorre que Belezinha foi apenas a quinta suplente da coligação, e sua a posse dependeu do falecimento de um deputado e a nomeação de três parlamentares no secretariado do governador Flávio Dino, mas um deles voltou ontem (6) para o legislativo, aliás, uma secretária: Ana do Gás (PCdoB). Parlamentar com votação expressiva em Chapadinha na eleição de 2014, quando teve o apoio do hoje prefeito Magno Bacelar, a comunista ocupava a Secretaria de Estado da Mulher, mas decidiu reassumir o mandato de deputada levando a ex-prefeita de volta à condição de suplente. Festejado com carreata organizada por seus apoiadores com pouquíssima participação popular, o mandato de Belezinha na Assembleia durou 13 dia

ORINALDO ANUNCIA ROMPIMENTO COM MAGNO E APOIO A HIGOR ALMEIDA

O ex-vereador Orinaldo Araújo, esposo da vereadora Missecley, gravou hoje mensagem para anunciar seu desligamento do grupo político do prefeito Magno Bacelar. Ao lado de três dos seus quatro filhos Orinaldo afirmou que ainda não conversou com o Higor Almeida, mas apoiará sua candidatura. “É o que candidato que representa realmente aquilo que a gente pensa, aquilo que a gente quer pro nosso município”, afirmou. Havia chamado a atenção do meio político as ausências de Orinaldo e Missecley do primeiro comício de campanha do prefeito, realizado no bairro em que eles moram e têm forte base eleitoral. A insegurança jurídica da candidatura do prefeito e o forte desgaste apresentado nas pesquisas de opinião devem gerar novas adesões nos próximos dias.